domingo, 24 de abril de 2011

Chapecoense e Avaí, os competentes venceram

Habemos final de returno. Em jogos com caras bem parecidas, ambos com gols vindos de bola aérea, Chapecoense e Avaí, cada qual com suas pedreiras, foram mais competentes que seus adversários nas semifinais vão decidir quem enfrenta o Criciúma na final, em jogo único, na Arena Condá.

Em Chapecó, a Chapecoense mostrou porque é a melhor campanha do Estadual. Fez uma boa partida, dominou o adversário e venceu com autoridade, mostrando as dificuldades que os adversários terão jogando o Oeste. O time não tem nenhum craque que decide, mas um conjunto bem treinado por Mauro Ovelha, diria eu o melhor que já teve nas mãos, com opções no banco de reservas que podem fazer uma correção de rota. A partida teve um primeiro tempo em que o JEC não parecia ser um time que estava em campo precisando da vitória para classificar. O time até chegava no campo de ataque, mas não criava chances. Apagado, o artilheiro Lima não apareceu e o Verdão construiu a vitória em duas bolas aéreas com grandes falhas da defesa tricolor. Sem ser ameaçado em nenhum momento, o Verdão está a três empates de ser campeão estadual. Mas há a promessa de um grande jogo no próximo domingo, contra um Avaí ultramotivado.

Isso porque em Floripa, os mesmos cruzamentos que decidiram a classificação da Chape resolveram a parada no clássico. Eu esperava muito mais do Figueirense, que pelo menos conseguisse manter o mesmo equilíbrio que houve no último encontro, na Ressacada. Não aconteceu. O cruzamento de Marquinhos para William, no começo da partida, foi um duro golpe para o alvinegro, que não conseguiu fazer as suas jogadas entrarem. Não vi o scout, tenho certeza que o Figueira teve muito mais posse de bola do que o Avaí, mas não adianta chegar ao ataque sem eficiência para concluir. Faltou alguém diferenciado para concluir, e o tempo foi passando para o Leão, que controlou a partida. Silas colocou Fabiano no lugar de Rafael Coelho para reforçar a marcação, com sucesso. E no final, em mais um cruzamento de Marquinhos, Estrada fez o segundo e matou a parada. O placar até podia ser maior, para alegria da torcida, mas o que interessou foi o resultado, que levou o Avaí, que não estava entre os favoritos ao título, a um possível candidato ao tri.

E nessa arrancada avaiana, a próxima parada será em Chapecó, contra um adversário que é o melhor do Estadual, não perdeu em casa e terá casa cheia para empurrar o time. As armas da Chapecoense são bem diferentes das do Figueirense. A defesa verde, por exemplo, tem uma eficiência muito melhor em bolas aéreas, e tem um camisa 9 com poder de decisão. Será um grande jogo, e nesta semana a gente vai falar muito sobre isso.

Venceu quem foi competente em 90 minutos. Quem fez gol, segurou o adversário e não sofreu nenhuma pressão exagerada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário