quarta-feira, 8 de junho de 2011

A Aposta Gallo

Tentei achar termos para definir a chegada de Alexandre Gallo ao Avaí, sem ser desesperador tampouco otimista. Acho que a palavra "aposta" é a mais adequada até agora.

Ele treinou o Figueirense, foi campeão estadual mas não durou muito no Campeonato Brasileiro, onde o time viria a cair. Cada técnico tem as suas características, e não vejo nelas as ideais pra circunstância atual. Quieto, ruim de relacionamento com imprensa e times que não são nenhum primor de organização são suas marcas.

E num momento que o Avaí precisa de alguém que junte os cacos, pegue os novos reforços e busque arrumar a casa, chega alguém que não figurava na lista de favoritos, estava no mundo árabe e rodou por vários clubes sem nada significativo nos últimos anos.

Pra mim, ele não é o cara, mas longe de querer agourar o profissional. Ele vai ter tempo para trabalhar na remontagem do time, mas quem corre risco de verdade é a diretoria, que sabe que não poderia errar o tiro no nome do treinador em momento tão delicado, dentro e fora de campo. Que Gallo acerte, sob pena de uma recuperação ser tardia demais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário