domingo, 12 de junho de 2011

Brusque vence burocraticamente o Metrô

Um jogo bem meia-boca nesta tarde no Augusto Bauer. Mas como o que vale é a vitória, o gol de Marcelinho aos 46 do primeiro tempo garantiu os três primeiros pontos do returno da Copa SC, contra um time que terá que melhorar o time e a filosofia par a Série D.

O jogo teve um ingrediente a mais: o árbitro designado para o jogo, Leandro Messina Perrone, acabou se contundindo no aquecimento, sendo substituído pelo quarto árbitro, Joel Reis Alves Jr., cuja experiência no futebol profissional se restringia à bandeirinha. Sua atuação não me causou raiva, mas risadas: ele estava completamente perdido em campo: errou lances de escanteio, deu cartões para jogadores que sofreram faltas duras, ao invés de punir os infratores. Típico de quem não tem experiência e se assustou em ser chamado pro jogo quando ele esperava só levantar as placas de substituição naquele dia.

Voltamos ao jogo: O Brusque teve sua tarefa facilitada hoje pelo mal armado time do Metropolitano. Lio Evaristo fez um favor ao colocar Edimar, o melhor armador do time, no banco de reservas. O meio-campo verde não funcionou, e os jogadores foram vítimas fáceis do sempre regular sistema de volantes do Bruscão. Hélio Vieira manteve a base e o estilo de jogo de Itamar Schulle, mas talvez o clima frio da torcida tenha transparecido em campo. Sem ser forçado, o Brusque desenhou algumas jogadas. Só fez o seu no final do primeiro tempo, em boa jogada de Wellington Simião, o melhor em campo.

Na segunda etapa, Vieira colocou Thiago Cristian na ala esquerda, melhorando a qualidade por lá. Mas o time teve que ser alterado por causa de lesões, como Alexandre Carvalho, que fraturou a mão. Como o Metrô tinha no ataque um Selmir visivelmente fora de forma, um Jonatas apagado e um Rafael Costa que é exatamente aquele do Avaí, o Brusque teve relativa tranquilidade para garantir o resultado.

Como quem ganha o returno não leva o título direto da Copa SC, o negócio é marcar pontos para garantir a decisão em casa. Como o JEC empatou em Concórdia, a distância aumentou. Quinta é a vez do Bruscão enfrentar um Joinville que precisará mostrar avanços sob o comando de Arturzinho. Vai ser talvez o melhor teste até agora, visando medir a qualidade do time visando a Série D.

6 comentários:

  1. Deu pra perceber algumas deficiências do Brusque no jogo de hoje.

    A primeira é o setor de criação. Fica evidente que Marcelinho não pode exercer essa função sozinho. Se Marcelinho equivale ao Teti, falta um Diogo Oliveira no time.

    O que mais chamou a atenção foram os chutões da defesa para o ataque. Não existe ligação entre defesa ou entre volantes e ataque. Ainda bem que o Brusque estava ganhando a segunda bola pela boa atuação do Simião, que é segundo volante.

    Outra grande deficiência é que o Brusque não tem jogador de bola parada. O Leandrinho desperdiçou pelo menos 3 ou 4 faltas próximas da área cruzando de forma medíocre bolas a meia altura. Bola parada decide muitos jogos, é uma FALHA GRANDE um time não ter jogador para cobrar faltas diretas ou efetuar cruzamentos de bola parada.

    O Hélio se equivocou de forma grotesca dando ao Leandrinho essa função de cobrar faltas próximas à área. Não tem a mínima condição de efetuar essa função.

    As laterais ficaram devendo de novo. O João Neto vem evoluindo, e a lateral esquerda melhorou com a substituição do Pereira pelo Tiago Cristiam. Como o próprio Hélio falou, o Pereira não é canhoto e estava jogando torto pela lateral esquerda. Se tiver que escalar o Pereira de lateral, tem que ser do lado direito.

    Valeu pelo resultado, mas existe muita coisa a fazer pra almejar subir para a Série C. A diretoria está buscando 2 zagueiros, 1 meia de criação e 1 lateral esquerdo. Exatamente os pontos onde o Brusque precisa se reforçar.

    Importantíssimo esse meia de criação. Se o time perder o Marcelinho por contusão ou cartão, não tem ninguém pra fazer essa função de criação. Se um é pouco, imagina como o time vai ficar sem nenhum jogador de criação. Deu pra perceber hoje depois da saída do Marcelinho. Acaba com qualquer chance.

    ResponderExcluir
  2. é tem que contratar. agora o helio vieira é muito retranqueiro. o que valeu a tarde foi o juiz, esse é bom.

    ResponderExcluir
  3. Realmente decepcionou com essa escalação com 3 volantes, se bem que o Simião joga quase como um meia e sabe ir pro jogo inclusive saiu dos pés dele o lance do gol. Realmente ta complicado pra escalar esse time como deixar fabinho, Leandro Leite ou Simião de fora desse time. Eu faria um 4-4-2 com o Simião jogando ao lado do Leandrinho de meia e manteria o Leite e o Fabinho, o Marcelinho mesmo fazendo o gol acho que ta devendo, montaria assim:

    Wender
    Pereira
    Alexandre
    Thiago Couto
    Thiago Cristian
    Leandro Leite
    Fabinho
    W. Simião
    Leandrinho
    Aloisio
    Pantico

    ResponderExcluir
  4. André, concordo com muitas coisas que vc escreveu, mas montar um time sem nenhum jogador de criação é complicado. Gostei da escalação com Pereira na direita e Thiago Cristiam na esquerda. Concordo que o Simião pode fazer papel de meia um pouco mais recuado enquanto o Brusque não tiver outro meia de criação.

    Mesmo devendo, o Marcelinho organiza e distribui as jogadas no meio de campo. E ontem fez o mais importante: estava no lugar certo pra fazer o gol da vitória. Isso também é mérito. Ontem depois que saiu acabou o time do Brusque.

    Não sei se você contou a quantidade de chutões que a defesa deu querendo fazer ligação direta com o ataque. Aí está um outro defeito inclusive do goleiro João Ricardo: não entrega bola limpa, só dá chutão para a frente onde os atacantes que jogam de costas sempre levam desvantagens contra os zagueiros, quase sempre altos. Não sei porque técnicos não orientam os goleiros para não fazer isso.

    Você deve lembrar que o time do Brusque só funcionou bem nos ultimos 2 anos quenado teve 2 jogadores de criação no meio de campo: Teti e Diogo Oliveira.

    Acho que o Leandrinho jogou muito mal ontem, perdeu quase todas, está devendo há vários jogos e ficando mascarado. As faltas que cobrou então...fazia tempo que não via um cobrador tão ruim. Pantico nele.

    ResponderExcluir
  5. Não quero ser injusto com o Leandrinho. Apesar da fase não muito boa, é um ótimo jogador e tem crédito de sobra. Foi um dos responsáveis pelo razoável campeonato que o Brusque disputou, ficando longe do rebaixamento.

    Acho saudável essa disputa com o Pantico. Talvez até possam jogar juntos quando o Chulapa tiver que ser substituido. Seria um ataque extremamente rápido.

    ResponderExcluir
  6. Sem duvida que se colocasse o Teti e o Diogo Oliveira, teriamos um time quase igual ao de 2010. mas eu acho que o Leandrinho errou todas as bolas paradas no restante ele foi bem. Ja vi ótimas atuações do Marcelinho mas to achando ele meio apagado nos ultimos jogos, e o Simião tem mais caracteristica de meia do que de volante, acho que daria certo com o Leandrinho, não custa testar, mas o certo mesmo era vir logo esse Junai que é meia de ofício e o problema estaria resolvido

    ResponderExcluir