quinta-feira, 28 de julho de 2011

Novidades do Televisionamento do Campeonato Catarinense

Conforme prometido, o Blog trará as últimas novidades acerca das movimentações do contrato de televisionamento do Campeonato Catarinense.

É bom lembrar a situação atual: a RBSTV tem os direitos de transmissão do Estadual do ano que vem. Quando tentaram quebrar na marra o contrato com a Record em 2009 ficou acertado que, caso a ação judicial para quebra não tivesse sucesso (e não teve), o acordo era automaticamente prorrogado por um ano, para as temporadas de 2010, 11 e 12. A RBS não pagará um tostão no próximo ano, pois pagou a primeira parcela em 2009, mas como o campeonato foi transmitido pela RIC, a Associação de Clubes optou por pegar esse dinheiro e colocar em um fundo de aplicação, a fim de pagar aos clubes no Estadual de 2012. Vai dar algo em torno de 1 milhão e 800 mil a 2 milhões de reais a serem divididos entre os clubes, retirando um comissionamento de 12% da Agência Propague e outro porcentual para a FCF. Será uma verba menor que a recebida neste ano, que foi paga com reajuste.

Há dois meses, em uma reunião da Associação de Clubes em Florianópolis, um emissário da RBS esteve presente, mostrando uma primeira proposta para renovação do contrato a partir de 2013. Nada foi resolvido, até porque os clubes teriam ficado insatisfeitos com os valores apresentados, segundo afirmou um dirigente ao Blog. Os clubes pedem uma equiparação financeira aos valores que os pequenos clubes gaúchos ganham pelo seu Estadual, algo em torno de 300 mil reais. Hoje, Avaí, Figueirense, Joinville e Criciúma ganham pouco mais de metade disso.

Nesta sexta-feira, no Hotel Baía Norte, em Florianópolis, acontecerá outra reunião, onde mais uma vez será discutida a proposta financeira da RBS para os próximos três anos. Como há bastante tempo até o Catarinense de 2013, um dirigente me passou que os clubes menores preferem aguardar mais um pouco e, quem sabe, ouvir propostas de outras emissoras que porventura estiverem interessadas. Um outro dirigente presente na última reunião me passou que não se descarta a possibilidade de que seja aberta uma licitação para os campeonatos de 2013, 14 e 15 (o que é o mais correto). Resta saber se outra emissora está interessada. Há clubes que, por outro lado, estudam a possibilidade de pedir um adiantamento de cotas, coisa que é corriqueira em grandes centros, mas cria uma dependência enorme e é bom evitar.

Outro assunto que será discutido é o interesse de uma empresa de São Paulo que quer implantar aqueles paineis de LED à beira do gramado, apenas nos jogos televisionados. Para os três clubes que têm televisionamento garantido (Avaí, Figueirense e Criciúma), o negócio até é bom, pois esses clubes não vendem placas de publicidade por todo o ano, já que no Campeonato Brasileiro a propaganda é igual para todos os clubes. Acontece que os clubes pequenos receberiam algo em torno de R$ 35 mil, muito pouco para quem arrecada muito mais com as suas placas vendidas junto ao empresariado local.

O exemplo gaúcho é perfeito para ser vendido aqui: o campeonato lá tem patrocinadores fortes (o campeonato chamou-se "Gauchão Coca-Cola") e a Federação local prometeu uma arrecadação de 1 milhão de reais para cada clube pequeno (lá são 14 equipes na primeira divisão, mais a dupla Gre-Nal) no próximo Estadual. Se o São Luiz de Ijuí ou o Cerâmica de Gravataí ganharão isso, por que não pelo menos o mesmo para os 10 clubes catarinenses?

Vamos aguardar as próximas novidades. Penso que os clubes precisam ser profissionais, acreditar no seu produto e pensar em ganhar dinheiro, seja com que rede de TV for, ou se algum patrocinador aparecer. Há tempo até o Estadual 2013. Precisam também saber negociar de forma direta com as televisões, sem ter que usar uma agência, que leva 12% de comissão que seriam muito bem-vindos nos caixas das equipes.

Um comentário:

  1. Valor justo por um campeonato mediocre. Enquanto essa federação organizar esse campeonato, nunca vai melhorar, além da emissora que já detem os direitos ser parcial e direcionada.
    Agora o mais intrigante é que tem uma agencia no meio que negocia os direitos de TV... e a federação faz o q?

    ResponderExcluir