domingo, 28 de agosto de 2011

Avaí vence um clássico espetacular

Foto: Marco Dutra - FutebolSC
Todo clássico é um campeonato a parte. O melhor time nem sempre vence, o pior time consegue a superação na base da vontade aumentada pela expectativa passada pelo torcedor.

O Brasil viu um clássico espetacular. Um dos melhores jogos do ano. E com a vitória de um Avaí que não foi o melhor time em campo, mas a mística, e motivação diferenciada e, porque não dizer, alguns fatores um tanto quanto sobrenaturais fizeram o Figueirense, que criou muito mais chances de gol.

Olhando tecnicamente, é impossível analisar o jogo. O Figueira começou arrasador, fez 1 a 0, balançou o Avaí e poderia ter nocauteado logo depois, quando Julio César bateu pênalti pra fora. Em um jogo desse tipo, penais desperdiçados motivam muito o outro lado, que foi segurando-se atrás, tentando bolas na frente na base da vontade. O Avaí não mudou seu estilo de jogo, segue sendo aquele grupo que não tem organização, da mesma forma que o Figueirense não mostrou nada diferente de outras partidas, mas tem coisas no futebol que não se explica.

Os números falam por si: foram 27 finalizações a gol do Figueira, contra apenas 10 do Avaí. Pênati perdido, e o Leão ganhou coragem pra ir a frente, fazendo Wilson trabalhar. Até que o criticado Arlan (o clássico serviu até pra melhorar o conceito do lateral) cruzou para o gol de Lincoln. Gol que serviu como um tapa no Figueirense, que voltou a frente no placar com um gol chorado, marcado por Julio Cesar, que fez um bom jogo, mesmo tendo perdido um pênalti. Final de um primeiro tempo absolutamente sensacional.

No segundo tempo, nada mudou. Somália entrou para dar mais presença no ataque, e o Avai buscou se segurar, com a entrada de Diogo Orlando no lugar de Robinho. Mais uma vez, a teoria foi detonada. Arlan recebeu um belo passe de Cleverson, cruzou rasteiro para William empatar. Não sei como o Figueira não fez o terceiro aos 40, numa bola que bateu em Felipe, na trave, em Gustavo Bastos tirando. E na sequência, William apareceu de novo para virar um jogo imprevisível e espetacular.

Um jogo em que Jorginho não pode ser condenado em absolutamente nada. O maior erro alvinegro foi o pênalti perdido por Julio Cesar, que tentou tirar a bola de Felipe, mandando para fora, que é coisa de jogo. Domínio da posse de bola não ganha partida, o que vale é bola na rede. E nisso, o Avaí leva uma vitória que dá uma moral gigantesca para o returno do Brasileirão, dando mais confiança ao elenco, a Toninho Cecílio e para a torcida.

Já dizia o poeta que Clássico é um campeonato a parte. Tese comprovada mais uma vez.

2 comentários:

  1. Clássico maravilhoso para o Brasil inteiro ver!
    Coisa linda ver o país inteiro curtindo o futebol de SC!!

    ResponderExcluir
  2. Esse meu Avaí faz coisa! Que beleza!

    ResponderExcluir