segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Plano C, de Cecílio

Depois de ouvir um rápido não de Gilson Kleina e toda a novela de Márcio Goiano, que viria, na opinião da diretoria, e depois de uma novela acabou ficando em Goiás, o Avaí apela para um plano C para escapar da Série B.

Plano C, de Cecílio.

Não teve um torcedor avaiano que gostou, e eu também não. A intenção era pra trazer alguém experiente e que fosse melhor que Alexandre Gallo.

Vamos aos fatos: Cecílio, por muito tempo diretor do Palmeiras, treinou, tirando o Vitória, somente figurinhas carimbadas da Série B: São Caetano, Guaratinguetá, Grêmio Prudente e Americana. Participou das campanhas do rebaixamento do Prudente e do Vitória, em 2010. No Americana, nesta Série B, não ia nada bem. Ou seja, tem mais insucessos que trunfos em seu currículo. Mas isso não foi impeditivo para que o Avaí o escolhesse.

Definitivamente não é o tipo de nome que eu esperava. Para mim, trazer Cecílio e manter Edson Neguinho no comando são a mesma coisa. Então que trouxessem o Mauro Ovelha.

Mesmo torcendo para que ele comande uma reação do Avaí no returno do Brasileiro, o desânimo é grande. Sinal de Série B no ar.

Um comentário:

  1. Talvez seja difícil pro blogueiro entender que não basta querer trazer.

    Dificil alguém aceitar treinar um time praticamente rebaixado. Para escapar do rebaixamento, o Avaí terá que fazer 30 pontos no segundo turno, ou seja, performance de G4. Ou o dobro de pontos que conseguiu no primeiro turno.

    Duvido que o Mauro Ovelha aceitasse treinar esse timeco. Não é bobo deixar um time praticamente classificado na Série C, com chance de ser campeão e até subir para a Série B para se queimar num time já rebaixado para a Série B.

    ResponderExcluir