domingo, 18 de setembro de 2011

Até 2012, Brusque

Nem se vencesse, o Brusque classificaria, já que o Cianorte empatou em Porto Alegre com o Cruzeiro. A derrota para o Juventude, com um gol tomado aos 46 minutos do segundo tempo, em uma partida que caminhava para um justo empate, fecha um ano de altos e baixos do clube, que fez um Estadual sem muito desespero, mas que bobeou em momentos decisivos. Fim de temporada, hora de começar a pensar no Estadual 2012.

Sobre os erros e acertos do Brusque, vou fazer um post mais detalhado sobre isso. A verdade é que a pobre situação do gramado, que foi arrumado às pressas depois da tragédia da semana passada, não permitia um bom jogo. A bola até rolava, mas os lamaçais distribuídos no terreno complicavam tudo. O Juventude não queria brincar: bola que chegava no perigo, era chutão pra lateral. A partida foi caminhando, o Brusque não chegava como deveria, e um jogo modorrento foi se construindo. Dois lances merecem destaque no jogo, fruto de belas defesas dos goleiros. A primeira com João Ricardo, que salvou uma cabeceada à queima-roupa de Eraldo, e depois com Jônatas, que operou um milagre em uma bomba de Pereira, também de cabeça.

O empate ia caminhando, mas Fabrício veio do banco para fechar a vitória do Ju, na última bola da partida. Terá pela frente o bom time do Mirassol, que fez um bom Campeonato Paulista, enquanto o Oeste de Itápolis será o adversário do Cianorte.

A série D mostra não só para Brusque e Metropolitano, bem como para qualquer time catarinense que deseja passar por essa carne de pescoço para chegar na Série C, que os times precisam ter muito mais qualidade, e sem ter no Estadual qualquer tipo de referência. É necessário planejamento, qualidade e muita atitude em um torneio de tiro curto que só dá uma vaga pra times de São Paulo pra baixo. E ano que vem, com a possível participação do Brasil de Pelotas e do Marília, a competição tende a ser mais difícil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário