terça-feira, 6 de setembro de 2011

Série C, as probabilidades: JEC e Chape bem na fita

Abaixo, um estudo do site Statsport, especializado em Estatísticas Esportivas, sobre as probabilidades de classificação na Série C.

No Grupo D, Joinville (87%)  e Chapecoense (78%) estão muito bem na fita para conseguir as duas vagas para uma pedreira na segunda fase, onde acontecerá o cruzamento com os dois primeiros do Grupo C, que hoje seriam Ipatinga (melhor campanha de todo o campeonato e já classificado) e o Brasiliense, que tem mais de 90% de chances de estar lá.

Abaixo o quadro de probabilidades na Série C:


Um comentário:

  1. Não achei onde, resolvi postar aqui este texto do Fabricio Cardoso, jornalista e torcedor do Brasil de Pelotas, que hoje completa 100 anos. Vale aos flamenguistas, vascaínos, etc. que moram em SC e que em pequeno, muito pequeno numero - infelizmente - torcem para os times de seu estado.

    Meus parabéns aos que sentem

    A data de hoje é um desvio do curso natural do mundo, que parece convergir, meio bovinamente, para sentimentos hegemônicos. Quanto mais gente gosta de uma mesma coisa, mais barato fica empacotá-la para venda. Nesta toada, nove em cada 10 brasileiros declaram-se torcedores de 12 clubes. Uns já arrastam a asa desavergonhadamente para o Barcelona e o Real Madrid. E o país do futebol tem 738 times, segundo a, toc, toc, toc, CBF.
    Em condições tão hostis de concentração, este 7 de setembro de 2011 só ocorre por uma teimosia hereditária, perpetrada há cinco gerações numa cidade pobre de grana mas transbordante de lealdade.
    Meu Brasil de Pelotas, um avermelhado moço que hoje completa 100 anos, prova como uma paixão artesanal tem força para sobreviver num cenário onde as pessoas buscam alívio não nas pequenas afinidades, mas na esterilidade do gosto das multidões. Apesar da necessidade dos grandes de Porto Alegre de ter público (não confundir com torcida) no interior para sustentar suas aspirações continentais, objetivo já concretizado em muito rincão por aí, cá estamos, convictos nesta utopia. O coração xavante, ingênuo, insiste em se divertir no meio enquanto os outros só enxergam sentido no fim. Se eu pudesse testemunhar o nosso segundo centenário, estaria lá tão ingênuo quanto hoje.

    ResponderExcluir