domingo, 23 de outubro de 2011

Balanço das vitórias

Só vitórias catarinenses no final de semana. A Chapecoense perdeu, mas foi para o JEC, e aliás, de forma bem merecida. Tudo resumido em um post, no balanção do final de semana:

Foto: Giuliano De Luca
No sábado, o Criciúma goleou o Icasa, jogando bem e mostrando um crescimento real na qualidade do seu jogo. Lá atrás escrevi (e muito mais gente escreveu) que o time já deveria começar o seu planejamento para 2012. O time estava claudicante, vacilando em momentos-chave e dando adeus às chances de acesso. Eis que os resultados colaboram, o Americana começa a patinar e o G4 está de novo por perto, a exatos dois pontinhos. A chance está novamente a frente, e passa pelo jogo de seis pontos contra o próprio Americana, em São Paulo, na terça. Abriu-se uma porta de entrada para a zona de acesso, que provavelmente não mais se abrirá neste ano. Cabe ao time de Márcio Goiano ser competente o suficiente para entrar.

Divulgação FFC
Na Série A, o Figueirense, já sem a pressão de rebaixamento, com vaga praticamente certa na Sul-americana e correndo por fora para brigar por uma vaga na pré-Libertadores. Jogou bem, aproveitou-se da má fase do Palmeiras e venceu. Com a derrota o Flu, a diferença para o quinto colocado e último classificado para a Libertadores é de três pontos. O foco não pode mudar. É conquistar os resultados e ver o que acontece lá na frente. É uma disputa bem complicada, e matematicamente é possível. Mas se a vaga não vier, a Sul-americana vai garantir uma boa renda extra ao clube. Mas dá pra sonhar, ainda mais com boas rodadas como essa.

Divulgação AFC
O Avaí venceu o Botafogo no final por 3 a 2, vencendo mais uma vez um time da parte de cima, como foi como Corinthians e Flamengo, com direito a um golaço de Cléverson. A rodada avaiana só não foi perfeita porque o Cruzeiro e os Atléticos Mineiro e Paranaense venceram. Não deu pra avançar, mas ninguém escapou. Mas apareceu um novo time em declínio que estreou na zona, que foi o Ceará, que o Avaí terá confronto direto no dia 6, na Ressacada. Antes, tem o vice-líder Corinthians em São Paulo, e o que vier é lucro. Ainda acho complicada a salvação avaiana, mas da mesma fora que os resultados aconteceram e a tabela ajudou, como vem acontecendo com o Criciúma, numa dessa pode ser que os números "encaixem" para o Leão.

Foto: Roberto Dias Borba
E para terminar, Joinville x Chapecoense. Estive na Manchester no final de semana, e ao chegar no sábado pela manhã, deparei com muitas bandeiras e camisas do JEC no Stammtisch que acontecia na Rua Visconde de Taunay. Uma cidade que vive em lua de mel com seu time e que lotou a Arena na festa contra a Chapecoense. Um jogo com requintes de crueldade para o torcedor: Joinville atrás no placar, Chapecoense perdendo pênalti, um homem a menos em campo, depois da expulsão de Fabiano Silva. Mas o time se superou, conseguiu o empate e a virada, com um gol de Lima, que completava 100 jogos e que era o homem certo para detonar a festa tricolor. A Chapecoense, hoje, deu mais uma prova que sua eliminação não foi fruto de infelicidadade. Afinal, um time que toma a virada com um homem a mais em campo não merece sorte melhor.

Me perguntaram: Rodrigo, esse time do JEC tem condições de ser campeão? A resposta é sim, Arturzinho montou um padrão de jogo consistente e um time eficiente no ataque. Mas uma coisa me preocupa, caso o time chegue à final. Com a novela do Grupo E, que tem ações judiciais e jogos paralisados, o Joinville terá que ficar algumas semanas sem jogo, e consequentemente quebrando o ritmo. E enfrentará o classificado do Norte-Nordeste apenas uma semana depois do seu último jogo. Se o time não tiver problemas com isso, é favorito a conquistar o seu primeiro título nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário