segunda-feira, 10 de outubro de 2011

A bola da vez do Brusque: Kléber Pereira

A diretoria do Brusque vai negar, como fez com Viola, Aloisio Chulapa, Itamar Schulle, entre outros. Mas a informação é que há uma negociação existente com o atacante Kléber Pereira, ex-Santos, Atlético-PR e Internacional.

O atacante, de 36 anos, está no Moto Clube-MA, e segundo informações apuradas por este blog, em parceria com o repórter Felipe Lemos, seu empresário já está em tratativas com integrantes da diretoria do Bruscão.

E se não der certo, não duvide se ele aparecer em algum outro clube de Santa Catarina.

O clube vive um momento de incerteza política, é verdade. As eleições estão marcadas para este sábado, e Danilo Rezini diz pra quem quiser ouvir que não quer permanecer no comando. Mas como não escrevi sobre isso aqui no Blog, vou montar o quebra-cabeça que vai mostrar como o atual grupo deve permanecer no clube.

Na última quarta, aconteceu uma Assembleia do Conselho Deliberativo, a portas fechadas. Existia um grupo de torcedores (que não dá pra chamar exatamente de "grupo de oposição") que mostrou interesse em assumir o clube, já que todo o atual grupo diz na imprensa que está atrás de "alguém que assuma o clube". Surpreendentemente até certo ponto, o atual presidente, Célio de Camargo, foi reeleito para mais dois anos de mandato, e já marcou a eleição da diretoria para este sábado, em um almoço na sede aquática da Sociedade Bandeirante.

Raciocinando: o presidente disse aqui na TV que a ideia era fazer a eleição em novembro, para dar tempo de se encontrar o tal nome. Mas ao marcar o pleito a pouco mais de uma semana da assembleia dos sócios, é porque aí tem coisa. Esse blog também recebeu uma informação que, na próxima quinta, haverá uma reunião para tratar das alianças políticas para as eleições de 2012, onde o prefeito Paulo Eccel é candidato a reeleição e conta com o apoio do PPS, partido que Rezini é presidente do diretório municipal, e que fez uma boa votação para a Assembleia em 2010. Bom também lembrar que a Prefeitura ajudou o Brusque com um repasse mensal, além de custear o transporte nas longas viagens da Série D. Logo, eu imagino que o prefeito esteja esperando algum tipo de retribuição de Danilo, que tem seu apoio cobiçado depois das últimas eleições.

Eu acredito que esse mesmo grupo permanecerá a frente do Brusque em 2012. Não sei se sob o comando de Rezini, que vem sendo procurado por partidos políticos para participar das próximas eleições. Mas quem tem o clube na mão, e se fazer uma boa campanha, tem uma forte arma para outubro.

Um comentário:

  1. Muito bom esse post. Rodrigo pegou todos os detalhes porque existe uma ligação muito forte entre futebol e política. Essa ligção é boa para os dois lados: para o futebol e para a política.

    O Brusque precisa do apoio do poder publico. O poder publico deve investir parte da receita para proporcionar lazer a população. O futebol é nosso maior lazer durante o ano.

    O Paulo sai muito fortalecido politicamente com o apoio ao Brusque FC. Se fizer o estádio então, está eleito deputado federal. Aliás, faz tempo que Brusque merece um deputado federal.

    Seria uma ótima estratégia o Danilo sair como vice prefeito na chapa do Paulo. Seria uma eleição ganha porque o Paulo se reelege fácil na próxima eleição. Como vice prefeito, poderia trabalhar a candidatura para deputado na próxima eleição e depois para prefeito daqui a cinco anos.

    Para o Bruscão então seria uma maravilha, com o Danilo de vice prefeito o estádio sai de qualquer jeito.

    Com relação a esse grupo de torcedores que diz querer "pegar o Brusque" é uma piada. Esses caras não sabem o que estão falando. Alguém acredita que Prefeitura, Havan e todos os demais empresários vão continuar colaborando com o clube nas mãos de aventureiros?

    Com certeza o Danilo quer o bem do BFC e deve ter várias estratégias e composições montadas para evitar que esses aventureiros assumam para acabar com o clube. Ouvi algumas entrevistas com esses caras e a ingenuidade e falta de preparo é evidente. Desculpem a sinceridade, mas dá pena, não serviriam nem para dirigir um clube como o Poço Fundo.

    ResponderExcluir