sábado, 1 de outubro de 2011

Empate em Bragança: dois pontos jogados fora

Começando pelo final: Homero Santarelli deu entrevista nas emissoras de rádio detonando a arbitragem do jogo. Se o time tivesse auto-controle e segurasse a vitória, ninguém iria lembrar disso.

Vamos ao início da partida. Em vencendo, o Criciúma não diminuiria a distância para o G4, já que o Americana venceu sua partida. Mas tropeçando, o time dificultaria ainda mais a já complexa luta pela Série A. E olha que o jogo estava bom, com o time acertadinho, trabalhando bem os passes, uma mostra que, aos poucos, Márcio Goiano vai colocando ordem na casa (bom lembrar que ainda falta muita coisa pra ser feita).

Dois a zero no placar, partida teoricamente sob controle. O Bragantinho adotou uma tática kamikaze. O árbitro mostrou suas fraquezas sim, mas nada, absolutamente nada, que pendesse para o lado do time da casa. Fraqueza de árbitro detona qualquer jogo. O pênalti com expulsão de Anderson Conceição (já tinha amarelo) acendeu o alerta do "bola pro mato". Não deu. O time não teve cabeça para suportar a pressão, tomou o empate e por pouco não tomou a virada, com uma bola na trave do Bragantino.

A distância pro G4 era de sete, agora é de nove pontos. Eu já desisti de fazer cálculos pro acesso, há tempos penso que o Tigre tem que focar em ficar na B e se reestruturar pro ano que vem. Mas há quem ainda acredite em uma improvável reviravolta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário