domingo, 27 de novembro de 2011

Jogo é jogo, decisão é decisão

Foto Carlos Amorim / Figueirense FC
Foi nesse espírito que o Figueirense complicou bastante a sua árdua tarefa de tentar chegar à Libertadores. Não jogou mal, mas em momentos decisivos há de se mostrar um algo a mais. Foram seis pontos disputados em casa, e o time só precisava de unzinho para só depender de si no clássico contra o Avaí. Não teve tal competência.

Usando um pouco da máquina do tempo para destrinchar o jogo. Vendo alguns textos antigos do Blog, vi que, lá no começo do campeonato, a principal reclamação que recaía sobre Jorginho era a falta de qualidade no setor de meio-campo para abastecer o ataque. O time tinha dificuldade em marcar gols, até que o problema foi consertado, e isso puxou a excelente fase alvinegra. Eu vi no jogo de hoje um flashback: novamente, um time que controla bem a posse de bola, muitos passes mas sem criar perigo a gol. E numa jogada individual de Alex, Liédson fez o gol para sacramentar a vitória corintiana.

E em decisão, o time não pode regredir. Regrediu, e isso foi determinante para que o alvinegro caisse para sétimo na classificação.

Claro que a campanha alvinegra no Brasileirão como um todo não pode ser alvo de críticas, até porque o time entra na última rodada com chances de ir à Libertadores. Mas fica a sensação de que poderia ter ido mais longe em uma chance única, que apareceu e estava logo ali a frente.

Outro ponto a destacar são os relatos de torcedores e imprensa sobre tudo o que aconteceu no Scarpelli hoje. Olha, claramente estamos muito atrasados em relação à preparação para receber grandes eventos esportivos como esse. E digo em todos os aspectos, desde segurança, até venda de ingressos e organização para a imprensa. Se com 20 mil pessoas e um batalhão de profissionais foi complicado, imagine se um dia existir em SC um estádio para 30 ou 40 mil. Lições a serem assimiladas.

E o Coritiba entrou nessa briga pela Libertadores. Venceu o combalido Avaí e só depende de si para enfrentar a fase eliminatória. Basta vencer o Atlético-PR. O Figueira precisa vencer e torcer por tropeços. Se tivesse conseguido um empatezinho nos últimos dois jogos, bastaria vencer o Avaí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário