sábado, 26 de março de 2011

Imbituba escala jogador suspenso e está em maus lençóis

Em 2007, o Próspera escalou um jogador suspenso pelo terceiro amarelo, e mesmo conseguindo uma reação na reta final do campeonato, acabou rebaixado.

E o Imbituba não prestou atenção no TJD e poderá se complicar bastante na luta contra o rebaixamento.

E é fácil de descobrir a irregularidade. Na sessão de julgamento do último dia 22, terça-feira, o zagueiro Vitor Hugo, do Zimba, foi julgado pela expulsão na partida contra o Marcílio Dias, na abertura do returno. O jogador acertou um carrinho em cima do volante Gilberto, e acabou sendo apenado no Tribunal em duas partidas, sendo uma já cumprida. (Clique aqui para ler a decisão). Logo, ele teria que cumprir o segundo jogo contra o Criciúma, no dia seguinte.

Mas Vitor Hugo entrou em campo no jogo do Heriberto Hulse, e até acabou expulso de novo. Está facilmente configurado o deslize do Imbituba, que não olhou para o resultado do julgamento e escalou um jogador suspenso. A pena nesse caso é a perda de três pontos, o que deixaria o time na última colocação da classificação geral, com 11 pontos, três atrás do Metropolitano, oitavo e primeiro fora da zona de rebaixamento. Não rebaixaria o time do técnico Muller, mas tornaria a tarefa bem mais complicada. E ajudaria o Concórdia, que tenta uma recuperação histórica.

Os fatos são claros. Que o TJD não resolva complicar. Claro que todos nós queremos que as coisas se resolvam dentro de campo, mas regras estão aí para serem cumpridas.

sexta-feira, 25 de março de 2011

As quatro rodadas decisivas

Faltam quatro finais de semana para sabermos os rumos do Campeonato Estadual. Quem serão os postulantes à vaga na final, e os dois que vão voltar a jogar só no inverno do ano que vem, na Divisão Especial. Ambas brigas interessantes, sempre com resultados que fogem à lógica (e derrubam os palpiteiros).

A Chapecoense, já classificada, só não tem 100% de aproveitamento por causa de um descuido infantil contra o Imbituba. Poderia estar passeando nos seus 15 pontos, mas as vitórias fora de casa contra Criciúma e Metropolitano o colocam na iminência de garantir a final em casa. O Avaí, mesmo que ainda não mostre 100% do que se espera, mostra que está embalando, e terá dois jogos complicados, contra JEC e Figueirense, para tentar passar o Verdão e garantir a importante vantagem nas finais. O Figueirense pode pagar lá na frente os pontos perdidos contra Brusque e Concórdia tendo que jogar fora de casa as semifinais, enquanto o Criciúma tem outro tipo de preocupação: precisa, além de terminar o returno em boa condição técnica para ter chances de título, marcar pontos para garantir uma decisão em casa. A classificação geral só não importará caso o Tigre também leve a segunda fase. Aí, a final é no Majestoso de qualquer jeito.

O Joinville, com pontos perdidos em casa para o Concórdia e sem mostrar um futebol convincente, vai brigar pela quarta vaga e correndo muito risco. As declarações de Lima após a derrota em Chapecó expõem um problema grande de elenco: se o grupo estivesse fechado, ele não teria falado aquilo.

Vamos à briga na parte de baixo: o Brusque terá um jogo divisor de águas em Imbituba. Se vencer, distancia-se muito da zona de rebaixamento e entra em briga direta pelo G4, com dois jogos em casa por fazer. Ao contrário dos seus rivais na parte de baixo da tabela, a crise não ronda o plantel com intensidade. Mesmo não se pode falar de Marcílio Dias e Metropolitano. O marinheiro perdeu sua quarta partida seguida jogando muito mal contra o Brusque, e a pressão pros lados do Hercílio Luz é enorme. A diretoria optou por manter Gelson Silva, que terá um jogo tenso contra o emergente Concórdia. Perdendo, vai ressucitar o rival do Oeste e terá uma agenda dura pela frente, jogando contra Avaí, Chapecoense e Criciúma. O Metropolitano é outro que depende de muita reza para se manter. A vantagem é ter três jogos em casa, mas para tanto é necessário jogar bola, coisa que está faltando ao time de Lio Evaristo. O Metrô entrou no campeonato com o discurso que ia brigar pra não cair, e está cumprindo a risca o seu objetivo, ou não?

Lá embaixo, o Imbituba mostra irregularidade. Venceu dois jogos fora de casa, empatou em Chapecó, mas tomou quatro do Avaí dentro do Ninho da Águia. O fato de ter conseguido o empate em Criciúma, após estar vencendo por 2 a 0, o credencia como time perigoso. Mas precisa conquistar uma sequencia de resultados. O Concórdia apresentou uma supreendente reação sob o comando de Amauri Knevitz, pode até sair da zona de descenso se vencer o Marcílio, mas a sua situação ainda é crítica: tem três dos seus últimos quatro jogos fora de casa.

Promessa de jogos emocionantes nas próximas semanas.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Brusque fez o mais importante: venceu

Não foi um bom jogo no Augusto Bauer. Mas dentre as circunstâncias, o importante foi a vitória, os três pontos muito bem-vindos e a saída da incômoda posição na tabela. Pelo menos dá tranquilidade até o jogo em Imbituba.

O Brusque tinha improvisações, mas veio postado no 4-4-2 tradicional, com um esforçado Aloísio tentando segurar a posse na frente. O Marcílio deixou Rincón isolado na frente, apostando nas jogadas de contra-ataque e nas bolas lançadas ao rápido Adans. Faltou ousadia ao marinheiro, que até ajudou a frágil zaga brusquense, que não foi apertada por nenhuma blitz de dois meias e dois atacantes.

E aí o Brusque foi criando chances. Colocou uma bola no travessão e fez o único gol da partida com Leandrinho, que junto com Fabinho foram ao meu ver os melhores em campo. No segundo tempo, as alterações do Marcílio não arrumaram a equipe, e isso ajudou o time de Simionato, que perdeu duas chances incríveis de gol, com Kito e Paulinho, que poderiam fechar a partida.

Bom, como disse, o importante é que venceu. Aloisio deixou, de novo, o campo contundido. A diretoria já avisou que vai contratar um outro atacante, de preferência com característica de área, até sexta-feira, prazo final de contratações. Definitivamente, o ataque com Kito e Leandrinho juntos não funciona a contento. Logo, há de se achar uma peça de reposição que chegue na proximidade das funções de Aloísio.

Já o Marcílio... vai penar na reta final do Campeonato. Joga com linha de três zagueiros, mas de forma muito confusa. O time não chuta a gol, e mesmo com um meio de campo congestionado, deixou os meias do Brusque trabalharem. Também não entendi porque Gelson, atrás do placar, não abriu mão dos três defensores para montar um 4-4-2 clássico no início do segundo tempo, colocando um companheiro para o solitário Rincón, a fim de tentar algo a mais no ataque. Tem uma tabela difícil pela frente, e um jogo com o emergente Concórdia em casa que pode definir os seus rumos.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Sportv faz matéria sobre o BBB Concórdia. Veja!

Abaixo, vídeo da matéria feita pelo repórter Victorino Chermont, do Sportv, sobre o polêmico Big Brother Concórdia, em que o presidente do Galo do Oeste mandou instalar câmeras de vigilãncia na casa dos jogadores do clube:

Uma pequena atualização: O presidente do Concórdia deu algumas entrevistas dizendo que as câmeras de vigilância eram instaladas apenas nas entradas e saídas do prédio. A matéria do Sportv mostra que sim, haviam câmeras dentro dos apartamentos.

Palpitando - 5a. rodada

Vamos aos palpites da rodada do meio de semana. Reta final do returno, uns embalados, uns preocupados, e outros desesperados.

Avaí x Metropolitano - Dentro da Ressacada, um time que vem de goleada e que parece ter encontrado o rumo, contra outro em crise, depois de perder em casa. Leão sobe mais um pouco. Avaí 2 a 0.

Criciúma x Imbituba - Invicto em casa, o Tigre pega o Zimba que foi patrolado pelo Avaí dentro do Ninho da Águia, onde em outros tempos era imbatível. Mais um jogo tranquilo. Criciúma 2 a 0.

Brusque x Marcílio Dias - Jogo de rivais que estão na parte baixa da tabela, chamado jogo de seis pontos. Brusque não perde em casa há um ano, e vai pressionar um adversário com apenas um atacante. Jogo duro, mas vou de Brusque 2 a 1.

Chapecoense x Joinville - A Chapecoense costuma derrubar palpiteiros. E hoje tem o JEC pela frente, que se perder, complica muito sua situação. Mas vou dar mais uma chance pro Verdão: Chapecoense 1 a 0.

Concórdia x Figueirense - Sem Maicon e Breitner, o jogo promete ser complicado pro Figueira no Oeste, que tem mais time, mas o Concórdia deu uma melhorada nas últimas rodadas. Mesmo assim, acho que hoje sai a primeira vitória alvinegra como visitante. Figueira 1 a 0.

terça-feira, 22 de março de 2011

Meia Rosembrick, ex-promessa do Santa Cruz e Palmeiras, diz que é do Criciúma

Duas matérias que precisam ser lidas. Uma sobre a ida do jogador. A outra, sobre os problemas dele:

Matéria do site Super Esportes, de Pernambuco:


O meia Rosembrick mal saiu do Central e já pode ser anunciado como o mais novo reforço do Criciúma. Pelo menos foi o que disse o próprio atleta em entrevista exclusiva, na tarde desta terça-feira, durante o programa Superesportes na Rede. O jogador, segundo revela, estaria dependendo apenas de exames médicos para concretizar sua transferência para o clube de Santa Catarina.

De acordo com o jogador, a decisão de sair do Central se deu pelos seguintes motivos: "As coisas não estavam dando certo. Recebi uma proposta e preferi deixar o Central, acho que vai ser melhor para eles (Central) e para mim. Cada um vai seguir seu destino com novos ares", disse Rosembrick.


E a outra matéria, do mesmo site:

Em meio ao princípio de crise instalada no Central, o controverso meio-campista Rosembrick foi mandado embora do Lacerdão, um dia após a contratação do técnico Dado Cavalcanti. Segundo o presidente do Alvinegro de Caruaru, João Tavares, a dispensa se deu por motivos extra-campo.

"Ele estava desmotivado, sem clima. Pediu para ir embora e a gente não fez nenhuma objeção", falou o mandatário. Desde o começo (da temporada) que ele vinha dando problema. Ele é muito problemático", resumiu o cartola. Ainda de acordo com o presidente, o "Mago" não fará falta ao time centralino. "Existe muitos jogadores no elenco que podem substituí-lo. Rosembrick Não vinha rendendo a muito tempo, então não vai fazer falta", contou.


Será que o Tigre fez bom negócio?

Maurício Fofão, rumo ao futebol amador

O Campeonato de Futebol Amador da Liga Pomerodense é um dos mais fortes do Estado, com equipes que fazem um investimento digno de times profissionais, com contratações de jogadores em atividade em times profissionais e até de fora do Estado. Já soube de jogador de São Paulo, que no sábado pousava em Navegantes, jogava no domingo e voltava no mesmo dia a noite.

Mas uma das principais estrelas do Campeonato da LPD está fechando contrato com o Atlético Pomerodense. Segundo informações de amigos próximos, o time da cidade mais alemã do Brasil está acertando com Maurício Fofão, de 35 anos, ex-Atlético de Ibirama e Criciúma. Estava no Pelotas, onde no ano passado entrou em apenas três jogos, sem marcar gol. Aliás, de acordo com sites de estatísticas, ele não marca um gol em jogo oficial desde 2009, quando jogava no São Luiz de Ijuí.

Maurício esteve em Pomerode no último sábado na abertura do campeonato, onde o Atlético empatou em zero a zero com o Floresta, e fez a proposta financeira para o presidente Márcio Kreutzfeld, que está negociando para contar com o atacante. Segundo jogadores do Atlético, a situação está praticamente definida, e Maurício poderá estrear neste domingo, quando o time vem a Brusque enfrentar o Poço Fundo, no Estádio Guilherme Bunn.

E vários jogadores com passagens pelo profissional estão neste campeonato. No Atlético estão o goleiro Fabiano, ex-Brusque, o lateral Decarlos, ex-JEC, e o atacante Paulinho, também ex-Joinville.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Segundona 2011 definida. Juventus desiste

A reunião que definiu a realização da Divisão Especial, a segunda divisão de Santa Catarina, trazia algumas expectativas: saber se o Atlético de Ibirama iria voltar após a sua licença, se o Juventus de Jaraguá estaria presente, já que as informações são de uma desistência, e se alguém iria desistir, abrindo uma possibilidade para, de repente, um acesso do Guarani de Palhoça.

O Juventus entregou nesta segunda um pedido formal de desistência da Segundona. Os outros nove times esperados confirmaram presença: Atlético de Ibirama, Atlético Tubarão, XV de Outubro, Hercílio Luz, Próspera, Camboriú, Joaçaba, Porto e Caxias de Joinville, campeão da Divisão de Acesso.

Resta saber o que será feito da vaga do Juventus. Existem três possibilidades: permanecer com nove clubes sem descenso, trazer de volta o rebaixado Videira, ou promover o Guarani de Palhoça, vice da Divisão de Acesso.

O campeonato começa em 7 de agosto e termina em 3 de dezembro. O regulamento é quase igual ao Estadual da Primeira Divisão, com a diferença que os confrontos semifinais e finais de cada turno acontecerão em dois jogos. A principal novidade: no meio do campeonato, um dos times que subirão será conhecido, o campeão do turno. Logo, este time terá tempo para planejar a temporada de 2012.

Agora é ver se alguém mais desiste antes de começar o campeonato.

domingo, 20 de março de 2011

A rodada: Verdão recupera, Leão passeia e Figueira preocupa

Os jogos deste domingo mostraram diferentes situações que podem determinar os rumos do returno deste Campeonato Estadual.

Em Blumenau, a Chapecoense bateu o Metrô por 3 a 1 e recuperou os pontos perdidos em casa contra o Imbituba (poderia ser uma baita disparada, não fosse o pênalti mal cobrado pelo Aloísio no Oeste). O resultado alavanca a Chape aos 10 pontos no returno, mantendo a liderança e colocando o time bem próximo da classificação. Já o Metropolitno perde um jogo importante em casa, terá o Avaí pela frente e segue correndo sérios riscos na parte de baixo da classificação geral.

Nos jogos da noite, o Avaí passeou em Imbituba, vencendo por 4 a 0, jogando bem e mostrando que William é uma peça indispensável dentro da equipe. Sem ele, o time não rendeu o que se esperava de um favorito ao título. Na sua volta, a impressão deixada foi a melhor possível, e agora sim mostra a cara do time que vai brigar pelo título do returno.

E no Scarpelli, um jogo que transformou o Figueira numa panela de pressão. O Alvinegro enfrentou um retrancadíssimo Marcílio Dias, jogando com duas linhas de marcação e que dificilmente ia ao ataque. A pressão durou todo o primeiro tempo e parte do segundo sem sucesso, até que o Figueira achou um gol com João Paulo, em um bate-rebate na área. Com Breitner expulso, a receita era segurar o resultado, mas Jorginho colocou o criticado Wellington no lugar de Reinaldo, invocando o coro de "burro"da torcida. Nem o gol de Dudu no final apagou o barulho das vaias ao fim da partida. É notório que Jorginho está desmontando o que Márcio Goiano montou em um ano a frente do time. Uma equipe que tinha um bom sistema defensivo e eficiente armação na meia em um time estranho, com só um volante e três meias, que não renderam em nada, um ataque que não conseguia furar a linha de zaga, e um time com excessivo número de faltas (cinco cartões amarelos e um vermelho) que denotam uma intranquilidade em campo.

O time que passeava no primeiro turno não é mais o mesmo no segundo. E isso abre possibilidades para Avaí e Chapecoense, que vêm despontando nesta metade da segunda fase.

O passeio do Tigre no sábado

Como é bom um time vencer um adversário que não oferece resistência, aceita a pressão, não marca, não cria, não exige do goleiro...

Foi assim o Brusque hoje em Criciúma. Fica até complicado pra analisar o Tigre em campo, já que definitivamente, o time não foi exigido, venceu ao natural.

Já o Brusque foi um verdadeiro monstrengo em campo. Não jogou no 3-5-2 por nenhuma vez em todo o ano, surpreendeu todos ao entrar em campo assim. Um esquema desse tipo precisa ser muito bem treinado para funcionar a contento, e demorou apenas quatro minutos para ser vazado, com um gol de cabeça do baixinho Roni. Depois Pirão faria o segundo em um rebote de escanteio e Roni faria o terceiro no segundo tempo, num belo chute de fora da área.

O Brusque entra numa decrescente preocupante nesta reta final do returno. Não vence há cinco jogos. E o técnico diz que "se vencermos as três em casa e mais uma fora, estamos classificados". Na teoria é isso mesmo. Mas eu pergunto: hoje, o time merece vencer? Houve uma melhora de rendimento? Definitivamente não. E o fato de que agora os quatro grandes se passaram não pode ser usado como desculpa. A resposta deve vir com vitórias. Qualquer resultado que não seja a vitória contra o Marcílio na quarta-feira pode detonar uma crise sem tamanho. Nestor, olhe o caso da Chapecoense no ano passado, que achava que estava tudo sob controle e acabou caindo. Dessa vez, não vai ter desistência de Atlético de Ibirama pra salvar.