sexta-feira, 8 de abril de 2011

Palpitando - 8a. rodada

Reta final do returno, e cinco jogos importantíssimos no domingo. O Blog não fica no muro e palpita sobre os jogos da penúltima rodada:

Joinville x Imbituba - Dentro de casa, o JEC deve vencer o frágil Imbituba. Vai ser o empurrão que falta até a queda para a segundona. JEC 2 a 0.


Concórdia x Chapecoense - O clássico da linguiça está cercado de muita expectativa. Bom notar que o CAC está desfalcado da sua dupla de zagueiros titulares. Mas vou jogar no mesmo placar do turno. Empate em 2 a 2.


Marcílio Dias x Avaí - Tudo ou nada para o Leão, que pega um Marinheiro desesperado por uma vitória para se livrar do rebaixamento. Vou de Avaí 1 a 0.

Figueirense x Criciúma - Figueira embalado depois da vitória do clássico, contra um Criciúma que precisa fazer pontos. Para fazer a final em casa, tem que ganhar o returno. Vou em empate, 1 a 1.

Metropolitano x Brusque - Os números falam por si: O Brusque vem de três vitórias seguidas, e o Metrô não vence há cinco jogos. Nos úlitmos dois jogos dentro do Sesi, deu Bruscão nas duas. A rivalidade pode equilibrar o jogo, mas vou na estatística: Brusque 1 a 0.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Imbituba é punido no TJD em 4 pontos. E agora?

Por 3 votos a 2, utilizando do voto de minerva do presidente da 1a. Comissão Disciplinar, Eloar Antonio Lenzi, o Imbituba foi punido com a perda de quatro pontos pela escalação do zagueiro Vitor Hugo, que jogou contra o Criciúma suspenso em dois jogos, em julgamento que aconteceu no dia anterior à partida. O clube do Sul perde três pontos mais o conquistado no empate daquele jogo.

Vamos explicar direitinho: a decisão cabe recurso ao pleno sim, e muito provavelmente, o Imbituba vai recorrer. O argumento que colaborou com a decisão da maioria dos auditores é que o resultado foi enviado ao email indicado pelo Imbituba, sem contar que o próprio site da FCF dá ampla divulgação para o caso. Isso desclassificaria o argumento do Zimba, de que o aviso teria sido enviado ao Avaí. Mas é bom notar que a decisão foi apertada, e não foi a "absolvição fácil" que o presidente Robertinho Rodrigues declarou em entrevista no final de semana.

Com isso, o Imbituba cai para 11 pontos na classificação geral e está virtualmente rebaixado. Teria que vencer os dois jogos que faltam e torcer para que o Metropolitano perca os dois jogos que faltam para escapar. Missão praticamente impossível.

E sem contar que o Zimba ainda não foi julgado no caso Luan, que foi escalado para uma partida no turno suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Você pode me perguntar: pode haver reviravolta do Pleno? Da nossa Justiça Desportiva, eu não duvido nada. Sem contar que a pendenga ainda pode ir ao STJD, caso esses pontos façam falta.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Clássicos com uma torcida só? Não é a solução

Proibiram a cerveja nos Estádios. Adiantou alguma coisa? Não. O torcedor, se quiser, já entra no estádio embebedado.

Proibiram faixas com mensagens de protesto nos Estádios. Adiantou alguma coisa? Não. Sem faixas, o pessoal protesta no gogó mesmo. Sem contar a própria revolta em não poder fazer a sua manifestação, direito previsto na Constituição.

Sem contar algumas proibições pontuais que já vi acontecerem, como camisas de clubes, radinhos de pilha e até guarda chuva. De novo, não adiantou nada.

Agora, depois das ocorrências pós-classico da capital, onde ninguém foi em cana, o presidente do Avaí, João Nilson Zunino, sugeriu organizar os próximos encontros com apenas uma torcida no estádio. Não vai adiantar.

Nada impede que adversários vão misturados aos da casa, ou que façam tocaias nas cercanias. Quem vai pra Estádio só pra arrumar confusão é bandido. E bandido sempre arruma um jeito de aprontar.

As proibições que relatei acima, combinada com o fim da torcida adversária em um clássico seria a assinatura do atestado de incompetência das autoridades, que não dão conta de promover segurança em um jogo de público infinitamente menor àqueles clássicos de outros centros que recebem 40, 50, até 70 mil pessoas. Não coibiram o confronto, a Polícia não prendeu ninguém, e a Justiça Presente, que até tem uma ideia muito boa, não resolve muita coisa. Convenhamos, uma punição que faz com que o torcedor fique tantos jogos na delegacia não é nada educativa, pois a suspensão passa e o "torcedor" volta pro Estádio pra aprontar. Tem que haver cadeia pra quem apedreja uma criança ou solta uma bomba dentro de um estádio. Mas ninguém vai preso. E como a Policia não prende quem deve, as autoridades preferem retirar os direitos do torcedor de bem, aquele que vai exclusivamente para torcer pelo seu time.

Fazer jogo de uma torcida só não vai resolver o problema. E não sei se não piora a situação.

Especificamente o caso da Ressacada, ainda não vimos as imagens do sistema de câmeras que poderiam identificar os maus elementos. Esperar ver alguém preso por causa disso já é sonhar demais.

Os Ecos do Clássico

A trabalho no jogo Brusque x Concórdia, pus a gravar a partida entre Avaí x Figueirense, para poder escrever alguma coisa hoje. Jogo assistido, não me restou dúvidas que o Figueira foi merecedor da vitória. O goleiro Wilson estava em noite inspirada e o time alvinegro foi mais competente que o rival. E coincidentemente, uma obra do torcedor avaiano, que acendeu os sinalizadores, paralisou o jogo, e no seu reinício, depois de uma boa esfriada, Reinaldo acertou uma pedrada de fora da área para matar o jogo.

Faltam duas rodadas pro final do returno, e há tempo para recuperação. Mas o clássico é fantástico pelas mudanças de opinião que causa. Jorginho ganhou muitos pontos com a torcida, que fazia a comparação direta com Márcio Goiano. E Silas passou a ser efetivamente questionado pela sua postura em campo. E com razão. Vi um Avaí desorganizado, abusando dos chutões e com uma escalação que não entendo. Não entendi a sua explicação quando perguntado sobre a não-escalação de Estrada. Diz ele que é o reserva imediato de Marquinhos, e não tem como colocá-lo em outra posição dentro do seu esquema. Então, que arrume, pois a articulação não funciona, e Marquinhos está devendo bastante no seu futebol.

Se o Figueira não fez uma partida brilhante, mas competente, serve como uma estrondosa motivação para a reta final do campeonato. Espantou o fantasma do desempenho como visitante, e vai para as duas partidas tentando o primeiro lugar, torcendo por tropeços da Chapecoense. E Jorginho agradece. Ganha alguns dias de trabalho tranquilo, onde poderá tentar implantar a sua filosofia. Cada vez, o time tem menos a cada de Márcio Goiano em campo. Resta saber se isso resultará em título ou não.

domingo, 3 de abril de 2011

Brusque pega no tranco, e entra no G4

O Brusque tinha um jogo perigoso contra o Concórdia, um time que vinha invicto, causando problemas ao adversário, desesperado na luta contra o rebaixamento. No final deu tudo certo, a vitória veio, mas foi necessário tomar um gol para que o time acordasse. Leandrinho, em ótima fase, brilhou e o time mostrou uma cara ofensiva, que levou o time ao terceiro lugar do returno.

O jogo começou muito chato, com poucas chances de ataque, até parecia que um time tinha medo do outro. Foi o Concórdia fazer o gol, num lance criado em um arremesso lateral, que a pancada foi assimilada pelo Bruscão. Aí se viu um time criando, e o empate não demorou pra aparecer. Aí o zagueiro Thomas foi expulso, e aí o jogo ficou sob controle. Leandrinho está em estado de graça, acertou uma pedrada de fora da área pra fazer o segundo e marcou o terceiro no segundo tempo, assegurando a vitória.

Agora, o Brusque é terceiro, e terá uma decisão de Copa do Mundo no próximo domingo, em Blumenau. A diretoria do Brusque cederá gratuitamente cinco ônibus para o torcedor empurrar o time em um jogo decisivo. Em caso de vitória, a briga contra a Chapecoense na última rodada será pelo mando de campo.

O time melhorou em relação ao jogo contra o Imbituba. Mas ainda há coisas pra consertar. Ainda bem que o jogo no Sesi é só no final de semana, logo, haverá tempo pra correções.

O sonho da classificação está próximo de ser realizado.