sábado, 16 de abril de 2011

Palpitando - última rodada

Última rodada do returno, e os palpites do Blog vem aí. O índice de acertos não vem sendo muito bom, mas a gente vai tentando:

Avaí x Concórdia - Time rebaixado contra time que precisa da vitória para confirmar a classificação em casa. Avaí 3 a 0.

Imbituba x Figueirense - O outro rebaixado recebe em casa o alvinegro, que pode garantir a primeira colocação do returno, desde que o Brusque apronte contra a Chapecoense. Figueira vence, 2 a 0.

Criciúma x Marcílio Dias - Jogo que não vale quase nada, a não ser pelas pequenas chances do Tigre se classificar. Criciúma ganha, 2 a 0.

Metropolitano x Joinville - O Metrô não quer mais nada no campeonato depois de vencer aquela caricatura de time do Brusque. Como o JEC é o único interessado no jogo, vai estar motivado. Joinville 1 a 0.


Brusque x Chapecoense - A Chapecoense precisa quebrar a invencibilidade do Brusque no Augusto Bauer para ser o primeiro colocado no Geral. Acho que o jogo vai ser ruim pros dois times, empate em 1 a 1.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Definido Grupo de Joinville e Chapecoense na Série C. Regulamento mudou

Confirmado agora pela manhã o Grupo D da Série C, em que os Catarinenses estarão.

É um grupo complicado, em que Joinville e Chapecoense terão a companhia de Brasil de Pelotas, Caxias e o rebaixado Santo André.

Tricolor e verdão terão pela frente um time tradicional que luta para voltar à primeira divisão do futebol gaúcho e que tem no Bento Freitas uma forte arma, outro time que surpreendeu no primeiro turno do Gaúcho mas caiu de rendimento na segunda fase, e o Ramalhão, rebaixado no Campeonato Paulista e que vem de dois descensos seguidos no Brasileirão.

É o Grupo da Morte. Se não dá pra palpitar quem classifica, pior é dizer quem desses será rebaixado.

E uma boa notícia, é que o Regulamento mudou. Antes, os dois classificados de cada chave faziam um simples mata-mata, pra saber quem subiria para a Série B. Agora vai ter mais drama: Os oito classificados se dividirão em duas chaves de quatro. Os dois primeiros de cada garantem o acesso, mas apenas o campeão de cada grupo fará a final. Haverá tempo para que os times se recuperem. Eu gostei.

Resumo da ópera: empate com gols e ótimas chances de passar

De tudo o que aconteceu no Engenhão, é melhor levar em conta que o Avaí conseguiu um empate com gols contra o Botafogo, e se não tomar gol na Ressacada, está na próxima fase da Copa do Brasil. Simples assim, é uma competição em que conta o confronto.

E o jogo teve um primeiro tempo curioso, onde o Avaí aproveitou aqueles 20 minutos de total dormência do adversário para fazer dois gols. Mas os antigos problemas de zaga voltaram a aparecer, e a dupla Bruno-Renan deu uma ajuda para o empate. No segundo tempo um jogo até chato, com Evando perdendo uma chance incrível.

Não venceu, mas levou pra casa um resultado muito bom.

Mas dá pra tirar duas conclusões da partida: além da mais óbvia, de que o time precisa melhorar muito de qualidade para encarar a Série A, também mostra que o time não é dependente de Marquinhos, que ficou em Floripa, ou com dores musculares, ou para as Bodas dos seus pais, como falam. Sem ele em campo, o time não alterou o seu rendimento na armação, dando o recado para que Silas, se quiser (e tiver coragem) pode colocar o Marquinhos no banco.

Não é o bicho pra classificar. O Botafogo também não é isso tudo.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

No Gauchão 2012, 1 milhão pra cada clube!

Você não leu errado. Um milhão de reais pra cada clube da primeira divisão do Campeonato Gaúcho em 2012. É de dar raiva a nós, que vivemos do lado de cá do Rio Mampituba, cujos clubes não chegam a receber um quarto disso.

Informação está no jornal Zero Hora de hoje, na coluna de Diogo Olivier:

“Vai saltar de R$ 600 mil para cerca de R$ 1 milhão a ajuda da Federação Gaúcha de Futebol aos clubes. Alguns já gastaram o dinheiro deste ano e encaminharam adiantamentos dramáticos para 2012. Há pedidos de R$ 300 mil só para mandar jogadores embora e honrar obrigações trabalhistas. São times que disputam o campeonato, fecham as portas e começam tudo de novo só no primeiro semestre do ano seguinte. Compreende-se as dificuldades do Interior, mas com esta mesada, mais as cotas de patrocínio, dá para exigir melhorias nos estádios. O dos Plátanos, em Santa Cruz, não oferece condições para uma transmissão de TV medíocre, que dirá aceitável.”

Vou repetir: um milhão de reais pra cada clube. Definitivamente, os clubes catarinenses não sabem negociar e a nossa Federação não faz o que o catarinense Noveletto faz por lá..

terça-feira, 12 de abril de 2011

Figueirense: Lodetti perde ação contra Jornal de Criciúma

Notícia do site do Tribunal de Justiça de SC, datada de 7 de abril:

O Tribunal de Justiça negou provimento ao recurso interposto pelo advogado Nestor Lodetti contra Gráfica e Editora Associados Aliança Ltda., proprietária do Jornal da Manhã, em razão de críticas a seu comportamento. A decisão da 6ª Câmara de Direito Civil confirmou sentença da comarca de Criciúma.

   Na edição de 30 de abril de 2007, o periódico publicou a seguinte nota: "Pior mesmo é um tal de Nestor Lodetti, o bocó aqui de Turvo, que foi para Floripa, se deu muitíssimo bem e incorporou a ilha e o Figueira. Até aí tudo bem. Agora, meu querido Nestor, tu negar [sic] a tua origem aí é mal [sic] né. Estás tão exibido e tão insuportável quanto os verdadeiros manezinhos da  ilha. Vai te deitar, vai Nestor.”

   Em sua apelação, Lodetti, que é o atual presidente do Figueirense Futebol Clube, postulou reforma da sentença. Alegou que as críticas feitas pelo jornal excederam o direito de livre expressão e de imprensa, e tiveram por objetivo atingir a sua pessoa, causando-lhe danos morais.

   O relator da matéria, desembargador Jaime Luiz Vicari, não entendeu dessa forma. Para o magistrado, o autor do texto agiu de acordo com a liberdade de imprensa. Ele também lembrou que pessoas públicas, como o dirigente, são muito mais expostas a críticas do que o resto da população.

   “O recorrente foi chamado de insuportável, exibido e bocó (que significa, conforme o dicionário Aurélio, acriançado, infantil, tolo, e não imbecil, como quer fazer crer o apelante). Na verdade, o que sofreu foi um aborrecimento, impossível de configurar dano moral indenizável”, anotou Vicari. A decisão foi unânime. (Ap. Cív. n. 2010.056575-8)

Copa SC com cinco times (até agora) vale alguma coisa?

Sem valer vaga na Copa do Brasil, a Copa Santa Catarina, por si só, se esvazia.

Eram oito, viraram seis, e agora são cinco times que até agora confirmaram sua participação. Antes, a CBF exigia um mínimo de seis equipes para que valesse vaga na Série D. Agora, esse número caiu para quatro, o que ainda dá ao campeão a possibilidade de ter calendário cheio em 2012.

E aí que é o importante. Copinha que não vale nada? Quem pensa grande e não tem calendário precisa jogar e entrar com tudo.

Olha o Brusque. Ganhou a Copa no ano passado e está tranquilo quanto ao seu futuro, planejando o seu ano já sabendo que o Campeonato Brasileiro é uma realidade. E vai defender o seu título neste ano, para garantir um calendário em 2012, no caso de não conseguir o acesso para a Série C. Assim, poderá ter de novo um planejamento completo na temporada seguinte.

Para a Chapecoense, realmente, a Copinha não valia muita coisa, assim como também não vale para o JEC. Talvez, como forma de preparação para a Série C, os dois times poderiam usar as partidas como boas experiências. Mas quem quer calendário, precisa jogar tudo o que sabe na Copinha. Entrar para participar, aí sim, é jogar dinheiro fora.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Brusque: pelo twitter, Lenilson critica Nestor Simionato

O meia Lenílson em seu twitter, pelo jeito, concorda comigo. Mas como a crítica vem de alguém de dentro do time, as consequências podem ser complicadas dentro do elenco. O jogador criticou a mudança de esquema tático do time, que em Blumenau usou de três volantes e apenas um jogador de criação, perdendo poder ofensivo, e consequentemente, o jogo para o Metropolitano:



Atualização das 15:33: Lenílson apagou o tweet acima, e diz que foi "mal interpretado" em novas mensagens nesta tarde. Ele escreveu: "Boa tarde, gostaria de esclarecer a todos pelo tweet colocado no final da noite passada que gerou um desconforto pessoal, interpretado mal por algumas pessoas que se aproveitaram pra gerar polemica! Que em momento algum citei nomes,ou fazer critícas como falaram! Que como colocaram em questao a minha pessoa em relação ao meu treinador que no qual eu tenho um respeito muito grande e uma ótima relação. Estamos numa semana decisiva onde vai esta em jogo nossa sobrevivência na competição e nós precisamos do apoio do nosso torcedor.

Pelo jeito teve puxão de orelha lá no Estádio. Então pra quem foi direcionada a crítica da mudança de esquema tático?

domingo, 10 de abril de 2011

Para vencer, tem que querer vencer

A frase "time que está ganhando não se mexe" é tão antiga quanto o início dos escritos sobre o futebol.

Por mais que seja uma frase manjada, ela cai mais uma vez como uma luva na derrota do Brusque pro Metropolitano.

Até agora estou querendo achar uma razão plausível para a alteração que Nestor Simionato fez. Um time que, se não estava bom, ia se acertando com dois meias, vira um retrancaço com três volantes, um meia perdido e um ataque desabastecido contra um time ameaçado pelo rebaixamento.

A resposta é: não há razão. O primeiro tempo mostrou que o sistema de marcação até funcionou, sendo que o Metrô só usava jogadas pelas laterais. Mas chega uma hora que o técnico precisa tomar a decisão de vencer a partida, coisa que era bem possível. Voltar ao esquema que melhor funcionou no ano, com dois meias encostando nos atacantes era a pedida. É inconcebível ver um time que, nas suas três alterações, trocou seis por meia dúzia, sem mexer em nada na postura do time.

E o jogo foi rolando. Primeiro tempo bem morno. Vendo que o Brusque não queria atacar, o Metrô foi gostando do jogo, criando, e o Brusque dando passos pra trás, permitindo que o limitado adversário chegasse. Pra resumir, pediram pra perder o jogo, e tomaram o golpe aos 37 minutos, no gol de Jairo.

Há o lance do gol anulado de Leandrinho no primeiro minuto, que pela imagem da TV Brusque não me pareceu impedimento. Já me disseram que Aloisio teria atrapalhado o goleiro, mas isso vou deixar pra ver amanhã. Mesmo assim: um time que está no G4 do Estadual precisa mostrar muito mais volume de jogo do que essa lenga-lenga que apareceu no Sesi. Méritos pra Lio Evaristo, que sabe que não tem um elenco de qualidade nas mãos, e consegue motivá-los ao máximo. E contou com uma ajudinha de Simionato.

A classificação é possível na matemática, mas acho praticamente impossível que ocorra. Se ganhar da Chapecoense, mesmo em casa, já é complicado, pior é esperar que o Metropolitano vá ganhar do Joinville (o JEC não vai se encher de volantes como o Brusque) ou o já rebaixado Concórdia pense em fazer o crime na Ressacada. O barco passou no Sesi hoje, e o Brusque não pegou. Hora de esperar um milagre, e já começar a ver as mudanças a serem feitas para a Copa SC e a Série D.