sexta-feira, 29 de abril de 2011

Top da Bola: Eleição da Seleção do Returno

O Instituto Mapa divulgou agora pela manhã a relação dos melhores jogadores do returno do Estadual, dentro da votação do Top da Bola. Agora, o pessoal da imprensa vai votar nominalmente nos melhores, para fechar a seleção da segunda fase do Catarinense.

A lista é a seguinte:

Goleiros: Max (Joinville), Rodolpho (Chapecoense) e Wilson (Figueirense)
Laterais direitos: Bruno (Figueirense), Nequinha (Metropolitano) e Thoni (Chapecoense)
Laterais esquerdos: Aelson (Chapecoense), Julinho (Avaí) e Rafinha (Metropolitano)
Zagueiros: Cássio (Avaí), Dedimar (Concórdia), Dema (Chapecoense), Grolli (Chapecoense), João Paulo (Figueirense) e Renato Santos (Joinville).
Volantes: Diego Zanuto (Joinville), Éverton Garrone (Chapecoense), Fabinho (Brusque), Gilberto (Marcílio Dias), Henik (Criciúma), Ygor (Figueirense).
Meias atacantes: Cleverson (Chapecoense), Maicon (Figueirense), Marquinhos Santos (Avaí), Ramon (Joinville), Roni (Criciúma) e Thomaz (Imbituba).
Atacantes: Aloísio (Chapecoense), Leandrinho (Brusque), Lima (Joinville), Neilson (Chapecoense), Schwenck (Criciúma)e William (Avaí)
Treinador: Giba (Joinville), Mauro Ovelha (Chapecoense) e Silas (Avaí).

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Criciúma aposta em Édson Gaúcho

A lista de candidatos a técnico do Criciúma tinha várias páginas, mas no fim, se apelou a uma solução, digamos, caseira.

Depois de negociar com Geninho, Márcio Goiano e Vagner Benazzi, foi só o presidente Antenor Angeloni voltar de viagem que a solução apareceu. E não é nem uma solução de 100 mil reais mensais, longe disso. Ele está de volta: o polêmico Edson Gaúcho retorna ao Tigre, onde viveu extremos, sendo campeão da Série B em 2002, mas segurando o abacaxi do rebaixamento em 2005.

Gaúcho também foi comentarista da Rádio Eldorado durante um período, até entrando em dividida com o treinador do Tigre à época, que não me recordo quem era. Depois de sua última passagem pelo Majestoso, em 2008, treinou apenas duas equipes: o Paysandu-PA em 2009 e o Vila Nova-GO m 2010.

É um treinador que gosta de frases de efeito e de pura motivação. Um amigo tem a definição perfeita: é o técnico do estilo "Vamo lá, porra!!", onde há muita motivação e menos estudo no comando do grupo de jogadores. É um tipo de solução que, pra mim, é boa a curto prazo, no meio de uma crise ou algo que exija uma reação rápida, como uma decisão de Campeonato Estadual. Se vai ser a solução para um campeonato longo como a Série B, só o tempo vai dizer.

Definitivamente, não é o perfil de treinador que eu esperava que Antenor Angeloni fosse contratar. Mas como disse ali em cima, pode ser uma solução a curto prazo para a decisão do Campeonato. Mas se ele bancou a escolha até o final do ano, que tenha boa sorte.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Avaiano e Alvinegro assistindo o clássico lado a lado

Você pode ter visto esse vídeo em outros Blogs, mas ele também tem que ter espaço aqui. Um avaiano e um alvinegro assistindo o clássico de domingo lado a lado. É sensacional!!

terça-feira, 26 de abril de 2011

Ministério Público Federal aciona Sky por falta de transmissões do PFC no Catarinense

Notícia de hoje, extraída do site do Ministério Público Federal de Santa Catarina:

O procurador da República em Caçador, Anderson Lodetti Cunha de Oliveira, assinou Representação que questiona a política da TV por assinatura SKY em relação à cobertura do returno do campeonato catarinense pelos canais PFC.
O documento foi encaminhado ao procurador-Chefe do MPF em Santa Catarina, Carlos Augusto de Amorim Dutra, pois, como a questão tem caráter regional, o feito deverá ser distribuído ao ofício da tutela coletiva ao consumidor, em Florianópolis.
Conforme a Representação, a SKY vende o pacote de jogos da maioria dos campeonatos estaduais, inclusive o campeonato catarinense. A venda se dá ao assinante SKY, através de um contrato no qual o cliente paga um valor adicional, por mês, e recebe o sinal dos canais PFC. Esses canais "PFC" transmitem os jogos do campeonato contratado.
Porém, no dia 17 de abril, na última rodada do returno do Campeonato Catarinense 2011, nenhum canal PFC transmitiu os jogos do campeonato catarinense, à exceção do jogo Avaí x Concórdia. Ou seja, segundo ele, a SKY simplesmente deixou de transmitir a última rodada do returno do campeonato catarinense, com jogos que valiam classificação e cruzamento da chave semifinal.
Para o procurador Anderson, a SKY lesou os assinantes do canal PFC, pois deixou de cumprir sua parte no contrato, de forma unilateral e abusiva, tratando os consumidores com enorme desrespeito e desconsideração. "Quem assina o PFC é porque quer acompanhar o seu time. O assinante que é torcedor cria expectativa para ver os jogos do fim de semana, programa-se e até deixa de assumir outros compromissos. A SKY parece ignorar essa realidade, e trata o consumidor de forma desrespeitosa."
Além da questão específica da rodada não transmitida, a representação inclui o questionamento acerca do direito à informação do consumidor. "Apesar da SKY vender o 'campeonato catarinense', percebe-se que ela somente transmitiu, durante todo o campeonato, os jogos que envolviam os times do Avaí, Criciúma, Figueirense e alguns do Joinville. Os jogos dos demais times, quando não jogavam com esses, simplesmente não foram transmitidos. Esse descumprimento do que foi contratado não foi informado em nenhum momento aos assinantes. Se a intenção fosse vender os jogos somente dos quatro times, a SKY deveria informar que somente eles seriam transmitidos, ao invés de informar que daria cobertura ao campeonato catarinense", argumenta o procurador.

Comentário do Blog: primeiro, a demanda deve ser feita também contra a Globosat, dona do PFC, além da NET. Nesse ano, a cobertura do Catarinense foi menor, já que o Joinville foi retirado da cobertura, sendo que não houve qualquer desconto no preço. Se foi prometida a cobertura de todos os jogos de Avaí, Figueirense e Criciúma, o procurador está certo em questionar o porquê de Avaí x Concórdia ter sido o único jogo transmitido na última rodada do returno. E há reclamações de assinantes da NET de Blumenau que não conseguiram assistir Figueirense x Avaí no domingo. E com certeza, mais reclamações vão aparecer.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Silas é cotado para assumir o San Lorenzo - ARG

Texto que extraí do site Futebol Portenho, que reúne todas as especulações que pipocam na imprensa argentina hoje. Nosso correspondente na Argentina informa que Silas é o preferido da torcida do time de Almagro para assumir o clube:

Ídolo eterno do Ciclón na década de 90, o ex-atacante Paulo Silas, hoje treinador do Avaí, é um dos nomes cogitados para assumir o San Lorenzo após a renúncia de Ramon Diaz do cargo técnico do clube, justo a uma rodada do clássico contra o Huracán, neste fim de semana.

Silas foi um dos últimos brasileiros a fazer sucesso no futebol argentino no ultimo século. Com a camisa do time de Boedo, entre 94 a 97, o então atacante ajudou o clube a quebrar uma série de 25 anos sem conquistar títulos ao lado do defensor Ruggeri e o goleiro Passet.
Em entrevista a edição impressa do Diário Olé, o hoje comandante do Avaí, finalista do Catarinense, admitiu que ainda não recebeu nenhum contato, mas que aceitaria negociar, apesar de ter contrato até o fim do ano.

“Ninguém do clube me telefonou até então. Estou no Avaí, com duas partidas importantes na qual estou totalmente focado. Se entrarem em contato comigo, ai sim posso pensar em alguma coisa. Tenho uma dívida de gratidão com a torcida do San Lorenzo, o que para mim é impagável. Mas, tenho que ver a realidade do atual momento e não tomar apenas como uma suposição do que poderia ser”, destacou ao diário.

Durante a manhã de hoje, o Futebol Portenho tentou contato com o ex-jogador e o seu empresário, mas os celulares se encontravam desligados.
Outros nomes cogitados para assumir o clube são o de Alejandro Sabella (ex-Estudiantes) e Nestór Gorosito (apesar da diretoria assumir que não irá entrar em contato com o treinador por conta dos incidentes recentes).

Macuglia abandona o Tigre antes da decisão

Uma bomba caiu no Heriberto Hulse na manhã de hoje, com o anúncio do técnico Guilherme Macuglia, que deixa o Tigre para disputar a Série C pelo Caxias.

Uma saída sem muitas explicações. Macuglia se limitou a dizer que "o Caxias é um projeto pessoal meu", e não deu muitas pistas sobre o que levou a sua saída, se foi pela proposta financeira ou algum problema interno do clube, até um desgaste. Mostrou certo desânimo nas suas palavras, não procurou polemizar, e deixou o presidente Antenor Angeloni com uma tremenda bomba na mão.

Deve ser algo bem grave. Ninguém abandona o barco com a real possibilidade de se tornar campeão estadual daqui a duas semanas. Não é a primeira vez que isso acontece: em 2000, Zé Antônio Martins comandou o Marcílio Dias até a semi-final do Campeonato Estadual, quando pediu demissão e deu seu lugar a Leandro Campos.

E o Tigre precisa agir rápido, pois tem decisão daqui a 13 dias. O sonho do torcedor é Márcio Goiano, ex-Figueirense e que conseguiu colocar o Grêmio Prudente nas oitavas da Copa do Brasil, com boas chances de seguir em frente. Não evitou o rebaixamento do time no Paulista, mas a melhora do time foi evidente. Não sei até que ponto a chance de tirá-lo de lá existe, mas de qualquer forma, o relógio é inimigo da diretoria do Criciúma. E pensando numa decisão contra Avaí ou Chapecoense, o tirno não pode ir na direção errada.

domingo, 24 de abril de 2011

Chapecoense e Avaí, os competentes venceram

Habemos final de returno. Em jogos com caras bem parecidas, ambos com gols vindos de bola aérea, Chapecoense e Avaí, cada qual com suas pedreiras, foram mais competentes que seus adversários nas semifinais vão decidir quem enfrenta o Criciúma na final, em jogo único, na Arena Condá.

Em Chapecó, a Chapecoense mostrou porque é a melhor campanha do Estadual. Fez uma boa partida, dominou o adversário e venceu com autoridade, mostrando as dificuldades que os adversários terão jogando o Oeste. O time não tem nenhum craque que decide, mas um conjunto bem treinado por Mauro Ovelha, diria eu o melhor que já teve nas mãos, com opções no banco de reservas que podem fazer uma correção de rota. A partida teve um primeiro tempo em que o JEC não parecia ser um time que estava em campo precisando da vitória para classificar. O time até chegava no campo de ataque, mas não criava chances. Apagado, o artilheiro Lima não apareceu e o Verdão construiu a vitória em duas bolas aéreas com grandes falhas da defesa tricolor. Sem ser ameaçado em nenhum momento, o Verdão está a três empates de ser campeão estadual. Mas há a promessa de um grande jogo no próximo domingo, contra um Avaí ultramotivado.

Isso porque em Floripa, os mesmos cruzamentos que decidiram a classificação da Chape resolveram a parada no clássico. Eu esperava muito mais do Figueirense, que pelo menos conseguisse manter o mesmo equilíbrio que houve no último encontro, na Ressacada. Não aconteceu. O cruzamento de Marquinhos para William, no começo da partida, foi um duro golpe para o alvinegro, que não conseguiu fazer as suas jogadas entrarem. Não vi o scout, tenho certeza que o Figueira teve muito mais posse de bola do que o Avaí, mas não adianta chegar ao ataque sem eficiência para concluir. Faltou alguém diferenciado para concluir, e o tempo foi passando para o Leão, que controlou a partida. Silas colocou Fabiano no lugar de Rafael Coelho para reforçar a marcação, com sucesso. E no final, em mais um cruzamento de Marquinhos, Estrada fez o segundo e matou a parada. O placar até podia ser maior, para alegria da torcida, mas o que interessou foi o resultado, que levou o Avaí, que não estava entre os favoritos ao título, a um possível candidato ao tri.

E nessa arrancada avaiana, a próxima parada será em Chapecó, contra um adversário que é o melhor do Estadual, não perdeu em casa e terá casa cheia para empurrar o time. As armas da Chapecoense são bem diferentes das do Figueirense. A defesa verde, por exemplo, tem uma eficiência muito melhor em bolas aéreas, e tem um camisa 9 com poder de decisão. Será um grande jogo, e nesta semana a gente vai falar muito sobre isso.

Venceu quem foi competente em 90 minutos. Quem fez gol, segurou o adversário e não sofreu nenhuma pressão exagerada.