sábado, 28 de maio de 2011

A desmotivação continua, Galo 3 a 1

Dois jogos, duas derrotas e sete gols sofridos.

Pior: não apareceu nada, absolutamente nada de novo em relação ao jogo contra o Vasco, quando se esperava uma remotivação que faria a equipe jogar ao menos ligada contra o Atlético-MG.

E nada aconteceu.

O Avai voltou a jogar muito mal, tomando três gols em bolas de escanteio, mostrando um problema crítico de marcação que já vem de algum tempo, mas não consegue ser corrigido ou sequer minimizado por Silas. O técnico avaiano, aliás, que continuou com suas invenções. Mais uma vez, o time não foi pra cima do adversário jogando em casa. Esperou o Atlético atacar, para tentar um contra-ataque absolutamente ineficiente. Quem está com a cabeça em outro lugar, caso de Marquinhos e Julinho, não apareceram. E só quando a vaca já estava no brejo que Estrada foi pro jogo. E para mim, foi o melhor em campo.

É um jogo que, se analisado, vai ter um resultado bem parecido com o jogo do Vasco. O time avaiano vai ter que entrar num processo de reestruturação urgente durante a Série A. Ainda bem que estamos só no início. Além das contratações que são urgentemente necessárias, Silas tem pela frente um elenco que precisa urgente de motivação, a famosa "chacoalhada".

Um fato novo precisa aparecer com urgência. Há muito campeonato pela frente, mas a paciência do torcedor não aguenta muito.

Segundona: Marcílio Dias e Hercílio Luz fazem parceria

A Divisão Especial de SC está chegando, e vamos trazer algumas notícias por aqui.

As equipes já estão se movimentando para o campeonato, e o Hercílio Luz de Tubarão já confirmou que Joceli dos Santos, atualmente no Marcílio Dias, será o seu treinador, e Hudson Coutinho, que também está em Itajaí, será o Preparador Físico. Haverá uma parceria entre os dois clubes, bem semelhante com o que aconteceu ano passado entre o Concórdia e Ypiranga de Erechim, com uma diferença: o Marinheiro cederá um bom número de jogadores e não o elenco todo como aconteceu com o CAC. Aqueles que interessarem ao Hercílio e tiverem contrato vigente até pelo menos o final do ano serão cedidos ao clube de Tubarão. Falta definir como ficaria a questão salarial.

A parceria será oficializada até no máximo no dia 10 de junho. O presidente do Marcílio, Abelardo Lunardelli, está em viagem, e ao retornar, os detalhes da parceria serão definidos.


Quem faturar o primeiro turno da Divisão Especial, que tem regulamento modificado, vai se dar bem, pois já garantirá o acesso no meio do Campeonato, tendo tempo mais do que suficiente para se planejar visando 2012. Uma segundona animada vem por aí.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Brusque mostra atitude e vence

Um dos ingredientes que são necessários em um time vitorioso é atitude. Depois da parcimônia vista na derrota pro Metropolitano, o mínimo que se esperava do Brusque era uma mudança de atitude.

Longe de dizer que o time está pronto pra Série D, mas o modo como a equipe jogou ligada contra o JEC e construiu a vitória é, sem dúvida, uma boa notícia.

Itamar Schulle mudou o time, colocando dois meias em campo e dando outra dinâmica à equipe em campo. Aloisio Chulapa participou muito do jogo (só faltou o gol dele) e o adversário foi pressionado como queremos ver. Destaque pra boa estreia do atacante Lê, que entrou no lugar de William, machucado, e deixou o seu. Agora a situação melhora muito na Copa SC. O Bruscão tem um jogo difícil contra o Marcílio Dias de Joceli dentro de casa, e viaja para Concórdia depois. Duas vitórias que são possíveis.

Já o JEC, em montagem para a Série C e com jogadores por estrear, nem precisava estar participando da Copinha. Entrou no torneio e, com um ponto, vai criando uma crise que poderia não estar acontecendo. Giba arma o time de um jeito estranho, e não sei porque não quis usar o atacante Chris no lugar de Lima, que acabou expulso. Se a Copa SC é um laboratório para a Série C, como dizem por lá, o time precisa mostrar muita, mas muita melhora até chegar o Brasileirão.

Um jogo que se não foi maravilhoso, foi quente, com três expulsões e jogadas ríspidas. O Brusque segue em frente e parece ter encontrado um rumo, ainda que seja necessária uma segunda partida como contraprova. Já o JEC terá uma folga na próxima pra fazer um auto-exame das suas prioridades.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Nervoso, desnorteado e eliminado

O sonho do Avaí acabou.

Acabou com o time perdendo para o Vasco sem oferecer qualquer tipo de resistência. Quarenta e cinco minutos que acabaram com a grande chance que o time tinha para chegar na Libertadores. Um sonho que começou a desmoronar aos quatro minutos de jogo, com o gol contra (de novo) de Révson. Mas não foi o tal gol contra o responsável pela péssima atuação. Durante a semana, todos usaram um discurso duro, contundente, focado na decisão desta noite. Chegou o jogo, e o tal discurso não apareceu em campo.

O Vasco passeou em campo no primeiro tempo, e o Avaí solenemente assistiu. Não aceito o discurso de que "o Vasco fez uma partida perfeita", "foi impecável", essas coisas. Como dizer isso se o time enfrentou ninguém, um adversário bagunçado que abusou do chutão e sequer pensou em organizar uma jogada de meio-campo para chegar no gol de Fernando Prass? Foi uma classificação sem estresse. O time entrou acuado, nervoso, e quando perdia a partida, não buscou o ataque como deveria. Silas, aliás, que tirou Acleisson ainda no primeiro tempo e desmontou a marcação sobre Felipe, colocou Romano em uma posição que nunca havia atuado e não abriu mão dos três zagueiros nem mesmo quando perdia por 2 a 0. Acho que ele deveria saber que, se abrisse o time, poderia tomar mais....

Não deu para chegar na decisão, e agora é pensar na Série A, onde a derrota de hoje expôs várias falhas que vinham sendo de certa forma acobertadas pela boa campanha na Copa do Brasil. Marquinhos, de péssima atuação hoje, está indo embora, dando espaço para que o clube procure uma melhor opção pro seu setor de criação. Outros jogadores poderão sair dando início a um novo time que encarará o resto do ano.

O Avaí chegou longe? Talvez. Mas que pelo menos fosse eliminado jogando com a mesma vontade de outras partidas. Há de se ter cabeça feita em momentos decisivos. E hoje, os jogadores azuis não tiveram.

Foto: Marco Dutra - FutebolSC.com

quarta-feira, 25 de maio de 2011

A noite do Avaí

Chegou o dia.

O Avaí enfrenta o Vasco nesta noite tentando uma inédita decisão de Copa do Brasil. O desafio é complicado, contra um adversário tradicional, que já esteve na decisão mas que também busca uma conquista inédita. Mas o bom resultado da partida de ida traz uma situação bem mais confortável para o Leão: basta não tomar gols.

O Departamento jurídico do clube teve uma grande vitória ontem, conseguindo liberar Rafael Coelho para o jogo de hoje contra o seu ex-time, e isso vai trazer mais trabalho para a defesa do Vasco, que precisa vencer a partida. E quem chegou até aqui, depois de eliminar Botafogo e São Paulo, não pode ter medo do time cruzmaltino. E aí a análise é técnica e já escrevi aqui: o Vasco não é melhor que o São Paulo. Com a faca e o queijo nas mãos dentro de casa, tudo indica que teremos Santa Catarina pela terceira vez na final da Copa do Brasil.

Hora de deixar de lado o caso Marquinhos, que tomou conta do noticiário dos últimos dias, de certa forma encobrindo a própria preparação dos últimos dias. Deixemos isso pra depois da decisão. E é hora daquela torcida que empurrou o time na reta final da Série A do ano passado dar o ar da sua graça (e vai dar, casa cheia) para colocar o time a dois jogos da Taça Libertadores.

Boa Sorte, Avaí!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Via release de assessoria, Ygor provoca Avaí

Tenho recebido vários emails de assessores de imprensa, os chamados "releases". Mas esse me chamou atenção. Veio assinado por Flávio Dias, da assessoria do jogador Ygor, do Figueirense. No email, o jogador diz que "o Avaí não é nenhum bicho de sete cabeças" e que torce pelo Vasco.

Assim, eu penso que jogadores do Figueirense não têm nada que entrar no papo do Avaí na Copa do Brasil até por que o time não participou desta competição, e muito mais usar assessoria de imprensa, passando por cima da própria assessoria do clube, para criar algum tipo de animosidade.

Abaixo, o texto:

VOLANTE DO FIGUEIRENSE AVISA AO VASCO QUE VENCER O AVAÍ NA RESSACADA NÃO É BICHO DE SETE CABEÇAS

Criado e crescido dentro do Vasco, o volante Ygor hoje é uma referência no Figueirense. Respeitado dentro do clube que atualmente defende, o jogador guarda no entanto amizades e contatos da época que jogava no Rio de Janeiro. Foi no Vasco que conquistou o último título do cruzmaltino, no carioca de 2003, e nele também chegou a uma final da Copa do Brasil diante do Flamengo em 2006. Mas às vésperas de uma decisão em Santa Catarina entre seu ex-clube e seu maior rival, o Avaí, por uma vaga na final da competição nacional, Ygor não se furtou em indicar alguns caminhos para que o Vasco consiga a classificação na Ressacada.

"Estou no Figueirense, defendo o clube com maior prazer, alegria e raça, mas não deixo de ter o contato com o Vasco. Eu e meu irmão saímos de lá e hoje vejo a pressão em Florianópolis sobre este jogo de quarta-feira, envolvendo dois clubes que estão muito próximos de mim. Acho que o Vasco pode vencer e bem. Não é um bicho de sete cabeças a vitória sobre o Avaí. Eu, por exemplo, em um ano e meio de Figueirense, joguei três vezes lá e não perdi, com uma vitória e dois empates. Quando o jogo é no campo deles, sempre botamos a bola no chão e tiramos o que o Avaí tem de mais forte, que é a ligação direta, principalmente para o Willian que escora para quem vem de trás, aproveitando os chutões dos zagueiros. Se o Vasco parar esta ligação ou marcar bem o Willian, chegando também firme no Marquinhos e no Julinho, que armam o time, pode vencer e se classificar. O campo é bom, grande e o Vasco tem jogadores decisivos, que gostam deste tipo de partida", disse o volante.

Ygor falou também da bola parada do Avaí como perigo, que deve ser neutralizado."A batida lateral é muito perigosa. O Marquinhos é bom neste tipo de lance. Se marcar com atenção, ela morre. Só que estou falando aqui estando de fora. Assim como o Vasco tem estas preocupações, provavelmente o Avaí deve ter as dele. Acho só que não vão sair de qualquer maneira, só na boa, defendendo muito. A Copa do Brasil é uma competição diferente em que se precisa jogar com o regulamento. Camisa não ganha nada. É necessário ter inteligência. Se o Vasco fizer um gol, muda tudo, por que a vantagem inverte. O Avaí passa a jogar só pela vitória e pode se abrir. Qualquer coisa pode acontecer, mas o jogo vai ser muito bom, com certeza", concluiu Ygor.

Flávio Dias
Flávio Dias Assessoria
www.fdassessoria.com.br
@fdassessoria
flaviodias@fdassessoria.com.br

Brusque x Marcílio na segunda.

A diretoria do Brusque faz coisas que até Deus duvida....

Na sexta passada, havia jogo contra os juniores e juvenis do Avaí aqui na cidade. O time azul já estava em Brusque almoçando, quando algum diretor do Brusque teve a brilhante ideia de cancelar a partida, e concordar em fazer os dois confrontos, este e do returno, em Florianópolis. E nem tinha chovido tanto assim.

Depois, a diretoria avisa que o time iria treinar em um campo sintético no longíquo bairro Ponta Russa. A imprensa foi toda pra lá, e deparou com o portão fechado. O treino era em outro lugar.

Domingo, o técnico Itamar Schulle, em entrevista à Rádio Cidade, desce o sarrafo na diretoria, ameaça sair se não vierem contratações de qualidade, criando um claro desconforto. A diretoria tentou contemporizar, disse que não havia problema algum, mas o técnico estava absolutamente certo.

E hoje, a diretoria transfere o jogo contra o Marcílio Dias para segunda-feira a noite, horário que nada tem a ver com futebol.

Série D tá chegando.... onde esse time vai parar?

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Santa Catarina perde Mundial de Handebol Feminino para SP

Notícia publicada na coluna "Painel FC", na Folha de São Paulo de hoje, 23 de maio:

"Foi acertado ontem que o Mundial Feminino de Handebol acontecerá em São Paulo, entre novembro e dezembro. Na capital paulista, a sede será no Ibirapuera. Barueri, Santos e São Caetano também receberão jogos da competição. Havia sido cogitado colocar Santa Catarina como sede, mas a ideia foi descartada. O acordo entre Secretaria Estadual de Esporte e Federação Internacional de Handebol deverá ser anunciado hoje".

A pedra vinha sendo cantada. Confirmada como sede do Mundial há dois anos, Santa Catarina vinha demorando demais para viabilizar o Campeonato Mundial, evento que traz um bom número de visitantes e movimenta a economia do Estado. Aí aconteceram problemas na nova Arena em Florianópolis, apareceu a possibilidade de dividir com Curitiba até a confirmação das sedes no Estado, mas sem garantir o investimento necessário. Dirigentes catarinenses e da Confederação Brasileira iniciaram uma peregrinação atrás de dinheiro, e a notícia veiculada hoje na Folha põe por terra todo aquele discurso sobre o "torneio exemplar" que iria ser feito em Santa Catarina.

Segundo Marcelo Cavichiolo, superintendente da Fundação Municipal de Esportes de Brusque, que seria uma das sedes do Mundial, o Governo do Estado não iria dar apoio financeiro ao evento, e durante o Fórum Internacional de Esportes, que aconteceu ontem, a Federação Internacional se mostrou profundamente decepcionada com a falta de organização das autoridades estaduais, e deu prazo de 10 dias para que a CBHb procure uma nova sede para o campeonato, e daí surgiu a opção de São Paulo. Marcelo se mostrou bastante decepcionado com a fraca movimentação do governo do Estado, e diz não acreditar em uma reviravolta.

Quero ver as desculpas dos dirigentes que, repito, tiveram mais de dois anos para organizar o evento e o perdem faltando seis meses para o seu início.

domingo, 22 de maio de 2011

Que início de laboratório...

Para Metropolitano e Brusque, a Copa Santa Catarina é um laboratório sem muito público, em que se espera ver os dois times entrando em boa condição na Série D.

Os dois se enfrentaram na rodada de abertura. Meu Deus, que jogo ruim.

Perante 712 pessoas que pagaram ingresso, o Brusque saiu na frente com um gol de Thiago Cristian, e o Metropolitano virou com Juliano e Mateus, tudo no primeiro tempo. O segundo tempo foi de pegar sono, mas o que interessou foi a vitória do time de Blumenau na estreia da competição. Para o laboratório,só o sinal que os dois times precisam melhorar muito pra terem condições de subir.

Primeira rodada não dá pra avaliar muita coisa. Mas no caso do Brusque, um princípio de discussão pautou essa partida. O técnico Itamar Schulle reclamou publicamente da diretoria, que, segundo ele, demora demais nas contratações. Disse que entregou uma lista de nomes ao clube, que demora demais para pensar e quando vê, o atleta já está em outro time. E chegou a dizer que se não tiver como trazer jogadores de qualidade, não ficaria no clube. O ambiente está tenso pelo número pequeno de jogadores que o time tem a essa altura da preparação, e pelo que se viu em campo, muita coisa há de ser feita. Resta saber se a operação terá sucesso.