quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Aloísio Chulapa fora do Brusque

Acabou a era Aloisio Chulapa no Brusque.

Em reunião de diretoria na noite de ontem, o clube optou em liberar o atacante do seu vínculo, depois das declarações dadas por ele no domingo, quando ligou para a Rádio Cidade criticando veementemente o diretor Carlos Beuting e questionando a idoneidade do presidente Danilo Rezini.

Não havia mais clima para ele permanecer, e o próprio atleta já admitiu isso. Mas Chulapa não deixará a cidade. Permanecerá treinando no grupo do Brusque normalmente, até encontrar um outro clube das séries A, B ou C para jogar.

Ele prometeu "falar tudo" sobre os bastidores do clube em uma entrevista coletiva quando saísse do Brusque. Depois pediu desculpas, mas não adiantou. Ninguém foi atrás dele para falar aquilo. Ele que foi atrás da imprensa para instalar a crise no Bruscão.

A rodada 100%

Pela primeira vez na Série A, a dupla da capital vence seus jogos na mesma rodada. Em uma situação em que ambos precisavam muito vencer para apagar más fases, as vitórias vieram.

Em Fortaleza, o Avaí fez um partidaço, a melhor atuação no Brasileiro, e me chamou a atenção um fato primordial: o time manteve o mesmo rendimento durante todo o jogo, sem aqueles altos e baixos enormes de outras partidas. Uma interessante arrancada, com duas vitórias seguidas, que podem fazer o time sair da Z4 em caso de vitória contra o São Paulo. É deixar a animação com a torcida e continuar com o pé no chão, pois ainda há um longo caminho a ser trilhado pra limpar tudo o que foi perdido até agora. A bênção de Santa Paulina, presente na camisa do goleiro Felipe, parece que deu certo.

Já o Figueirense venceu aquele tipo de jogo divisor de águas. Se perdesse, provavlmente também perderia o treinador e colocaria o time em uma crise instalada. Mas não, o time jogou bem, venceu, e vai respirar ares mais leves. Jogo em que o alvinegro fez um primeiro tempo quase perfeito e depois partiu para administrar com sucesso. Fim de um tabu de seis jogos sem vitória que tira um peso enorme da cabeça de Jorginho, que poderá trabalhar com um pouco mais de paz. Ele precisa aproveitar a melhora do clima para reengatar no time uma subida na tabela. Time ele tem pra isso.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

A queda de Guto Ferreira e a chegada de Mauro Fernandes

A demissão do técnico Guto Ferreira do Criciúma é uma notícia que surpreende a essa altura do Campeonato. Há três rodadas, no jogo contra o Icasa, a sua demissão era dada como certa em caso de derrota. Acontece que ele venceu o jogo, depois bateu o Americana em casa com um gol no final, colocando o time numa confortável quinta colocação, para depois enfrentar Portuguesa e Ponte Preta fora.

Definitivamente, questão técnica não pode ter sido o motivo da demissão, neste momento. Ninguém falaria em derrubá-lo depois de uma derrota para o melhor time da Série B e a boa colocação atual na classificação. Ele pode ter inventado escalações, deixado jogadores de fora e criado polêmica. Mas hoje, não havia motivo técnico para troca de treinador. Foram 5 vitórias, 3 empates e 3 derrotas no comando do Tigre.

Aposto que a demissão surgiu de alguma coisa interna. E bem grave.

E assim como aconteceu na troca de Edson Gaúcho por Guto, o novo treinador já está contratado. Chega Mauro Fernandes, que coincidentemente completa 58 anos hoje. Ele subiu o América-MG para a Série A no ano passado, e tem muita experiência na Série B. Que tenha sido a escolha certa, baseada no sucesso em campanhas de acesso. Mas há de se deixar bem esclarecidos os motivos que tiraram Guto Ferreira do clube.



terça-feira, 2 de agosto de 2011

Conheça a Segundona: Hercílio Luz

HERCÍLIO LUZ FUTEBOL CLUBE
Fundação: 22 de dezembro de 1918
Cores: Vermelho e Branco
Estádio: Aníbal Costa (10.000 lugares)
Presidente: Michel Mussi
Técnico: Joceli dos Santos
Ranking "BdR" 2010: 15o. lugar
Catarinense 2010:  5o. lugar na Divisão Especial



Um dos mais antigos clubes de futebol de Santa Catarina, bicampeão estadual em 1957 e 58, o Leão do Sul vem para uma Divisão Especial tentando sair da síndrome do quase. Bateu na trave em 2009, e no ano passado, ficou na beira para conseguir a classificação ao quadrangular final, e nessa partida tratou de reforçar bastante o time para conseguir o acesso. Tem uma briga interna na cidade com o Atlético Tubarão, que joga a 400 metros do Aníbal Costa, o que acaba, consequentemente, dividindo as atenções junto a comunidade tubaronense e criando uma concorrência em busca de recursos no empresariado da chamada região da Amurel.

A diretoria aposta alto para conseguir o acesso. A começar pelo técnico, Joceli dos Santos, de larga rodagem no futebol catarinense, e que conseguiu o acesso do Imbituba, em 2009, além de conquistar a Copa Santa Catarina de 2010 pelo Brusque. Neste ano, passou por Metropolitano e Marcílio Dias, de onde está levando um bom número de jogadores para o grupo hercilista. E com mais reforços, Joceli conseguiu montar um elenco bastante interessante, com jogadores conhecidos na primeira divisão do futebol catarinense. É o melhor plantel que o clube conseguiu montar nos últimos três anos.
 
O time está cheio de figurinhas carimbadas: no ataque está Felipe Oliveira, ex-Imbituba, Figueirense, Metropolitano, Brusque, entre outros. Foi artilheiro do Imbituba no Estadual de 2010, e tem um relacionamento especial com Joceli, o qual é homem de confiança. Através de uma parceria com o Marcílio Dias, vários jogadores do time de Itajaí vieram a Tubarão por empréstimo, para retornar no final do ano, caso do zagueiro André Luiz e do volante Leandro Mello. Outros conhecidos que fazem parte do elenco hercilista são o meia Claudemir, ex-JEC, Ibirama e Brusque, o zagueiro Michell Nunes,o bom goleiro Adilson e o atacante Leonardo, ex-Imbituba. Como se vê, um elenco experiente.

Joceli dos Santos conhece os caminhos para o acesso e tratou de cercar-se de jogadores de sua confiança para montar a espinha dorsal do time. No papel o time tem tudo para brigar por uma das duas vagas na primeira divisão, e recolocar a cidade de Tubarão na primeira divisão, coisa que não acontece desde 2008.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Conheça a segundona: XV de Outubro

SOCIEDADE DESPORTIVA XV DE OUTUBRO 
Fundação: 15 de outubro de 1952
Cores: Azul e Vermelho
Estádio: Gigante do Vale - 2500 lugares
Presidente: Jorge Jacobowski
Técnico: Josélio Kresch
Ranking "BdR" 2010: 14o. Lugar
Catarinense 2010: 4o. lugar




O simpático XV de Indaial participará da Divisão Especial pela segunda vez. No ano passado, o clube chegou credenciado com o título da Divisão de Acesso de 2009 e fez bonito: não conseguiu o acesso, mas chegou ao quadrangular final contra Marcílio Dias, Concórdia e Atlético Tubarão. Até tinha escrito na época que era interessante o clube não subir já, uma vez que o XV ainda precisa ganhar corpo para encarar uma primeira divisão. O planejamento do clube é bom, mas falta um maior respaldo financeiro do empresariado indaialense e uma ampliação do Estádio Erwin Blaese, o Gigante do Vale, que está recebendo agora um reforço no sistema de iluminação, mas carece de arquibancadas nas laterais e boas instalações para a imprensa. Mas com a evolução do clube, as coisas vão acontecendo.

O XV tem um presidente, mas quem manda e desmanda na montagem do time é o dublê de dirigente e técnico Josélio Kresch, que comanda o time desde a sua incursão no futebol profissional. Ex-técnico das divisões de base do Atlético de Ibirama, foi ele que revelou o atacante Leandro Damião, que já passou pelo clube, sob o apelido de Leandrão. Começou seu trabalho em Indaial com uma parceria em campeonatos da base. Montando uma estrutura simples, conquistou o título do Acesso dois anos atrás.

Sem fazer loucuras, o time está contratando jogadores para todas as posições, mas mantém uma base da Especial do ano passado, com jogadores como o bom goleiro Dida, o volante Sérgio e o lateral-esquerdo Vamberto. Entre os reforços, o mais conhecido é o atacante Juninho Laguna, de 28 anos, revelado na base o Avaí e que passou pelo Brusque, Metropolitano e Hercílio Luz, além de clubes do Rio Grande do Sul.

O XV de Outubro não contratou jogadores experientes a granel como fizeram Ibirama e Hercílio Luz, por exemplo. Josélio Kresch aposta muito no seu grupo para conseguir o acesso. No ano passado, o time não era favorito e quase chegou na primeira divisão. Então não dá pra duvidar do potencial do rubro-anil indaialense.

domingo, 31 de julho de 2011

Mais uma derrota e as feridas expostas na crise

O Brusque perdeu a segunda partida na Série D, abrindo feridas que, se não estavam abertas para torcida e imprensa, apareceram com tudo depois da derrota para o Metropolitano. Um jogo que, se eu ficar aqui avaliando a parte técnica e tática, vou estar chutando tudo. Talvez uma opção ou outra de Marcelo Caranhato possa ser questionada, mas o time lutou em um campo tão ruim. Mas faltou cabeça no final, e a derrota veio, com um gol em posição duvidosa. Eu não daria condições de jogo no Sesi, primo sempre pela qualidade do espetáculo e a integridade dos jogadores. Com o campo perigoso, se viu um jogo de jogadas ríspidas, quatro expulsões e muita briga.

A derrota em si preocupa, mas não há de se fazer terra arrasada, ainda. Faltam cinco jogos, sendo três em casa. O próximo jogo é daqui a 15 dias, contra o Cruzeiro em casa. Tempo suficiente pra resolver a crise, que veio com tudo, depois da entrevista de Aloísio.

Vou explicar rapidamente o que aconteceu, tudo ao vivo, na Rádio Cidade: Aloisio não foi relacionado para o jogo. Segundo o diretor Carlos Beuting, Chulapa teria pedido para não jogar, alegando que teria uma negociação em vista (depois, Aloisio admitiria que tinha proposta de um time de Florianópolis e do  Itumbiara-GO, que teria oferecido 37 mil reais mensais) e mostrou sua indignação pelo fato do jogador não obedecer o contrato e viajar para Blumenau.

Depois, Aloísio ligou pra Rádio após o jogo. Disse que não jogou por opção do técnico, já que tinha escalado o ataque com Lê e Leandrinho, colocando Kito e Pantico no banco. Chulapa disse que concordou, mas que estava treinando em separado durante a semana. Segundo ele, "tem gente que queria que o time (Brusque) ganhasse para me f.....".

Aí entra o presidente, que diz que há 10 dias, foi procurado por Aloisio para rescindir contrato. A multa rescisória é de 120 mil reais, mas o Brusque aceitou fechar negócio por 34. Mais para frente, o valor baixou para dez mil, mas era necessário aguardar uma posição do Itumbiara (detalhe: como atuou contra o Cianorte semana passada, ele não poderá jogar a Série D pelo clube goiano). Logo, a rescisão seria para acertar com esse clube da Capital, nas palavras dele. No fim, uma lavação de roupa suja que tomou as ondas do rádio, e mostrou que as coisas dentro do Brusque não estão nada bem.

Aloisio é querido no grupo, é considerado uma liderança lá dentro. O que aconteceu hoje pode ser o estopim para que mais coisas apareçam. Faz tempo que não vejo o ambiente assim conturbado. Os próximos 15 dias prometem ser longos, pois o time precisa mostrar resposta contra o Cruzeiro. A segunda promete ser quente.

Conheça a Segundona: Joaçaba

JOAÇABA ATLÉTICO CLUBE
Fundação: 27 de fevereiro de 1997
Cores: Azul e Amarelo
Estádio: Oscar Rodrigues da Nova (7.000 lugares)
Presidente: Luiz Carlos Coelho
Técnico: Rubens Sanches
Ranking "BdR" 2010: 13o. lugar
Catarinense 2010: 8o. lugar na Divisão Especial

Já presente na segunda divisão há algum tempo, sempre com campanhas medianas, o JAC atravessa as dificuldades financeiras e todo ano está lá, presente, para tentar o acesso. Sem contar com grande apoio do empresariado joaçabense, o clube comandado pelo presidente Luiz Carlos Coelho luta contra as dificuldades para montar o time. Nesse ano, duas novidades: primeiro, que o clube não precisará mandar seus jogos em Videira, coisa que atrapalhou muito o time no ano passado. Por falta de laudos de segurança no simpático Estádio Oscar Rodrigues da Nova, o time não pode jogar em casa, causando prejuízo financeiro e pouco interesse da torcida. Agora está tudo certo, e o time estreará em casa. A outra nova é que o clube fechou parceria de cinco anos com uma empresa chamada Gol Ouro, que ficará responsável pela contratação e gestão do time profissional.

A empresa já declarou que o time terá no máximo 24 atletas, todos com o limite de 23 anos de idade: " “Nosso projeto com o JAC é para os próximos cinco anos. Até 2016. Não iremos prometer ao torcedor que o JAC subirá neste ano. Quem sabe em 2012 sim, mas o que projetamos é que quando o time subir, consiga se manter. E para isso antes precisamos nos planejar”, disse o diretor Leandro Brandão ao Blog do JAC. Não encontrei qualquer informação sobre o treinador, apenas que ele trabalhou no Umuarama (PR) em 2010, mas não como técnico, e sim como auxiliar e, num segundo momento, como massagista.Ele declarou que não faz nem treinamentos coletivos: "O método da Gol de Ouro não é de realização de coletivos, porque a realidade em campo reduzido é totalmente diferente do que os jogadores enfrentam em jogo. Nossos atletas estão em excelentes condições físicas”

O mesmo pode-se dizer do elenco, que não conta com nenhum conhecido do futebol catarinense. Os atletas vem de todo o Brasil, atrás de oportunidades na segundona do Estado.

Eu sempre fui avesso a parcerias desse tipo na Segunda Divisão. A experiência comprova que nenhuma deu certo, e tomara que o Joaçaba não caia do cavalo com esse acordo, que garante o futebol profissional na cidade com todas as dificuldades financeiras. Tivemos uma experiência aqui em Brusque onde até hoje o Carlos Renaux está pagando dívida do contrato irresponsavelmente assinado. Com o nível que o campeonato promete ter, com os outros times montando elencos experientes e com passagens pela primeira divisão o JAC não é candidato a acesso, e os próprios parceiros do clube admitem isso, para tristeza da torcida, que não verá um time de qualidade em campo. Vai brigar pela parte de baixo da tabela.