sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Avaí, Figueira e Criciúma conhecem grupos da Copa São Paulo

A Federação Paulista de Futebol divulgou os grupos da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2012. Neste ano, três catarinenses: Figueirense, como ex-campeão, Criciúma, indicado pela FCF, e Avaí, que apareceu por convite da organização.

Ausente da edição do ano passado, o Avaí é surpresa, já que a própria FCF havia confirmado que eles estariam fora.

O Avaí está no Grupo K, em Louveira, com PAEC-SP, América-MG e 7 de setembro-MS.

O Criciúma está no Grupo R, em Porto Feliz, com Desportivo Brasil-SP, Atlético-MG e CRB-AL .

E o Figueirense está no Grupo X em Guarulhos, Com Flamengo-SP, Ponte Preta e Nacional-AM.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Vídeo: Bastidores do jogo do acesso do JEC

O Vídeo abaixo foi produzido pelo Joinville, mostrando os bastidores do jogo do acesso contra o Brasiliense, desde a preleção do técnico Arturzinho até a festa na viagem de volta. Um material muito legal:


segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O JEC é Série B!

Eu estive presente em um dos momentos mais difíceis da história do JEC. Dentro da Arena, o Brusque venceu a Copa SC de 2008 nos pênaltis e, combinado com o vice-campeonato estadual da Chapecoense, se tornou um time sem série. Um momento muito complicado do time, que vivia com o descrédito da torcida e teve que ressurgir.

E o time que representa a maior cidade do Estado ressurgiu. Volta a Série B depois de oito anos, com um bom time comandado por um baixinho falador, mas que entende de futebol: Arturzinho. Ele pegou um time que não tinha confiança, devia boas atuações desde o campeonato estadual e foi colocando as coisas nos eixos. Arrumou o time na Copinha, fez uma primeira fase da C sem muitos problemas (excetuando um tropeço em casa contra o Caxias) e não deu chance pra ninguém na fase decisiva. O time cresceu e chegou ao ápice no momento decisivo.

A festa não tem hora pra acabar em Joinville, e é merecida, por tanta coisa que o torcedor passou nos últimos anos. E hoje faz um ano de uma grande tristeza, que foi a eliminação em campo na Série D do ano passado para o América-AM, que se transformou em classificação depois que um atento diretor do clube foi a fundo até encontrar o erro do clube do norte.

O time vai para a Série B com estrutura e condições de brigar pela parte de cima da tabela. Se vai ser candidato ou não ao acesso, depende de como o time estará até lá. A segunda divisão dá outro tipo de visibilidade ao clube: cotas de televisão, todos os jogos transmitidos pela TV e o acesso a um novo mercado de jogadores, que deixam de lado propostas da terceira divisão. E o próprio clube terá que se preparar para alcançar um outro nível, em um campeonato de 38 rodadas.

Um novo Joinville vem aí, com a promessa de um movimentado Estadual e uma Série B com Criciúma e, provavelmente, o Avaí. 2012 será interessante.

Parabéns a toda a torcida tricolor!

domingo, 16 de outubro de 2011

No começo, a esperança. No final, o esperado

Mais um papelão do Avaí, um time que começa motivado, e quando esbarra em suas motivações, aceita os golpes e perde mais um jogo fora de casa, quando precisa pontuar desesperadamente.

Fico imaginando como estão aqueles torcedores revoltados, que foram sorteados pelo clube para ir para Porto Alegre em um ônibus que atrasou três horas pra sair e que chegou com a bola rolando, curiosamente, quando o Avaí vencia por um a zero, gol de letra de Robinho. Um daqueles gols que dão esperança de alguma coisa que está impossível de acontecer.

Um a zero que vira um a um, com o Inter pressionando. O Avaí fez o segundo com William, dando sinais que a vitória poderia chegar, mesmo com os erros crassos de Toninho Cecílio, aquele treinador cheio de rebaixamentos no seu currículo. Tirou Cléverson para colocar Rafael Coelho, homem que dá uma pisada de bola dentro da área, na cara do gol. E queima uma troca colocando Batista, que há tempo não joga nada, no lugar de Junior Urso.

Alterações ruins em um grupo entregue e deu no que deu. Três gols do Inter em seis minutos consolidaram a vitória vermelha, e mais um pontapé no Avaí, rumo a Série B.

O problema é técnico, com o time mal armado (até ganha mais qualidade com Lincoln, que não jogou, suspenso. Sem ele é um desespero). É psicológico, pois o time se acovardou depois de tomar o empate, e interno, porque nada me tira da cabeça que há problema dentro do grupo, depois do que o William falou depois do jogo, tanta displicência, falta de cobrança dentro de campo e a desastrosa coletiva de Betinho, que buscava achar justificativa onde não havia.

Vem aí o Botafogo, depois o Corinthians. E nem com os adversários colaborando, o Avaí aproveita. Seja o que Deus quiser.