sábado, 5 de novembro de 2011

Agora, é briga pau a pau rumo a América

Vencer o Botafogo no Engenhão, coisa que ninguém tinha conseguido nesse Brasileirão, não é pouca coisa. Isso mostra o estágio atual do Figueirense, time que, como dizem especialistas, chegou ao ápice no momento mais importante do campeonato.

Vitória daquelas pra levantar a moral de qualquer um. Jogo disputado, contra um time candidato ao título. A postura foi a mesma, por exemplo, da vitória contra o Santos: sem baixar a guarda, usando da inteligência, da organização para impôr o seu jogo e fazer o sistema defensivo adversário se preocupar. O gol de Julio Cesar, que foi feliz ao chutar lá de fora e sortudo ao ter um desvio que enganou Jeferson, serviu para jogar a torcida contra o Botafogo e facilitar as coisas. A pressão desesperada no final do jogo era esperada. Caio Junior mandou todo mundo pra frente e não havia outra coisa pra ser feita se não segurar.

Analisando os números: além de colocar o Figueirense na zona da Libertadores (pode ser que o Flamengo ou o Inter passem amanhã), o resultado traz o Botafogo para a briga direta da terceira e quarta vagas, transformando-o em adversário direto. Outro ponto a considerar são os confrontos diretos: o Figueira ainda enfrentará Flamengo, Fluminense e Corinthians, e poderá fazer a diferença na classificação do Brasileiro.

A torcida está em euforia extrema, e é hora do time alvinegro ter mais cabeça do que nunca, se quiser desbravar a América pela primeira vez: há de se pensar em um jogo de cada vez. Considerando os três confrontos diretos que há pela frente (dois deles são em casa), a chance está na frente. Não tem como não admitir casa cheia no próximo jogo, contra o Atlético-MG.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Jogos Abertos: a briga pelo título geral

Faltam seis dias para os Jogos Abertos de Santa Catarina. O Blog estará indo de mala e cuia para Criciúma, para acompanhar o maior evento esportivo do Estado. Mais uma vez, as três maiores forças esportivas catarinenses brigarão pelo título geral, mas com ingredientes diferentes neste ano.

O atual bicampeão dos Jogos é Florianópolis, que usa de fortes investimentos para conquistar o caneco geral. Aproveitou uma mudança de rumo da supercampeã Blumenau (39 títulos, 3o. lugar em 2010), que continua com uma estrutura enorme, mas que baixou o ritmo de gastos para reforçar as equipes, privilegiando a base formada na cidade. Joinville, atual vice-campeã, e que perdeu o caneco no ano passado no último dia, tenta surpreender e chegar ao título que não conquista desde 1993, em Tubarão.

A briga pelo título geral em Criciúma ganha um requinte de drama para a Capital, que não terá a equipe de natação nas piscinas do Mampituba por um erro grosseiro da Fundação Municipal de Esportes, que simplesmente perdeu o prazo (10 de outubro) para a inscrição dos atletas. A FME até ingressou com um recurso no TJD tentando incluir os nadadores fora do prazo (o que abriria precedente para outras cidades fazerem o mesmo), mas não obteve êxito, perdendo no tapetão por 7 votos a zero. Considerando que, no ano passado em Brusque, a capital conquistou o título da natação feminina e o vice na masculina, são 21 pontos na classificação geral que vão fazer muita falta no final. A capital terá que torcer por tropeços blumenauenses e joinvilenses, além de conquistar títulos nos confrontos diretos.

Criciúma gastou muito para tentar se infiltrar na festa desse trio que domina os Jogos Abertos há décadas. Investiu, contratou atletas, vem mostrando bons resultados na base (é a atual campeã da Olesc) e, ao meu ver, já tem o quarto lugar garantido. Se um dos grandes bobear, a capital do carvão pode beliscar uma melhor posição.

O Blog terá cobertura especial dos Jogos Abertos. Muitos não dão importância, mas é a competição mais importante do ano para várias modalidades. Um evento primordial para a manutenção do esporte catarinense como um todo, principalmente na revelação de novos talentos olímpicos.


quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Tigre mostra que teria potencial ao acesso

1 a 1 contra o bom time da Portuguesa.

Um jogo em que o Criciúma teve todas as chances de vencer, ousando, atacando no primeiro e segundo tempos, e ainda prejudicado por um pênalti não marcado no final do jogo. No mais, foi um jogo aberto, que mostrou que o time hoje tem potencial para o acesso. Mas devido a erros lá no início da Série B e algumas escorregadas recentes, o acesso é complicado. As chances de entrar no G4 apareceram, mas não foram aproveitadas.

Importante olhar o jogo sob esse aspecto: o Criciúma mostra um crescente padrão de jogo e jogou de igual pra igual com o melhor time do campeonato. Fez uma pressão monstro no primeiro tempo. Obrigou a Portuguesa a mudar a postura no segundo, criando chances na frente. Mas Goiano arrumou a marcação e pôs seu time a frente, fazendo Weverton trabalhar, incluindo aí uma defesa aos 31 minutos que é uma das mais bonitas do ano.

Outra chance desperdiçada. Os adversários estavam colaborando, e davam a deixa pro Criciúma sentir o gosto de estar no G4. Contra a Lusa era a chance mais difícil. Ainda faltam Ponte e Barueri em casa e Vitória e São Caetano fora. O trabalho está bem encaminhado para 2012, mas se o time engatar duas vitórias seguidas, ainda pode dar uma graça nessa temporada.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O Brusque tem novo presidente

Confesso que estou surpreso.

Fui para a Assembleia que seria a segunda tentativa do Brusque de eleger um novo presidente sem muita esperança. Afinal, nenhuma informação dava conta de que algum novo fato apareceria, e o time iria entrar em novembro sob o clima da indefinição.

Eis que na assembleia, apareceu um nome, que já juntou um grupo de novos nomes dispostos a dar um novo gás no clube. O novo presidente, que será eleito no próximo dia 16, está na foto: é Mauricy de Souza, consultor de negócios e professor universitário. Está disposto a assumir a bronca, e terá que contar com a ajuda da diretoria que deixa o clube em 15/12 para uma transição tranquila, principalmente no que diz respeito ao futebol. Mas disso não tenho dúvida que o André Rezini e o Carlos Beuting vão ajudar.

Boa sorte ao novo grupo que assumirá o clube, estaremos torcendo pelo seu sucesso.

Atualização das 00:25: Entrevistei Mauricy no meu programa da TVB logo após a Assembleia. Cheio de ideias, com vontade de modernizar e um novo grupo que traz um novo gás para o Brusque. Creio que o maior problema nesse momento chama-se transição. Mas como escrevi lá em cima, acho que a diretoria atual dará uma força. E já se mostraram propensos a isso.

Ainda é muito cedo pra se falar em montagem do time, jogadores, treinador, essas coisas. Mas estaremos acompanhando de perto.

domingo, 30 de outubro de 2011

A luta continua, e o sofrimento também

Acompanhar vários jogos simultâneos, ainda mais nessa reta final de campeonato, não é fácil. Mas ao final de tudo, deu a lógica: Figueirense vencendo e firme na luta pela Libertadores, e o Avaí na mesma, vexame pós vexame: perdeu de virada pela 10a. vez no campeonato com um jogador a mais em campo por quase todo o segundo tempo.

Foto: Bernardo Haas - FutebolSC.com
O nome da vitória alvinegra foi Fernandes, que já foi envolvido em muita polêmica devido ao seu relacionamento com Jorginho. O torcedor alvinegro deve lembrar de uma época não muito remota, em que Fernandes era preterido por jogadores de qualidade inferior. Hoje ele entrou, fez dois golaços, virou um jogo truncado, de muita marcação e contra um adversário chato de jogar. A vitória veio, e a situação só não foi melhor porque o Internacional venceu sua partida. De qualquer forma, a diferença para a zona da Libertadores é de apenas dois pontinhos, e um jogo na semana que vem contra o Botafogo, onde uma vitória pode trazer o alvinegro como outro alvo na briga pela inédita participação no torneio continental.

O Avaí perdeu um jogo para o Corinthians em que tinha grandes chances de vencer, pois fez um bom primeiro tempo, aproveitou-se do nervosismo do adversário e marcou, com Robinho. Mas até contra o Barcelona não se perdoa o fato de tomar uma virada com um jogador a mais em campo. O Avaí conseguiu, pela décima vez em dezessete jogos no Brasileirão. Um erro recorrente de um time que não segura o rojão no final, os números dizem tudo. Para piorar, o Atlético-MG venceu o Palmeiras e colocou o Leão a cinco pontos do Cruzeiro, primeiro time fora da zona. Considerando que o time não poderá mais perder e terá Vasco e São Paulo fora de casa pela frente, dá pra ver que a reação está cada vez mais longe. É incrível analisar os números e ver que, pela décima vez em 17 jogos, o time toma a virada no placar. É coisa demais. O time morre no segundo tempo.