quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Horas importantes para o Brusque

Passando um resumo dos últimos acontecimentos no Brusque, e a ameaça de licença que pairou na cidade durante esta quarta-feira.

Resumindo: o candidato a presidência, Mauricy de Souza, precisa de dois nomes para fechar a nominata da chapa a ser inscrita no conselho para a eleição, marcada para o dia 16. Ele tem até a semana que vem para isso, mas na última reunião do conselho, terça-feira, o presidente Célio de Camargo exigiu garantias que o novo grupo tenha condições de tocar o time, sob pena de pedir licença.

Danilo Rezini, que disse trocentas vezes que não queria ficar no clube e que esperava que alguém assumisse a bronca, o que aconteceu, não gostou do que escrevi e foi na Rádio Cidade para se explicar, e tivemos um debate respeitoso, mas quente. Ele reafirmou que não deseja permanecer no clube, e disse que agirá junto ao conselho para que a nova chapa possa ser inscrita e empossada.

Agora vamos ao comentário, voltando ao ponto lá atrás. A atual diretoria falou para quem quisesse que procurava novos nomes para assumir o clube, e os nomes apareceram. Se são ricos, pobres, honestos, desonestos, não importa e não é hora de fazer pré-julgamento. A comunidade brusquense tratará de avaliar o trabalho, até porque parte do grupo de hoje (alguns atuais diretores continuarão) não está interessada em permanecer no Bruscão, e ponto final.

Danilo pretende ser candidato nas próximas eleições pelo PPS, partido que grande parte da atual diretoria faz parte. Fez boa votação para deputado em 2010, empurrado pelo titulo da Copinha daquele ano. Politicamente, ele não resolveu se apoia a reeleição de Paulo Eccel (que propôs uma parceria com Rezini, inclusive mandando um emissário para a reunião da última terça), se vai para a oposição ou se, o menos provável, entra como terceira via. 

Mas o que a população brusquense quer ver é futebol. Sem fazer pré-julgamentos, é hora de acompanhar o que será do Bruscão no ano do seu jubileu de prata. Mauricy de Souza está trabalhando. Já foi a Florianópolis atrás de um nome para a gerência de futebol (coisa que o Brusque atual não tinha) e dos apoios para a montagem do time. A eleição em si é uma mera formalidade, já que Rezini deixa o clube em 15/!2. Logo, se garantida a continuidade, o trabalho pode começar desde já, faltando apenas o dia para que seja sacramentada a transição.

Pedir licença com um grupo disposto a assumir o clube é algo muito estranho. Antes não tivesse ninguém. Tem outros detalhes dos bastidores, mas é bom parar por aqui pra ninguém depois me tirar pra bode expiatório. O clima anda tenso demais, e daqui a pouco sobra pra imprensa.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

As estatísticas, a cinco jogos do final

Tem gente que não acredita muito, mas tem curiosidade em ver as estatísticas, ainda mais nessa reta final do campeonato.

Números interessantes, alentadores pra um lado, trágicos pra outro.

Segundo o site InfoBola, do matemático Tristão Garcia, o Figueirense, sexto colocado no Brasileirão, tem 1% de chance de conquistar o título brasileiro, contra 41% do Corinthians, 30% do Vasco e 20% do Fluminense.

Falando em Libertadores, o número é animador. O Figueira tem 46% de chances de ir à competição continental, a frente do Inter (19%) e São Paulo (11%), atrás do Corinthians (98%), Fluminense (88%), Botafogo (80%) e Flamengo (70%).

Já na parte de baixo, América e Avaí só precisam da confirmação matemática do rebaixamento. O Infobola dá 99% de chances de Série B para América e Avaí, 76% para o Atlético-PR e 56% para o Cruzeiro.  Ceará (49%) e Bahia (11%) são os mais próximos.


domingo, 6 de novembro de 2011

Deu pra bola, Avaí

Os torcedores mais apaixonados ainda acreditavam numa recuperação. Tudo passava pela vitória contra o Ceará, adversário direto, dentro de casa.

E depois de outra atuação chimfrim, é hora de entregar os pontos e admitir que a vaca já foi pro brejo. Deu pra bola, não adianta mais ficar divagando e vivendo em uma esperança.

Faltou atitude desde o início da partida. Aquela atitude que o torcedor espera há tempos até apareceu pontualmente em alguns jogos, mas não nesse. Três pontos perdidos para um time que só havia vencido um jogo fora de casa até agora, e que escapou da zona de rebaixamento. Não há como ter melhor sorte, ainda mais tendo partidas pela frente contra São Paulo e Vasco, que lutam na parte de cima. Derrota mais do que justa de um time que tem jogadores que não fazem jus à Série A.

Enquanto isso, o time A da LA Sports vence o Palmeiras em São Paulo com gols de Davi e Leonardo.

Toninho Cecílio era a face do derrotismo depois do jogo. Pediu desculpas três vezes, pelo que pude contar. Entregou os pontos. E incluiu mais um rebaixamento no seu currículo. Está na hora da diretoria admitir o rebaixamento, demitir o treinador e iniciar o planejamento para 2012, contratando um técnico visando remontar todo o time no Campeonato Estadual para entrar bem na Série B. Se há uma hora certa para uma reestruturação geral, essa hora é agora. E já considerando a grande queda de orçamento que haverá no próximo ano com a redução do número de sócios e das cotas de televisionamento.

Após o jogo, um grupo de torcedores invadiu as sociais para aprontar. Não justifica em nada, pode prejudicar o clube no tribunal e é um ingrediente a mais no já terrível ambiente avaiano.

Se ainda havia gente que não tinha visto a ficha do rebaixamento cair, hoje viu. E cuidado que o América venceu e a possibilidade da lanterna é real.