segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Catarinense 2012: Camboriú

CAMBORIÚ FUTEBOL CLUBE
Fundação: 11 de abril de 2003 (como SD Camboriuense)
Cores: Verde e Laranja
Estádio: Roberto Santos Garcia (3.500 lugares)
Presidente: José Henrique Coppi
Técnico: Eduardo Clara
Ranking "BdR" 2011: 12o. Lugar 
Catarinense 2011: Campeão da Divisão Especial


Chegou a vez do Camboriú. Talvez o time mais persistente da Segunda Divisão, que conquistou o título no ano passado auxiliado pelo Ibirama, que venceu os dois turnos, levando consigo o time da terra do mármore para a elite. Na decisão, o Cambura levou seu primeiro acesso. Com apenas nove anos de vida, o antigo Camboriuense terá a oportunidade de jogar entre os melhores times do Estado, para ganhar projeção e colocar na vitrine o futebol da cidade de 62 mil habitantes, que tenta também trazer torcedores da vizinha Balneário para engrossar a presença no pequeno, mas simpático estádio Robertão (foto), que, pra quem não sabe, já acolheu uma escola do município em suas instalações.

Outra conhecida figura da Divisão Especial comandará um time pela primeira vez na primeira divisão: Eduardo Clara (foto), 40 anos, que começou sua carreira por aqui em 2002, treinando o finado Santa Catarina Clube. Sua ficha no Estado também inclui outros finados como o Blumenau, Atlético Alto Vale e União de Timbó. Em Camboriú, já havia trabalhado no clube em 2005 e 2006. Retornou no ano passado, e levantou o caneco sem estrelas no time. Bateu times considerados favoritos, como o Hercílio Luz de Joceli dos Santos, e conquistou o título dentro de Ibirama, o que não é pra qualquer um.


Para essa estreia na elite, o Camboriú buscou reforçar o time dentro das suas possibilidades. A base do time campeão da segundona foi mantida. Alguns jogadores saíram, caso do atacante Juninho Tardelli, irmão de Diego Tardelli, que recentemente se transferiu para o mundo árabe, e do zagueiro Rodrigo, ex-Criciúma. Com o menor orçamento dentre os dez times do Estadual, o time trouxe jogadores do norte, interior de São Paulo e daqui do Estado, caso do meia Renan, um dos destaques do Biguaçu, campeão da Divisão de Acesso. Também chegaram o atacante Thiago, do Espigão-RO, o volante Mendes, do Barueri e o zagueiro Peixoto, do Juventus de Jaraguá.

Todo time que estreia numa Divisão Principal tem como principal missão permanecer. Com o Camboriú não pode ser diferente. Mas analisando friamente os reforços do time e o plantel em si, não há de se esperar algo do time se não entrar na briga contra o descenso. Se o time encaixar como o Imbituba de 2012 encaixou, beleza. Agora, se o time não surpreender, terá que contar com a sorte para conseguir seu intento. Se não, a viagem de bate e volta será inevitável.

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. É VERDADE RODRIGO, 8 RODADAS DEPOIS, O CAMBORIU SE ENCONTRA COMO VC DESCREVEU PASSANDO DIFICULDADES POR SER UM CLUBE SEM MUITO PODERIL FINANCEIRO, E CONTANDO MUITO COM A SORTE JA ESTA NUMA BOA COLOCAÇAO É VERDADE!!!!!!! SOU DE CAMBORIU E ESPERO QUE O CLUBE SE MANTENHA NA PRIMEIRA , PORQUE O TRABALHO É SERIO E O PESSOAL É COMPETENTE!!!! UM ABARAÇAO RODRIGO!!!!

    ResponderExcluir
  3. Esse técnico só treinou times que viraram "finados" tá feia a coisa, prá ele!!!

    ResponderExcluir