sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Catarinense 2012: Criciúma

CRICIÚMA ESPORTE CLUBE
Fundação: 13 de maio de 1947 (como Comerciário. O nome mudou em 17 de março de 1978)
Cores: Amarelo, Branco e Preto
Estádio: Heriberto Hulse - 22.000 lugares
Presidente: Antenor Angeloni
Técnico: Márcio Goiano
Ranking "BdR" 2011: 5o. lugar
Catarinense 2011: Vice-Campeão

A primeira temporada inteira de Antenor Angeloni a frente do Criciúma, foi, resumidamente, de um aprendizado. Com dinheiro em caixa, o clube contratou um batalhão de jogadores (chegou a terminar a temporada com um número próximo de 60), vários treinadores e no fim, um resultado apenas regular. Conquistou o primeiro turno do Estadual com o gol de Mika no Scarpelli e perdeu rendimento no returno. Foi a final contra a Chapecoense, venceu o jogo de ida, mas perdeu a volta com o gol contra de Carlinhos Santos. Na Série B, a campanha foi apenas mediana. Perdeu muitos pontos em casa no início do Brasileiro, e no final, marcou pontos para se manter. Terminou em 14o., apenas 4 pontos a frente do Icasa, primeiro rebaixado.

Para 2012, uma vida nova. A gestão de Angeloni continuará no clube por, pelo menos, mais dez anos. Os associados aprovaram a cessão do departamento de futebol do clube para a empresa GA, gerida pelo presidente, que se comprometeu em arrumar a casa, das divisões de base ao Estádio Heriberto Hulse, que teve toda a sua grama trocada para o Campeonato Estadual. A torcida, feliz da vida com a fase que o clube passa na parte administrativa, torce por melhores resultados dentro de campo. No final de 2011, chegou ao clube um sonho antigo de Angeloni, que assumiu sabendo que o objetivo principal era arrumar a casa para o ano seguinte. Márcio Goiano (foto), técnico que conseguiu o acesso à Série A com o Figueirense em 2010, não teve tempo suficiente para resolver o problema na última Série B, mas tem a confiança da diretoria para reestruturar o clube e conquistar o título estadual (o último foi em 2005), fazer boa campanha na Copa do Brasil e subir para a Série A de 2013. E fora de campo, o Tigre trouxe o conhecimento de Alcides Antunes, que foi gerente de futebol do Fluminense em 2010, quando o tricolor carioca conquistou o título nacional.

No Estadual, o Criciúma mostrará uma nova cara, com a proposta de um time que quer vencer neste ano. Vários jogadores do grupo de 2011 foram embora, como Rogélio, Toninho, Jackson Souza, Aloísio, Adeílson, Schwenck e Thiago Silvy, entre vários outros. O clube, que agora também tem uma parceria com o empresário Eduardo Uram, recebeu vários atletas, como o lateral João Paulo, que participou da campanha do acesso do Figueira com Márcio Goiano, o volante Tiago Dutra, do Villareal, além do meia Itaqui, do Paraná, e os atacantes Anderson Costa, do Vasco, Paulista, do Sport, e o argentino Andrés Romero, vindo do Argentinos Júniors. Mas o torcedor tricolor acredita nos gols do atacante Zé Carlos (foto), um dos destaques da Série B, onde marcou 13 vezes.

Com esse novo grupo que o Tigre vai tentar o acesso. Passada a lição do ano passado, em que jogadores vieram a granel e não resolveram nada, a ideia é investir forte, minimizar os erros e trazer resultados. A era GA no clube promete não só trazer títulos, mas criar uma estrutura de clube grande ao Criciúma, que passou por maus bocados até o dono do supermercado resolver voltar ao comando da embarcação. 2012 é um ano para o Tigre rugir alto.

Um comentário:

  1. Na verdade... o Criciuma teve um dos melhores resultados em casa da serie B ano passado... perdeu pontos fora de casa... contra times fracos. COVARDIA DOS TÉCNICOS FRACOS QUE PASSARAM AQUI, que montavam retranca pra empatar e perdiam.

    ResponderExcluir