sábado, 14 de janeiro de 2012

Catarinense 2012: Metropolitano

CLUBE ATLÉTICO METROPOLITANO
Fundação: 22 de janeiro de 2002
Cores: Verde e Branco
Estádio: Bernardo Werner (Sesi) - 6000 pessoas
Presidente: Erivaldo Caetano Jr.
Técnico: César Paulista
Ranking "BdR" 2011: 7o. Lugar
Catarinense 2011: 7o. Lugar


Clube que vai completar dez anos de existência no dia da estreia do Estadual, o Metropolitano não fez um bom 2011. No estadual, brigou para se manter na primeira divisão, o que foi motivo de festa após uma vitória contra o Brusque no Sesi. Já na Série D, o time teve um bom início, mas não conseguiu manter o ritmo, terminando na quarta colocação do grupo. E nada como um novo ano com um novo gás para almejar dias melhores. Na visão de quem acompanha o clube de fora, tenho notado um momento interessante do Metrô. O novo presidente, Erivaldo Caetano Jr. (foto), mostra muita confiança em suas entrevistas, conseguindo levar uma boa esperança para o torcedor. Fora de campo, o clube desenvolveu bem o trabalho de licenciamento de marcas, investiu em campanhas na RBS e na Record e até acertou um contrato para divulgar a Oktoberfest no seu uniforme.

Para o comando do time, o Metrô apostou em uma solução caseira. Mais uma vez, César Paulista (foto), de 52 anos, ex-jogador do BEC e que ocupava cargo de dirigente na Fundação de Esportes local, foi chamado para tocar o projeto 2012. Ele já havia treinado o clube em três ocasiões: 2005, 2006 e 2008, quando engatou uma sequencia de 10 jogos sem derrota, levando o time, que brigava contra o rebaixamento, a um honroso quarto lugar. Atendendo a pedidos do torcedor, César tem a chance de tocar a formação do time desde o começo, com calma para fazer uma pré-temporada e deixar tudo do seu jeito.

Do elenco atual de 31 jogadores, 14 foram mantidos do elenco que terminou a Série D do ano passado, casos dos laterais Nequinha e Rodrigo Ninja e do goleiro Flávio, ex-Avaí. Das novas caras, destacam-se o zagueiro Thiago Couto, os meia Thiago Cristian e Julio César e o atacante Pantico, ex-Joinville e Brusque, que deverá fazer dupla de ataque com Rafael Costa, de triste lembrança do torcedor do Avaí, que disputou a última segundona pelo Atlético de Ibirama. Mas o nome que mais chamou atenção nos últimos dias foi o de Lopes (foto), 32 anos, ex-Palmeiras e Flamengo, que não joga profissionalmente há 9 meses. Segundo o empresário que intermediou o negócio, Lopes vem como uma aposta, já que, caso estivesse jogando, seu salário estaria fora do que o Metrô está bancando. Ele veio ao clube fora de forma, e após a recuperação, poderemos ver se aquele futebol do início da década passada ainda está presente em seus pés.

O Metropolitano é mais um membro do chamado "torneio do Vale", em que os times da região, que tem investimento bem menor que os cinco maiores, lutam pela última vaga na Série D e contra o rebaixamento. O futebol catarinense já mostrou várias vezes que existem os times que "encaixam"e conseguem ir longe. Vamos ver se César Paulista conseguiu juntar as peças do seu plantel e formar uma química que leve o futebol de Blumenau ao título, que não vem desde o longínquo ano de 1964.

Nenhum comentário:

Postar um comentário