quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Avaí vence sem pressão. Brusque atolado na pressão

Foto: Márcio Costódio / Municipio dia-a-dia
O Avaí não precisou jogar muito para vencer o Brusque. O time até teve dificuldades para chegar no gol. Mas o forte chute de Renato Santos no primeiro tempo foi o suficiente para garantir a primeira vitória azul fora de casa, importantíssima na luta pelo título do turno. O fraco sistema de marcação do Brusque colaborou para tanto, sem pressionar como deveria. Ficou fácil a tarefa para a linha de zaga avaiana, diante de um adversário confuso.

Quarta rodada, time bagunçado em campo.... sabe quando o Brusque perdeu o jogo? No dia anterior, na entrevista coletiva depois do treino coletivo. O técnico Marcelo Caranhato usou um tom de conformação, do tipo "é isso que tem, vamo ver no que dá". Se fossem outros treinadores que conheço, iria extrair do time o máximo possível, fazendo o grupo vibrar em campo. Além do time não vibrar, acabou expondo uma ferida que precisa ter uma medição sobre onde atinge todo o grupo: o meia Roger Bastos detonou a estrutura interna do clube após a partida.

Analisando o time: primeiro, que do meio para a frente não havia nenhum desfalque significativo. Os meias eram os titulares. Logo, era de se esperar que a armação mostrasse algum tipo de eficiência. Não mostrou absolutamente nada. Estou até certo ponto assustado com o atacante Chris, nem sombra daquele artilheiro brilhante do tempo de JEC. Na defesa, ainda bem que Marcelo Guerreiro jogou. Deu pra segurar o ataque avaiano na medida do possível. Mas o negócio era feio: chutões a granel, nenhuma bola de qualidade na cabeça de área, nenhuma bola carregada decente. Tinha que vir jogador do ataque pra tentar alguma coisa. A dupla de volantes, com jogadores novos, era nervosismo puro, errando passes fáceis e perdendo bolas para os marcadores. Enfim, tá tudo uma bagunça.

E não me venha com o discurso de time limitado financeiramente. Uma coisa é não poder contratar mais jogadores. Outra é não conseguir organizar o time. Os meias eram os titulares.

E assim o time entra numa situação complicada, tendo pela frente três adversários do Vale, tendo que vencer os três pra escapar da má situação. Tudo começa contra o Ibirama no domingo. Que pelo menos o Brusque tenha alguma jogada construída nos treinamentos coletivos. Ah, esqueci que o técnico não gosta de fazer coletivo. E já teve jogador reclamando disso pra imprensa.

2 comentários:

  1. Brusque meu Bruscão
    Glorioso e campeão
    Salve Brusque imortal
    Minha paixão natural

    Vamos lá meu Bruscão
    Estamos contigo na vitória ou na derrota
    Nos momentos bons e nos momentos ruins

    Queremos raça dos jogadores
    Precisamos ganhar do Ibirama domingo

    ResponderExcluir
  2. Fica dificil até de comentar a situação...melhor é cantar mesmo pra esquecer

    ResponderExcluir