segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Metropolitano: Lopes desapareceu


Atualização das 17:13: Lopes foi dispensado do Metropolitano. Em entrevista coletiva na tarde de hoje, a diretoria do clube informou que o jogador chegou a ligar pedindo uma segunda chance, e que teria sumido devido a problemas pessoais. Mas o clube blumenauense não arredou pé e agiu de forma certíssima. Afinal, apostou em um jogador fora de forma, acreditou nele, o condicionou e deixou fininho, e no final das contas Lopes não deu a contrapartida.

Contratado como o nome mais famoso do Metropolitano para 2012, o meia Lopes está desaparecido. O jogador, que passou por um intenso trabalho de condicionamento físico e que foi relacionado para a viagem para Chapecó, não deu sinais de vida ainda.

Veja trecho retirado da coluna de hoje do meu xará Rodrigo Braga, no Jornal de Santa Catarina, que acompanhou o jogo Chapecoense x Metropolitano no oeste:

Ontem, meu celular tocou por volta das 10h45min. Era um número desconhecido:

– Braga, você está em Chapecó?

Na linha, o presidente do Metropolitano, Vadinho. Informou que estava convocando a imprensa que foi cobrir o jogo para uma coletiva no Hotel Lang, onde estava o clube. Dali a uma hora.

Segui para lá pronto para incluir as palavras de Vadinho na cobertura online em tempo real que fiz para o Santa. Mas, numa sala reservada do hotel, com poucas cadeiras e algumas garrafinhas de água, ele disparou:

– Serei sincero com vocês, o Lopes desapareceu – disse o presidente, para surpresa geral. Ao lado dele, um Viton com semblante preocupado. Cesar Paulista preferiu não participar. Vadinho contou que o último contato com Lopes foi na sexta à noite. Depois disso, não se apresentou para o treino e a viagem no sábado. O próprio presidente foi ao apartamento do jogador, na Rua Max Hering, e lá primeiro ouviu da zeladora do prédio que Lopes estava em casa (havia saído e retornado). Mas não atendeu aos chamados. Na segunda tentativa, o carro do jogador, um Fiat Uno comprado na sexta-feira, já não estava mais na garagem.

Até aquele momento, ninguém no clube sabia ao certo o paradeiro de Lopes. Alguns no elenco chegaram a temer algo pior, e o ambiente estava tenso no hotel.

Depois de falar com a imprensa presente em Chapecó, Vadinho reuniu o elenco para tratar do caso. Acalmou os mais preocupados e cobrou foco total no jogo, o que se viu em campo. Aos jornalistas, pediu que, pelo menos até a hora do jogo, não se tratasse do tema. O constrangimento geral era evidente.


A diretoria espera que Lopes apareça para que haja uma definição acerca do seu futuro. A dispensa parece ser o caminho mais próximo, já que a multa rescisória do contrato é de apenas 500 reais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário