domingo, 4 de março de 2012

Seria um suspiro do Brusque?

Quem não viu o jogo na Arena Condá pode não acreditar, mas o resultado do empate entre Chapecoense e Brusque foi injusto. O time de Joceli merecia vencer.

Mas vendo o jogo ao vivo, no Estádio, dá pra ver que a Chapecoense perdeu completamente o rumo. Hoje, não vejo um time favorito. É um grupo bagunçado, mal armado, com jogadores de qualidade questionável (Gustavo, irmão do Marquinhos, é titular e tomou um banho de bola de Rafinha) e vem numa sequência sem vitórias, e com isso, vai perdendo terreno. Gilberto Pereira abusou do zelo, ao escalar o time com três volantes, permitindo que o Brusque, que apresentou uma mudança enorme, dominasse o jogo do começo até o final.

O que mudou nesse Brusque? Primeiro: atitude. Depois da derrota para o Metrô, tinha jogador chorando no vestiário. Não sei o que aconteceu nesses dias, mas um time vibrante e ligado estava em campo. Joceli armou o time para não perder, com um 3-5-2 que apostava em jogadas de velocidade pelas laterais. Os gols sairam de bola aérea, o meio ainda precisa trabalhar. Mas um empate desse, onde o time chegou a tomar a virada e empatar no final com absoluta justiça, dá uma tranquilidade bem maior até o jogo do próximo domingo, contra o Criciúma.

Não sei se vai ser muito tarde, mas algumas coisas no Brusque começam a entrar nos eixos. A confirmar se a melhora (tímida, mas é um avanço) vai ser comprovada na partida do próximo domingo. Há muito o que melhorar, mas conquistar um ponto dentro do Índio Condá é, sem dúvida, algo pra comemorar.

E a Chapecoense não vai longe. O técnico está atrapalhado e a imprensa daqui fala em jogadores sem comprometimento. Esse é um dos caminhos para o insucesso.

2 comentários:

  1. O Brusque vem melhorando a cada partida depois da entrada do Joceli e contratação de alguns jogadores.

    O próximo jogo contra o Criciuma é fundamental para consolidar a reação. A torcida precisa apoiar e comparecer no domingo.

    A direção precisa fazer uma promoção mais forte. Sugestão:

    Geral: R$ 10
    Coberta: R$ 25
    Cadeira: R$ 40

    ResponderExcluir
  2. Vi os melhores momentos e notei dois pênaltis não marcados para a Chape, um deles claríssimo. O que achaste?
    Abraço.

    ResponderExcluir