segunda-feira, 16 de abril de 2012

A crônica de um rebaixamento - Parte 1

Conforme o prometido, o Blog vai começar a dissecar essa campanha horrorosa do Brusque no Estadual 2012. A pior campanha da história, de um time que já ficou mais de um ano sem perder em casa, e marcou apenas 1 ponto em nove jogos como mandante. Erros estratégicos, incompetência nas contratações e um marketing inexistente pontuaram essa tragédia anunciada. Sempre se disse que o time ia brigar ponto a ponto para não cair. E aconteceu essa briga, e o Brusque tomou uma sova de 11 pontos de diferença para o Camboriú.

Hoje vamos falar do novo momento que viveu o Brusque. Como é sabido, o ex-presidente Danilo Rezini havia dito que não queria permanecer no cargo ao fim do atual mandato, o que era um direito dele. Muito já rolou nos bastidores que ele queria ficar, mas só toparia num último momento. Mas como trabalhamos com fatos, não tem como ir contra o que ele falou mais de uma vez para a imprensa.

E como Mauricy de Souza apareceu no Brusque? Numa segunda a noite em novembro, a imprensa estava reunida no Augusto Bauer para a segunda assembleia de eleição da diretoria. O estatuto rezava que, caso não aparecessem candidatos ao cargo, assembleias deveriam ser convocadas a cada 15 dias até que aparecesse um nome para assumir. A reunião estava atrasada, e ouvi o então gerente administrativo Maurino Cazagrande atender o telefone e dizer pra todos: "segura aí, eu arrumei um presidente e ele está vindo". Era Mauricy, que poucos conheciam. A reunião começou, e quando o presidente do Conselho, Célio de Camargo, perguntou se alguém estava interessado em inscrever chapa, Mauricy levantou a mão e disse "a gente está interessado em montar uma chapa", e trouxe com ele cinco pessoas interessadas em integrar a nova diretoria. Nem é preciso dizer que isso causou espanto, diante de uma situação de licença iminente.

Reuniões aconteceram nos dias seguintes, entre diretoria antiga e interessados em assumir, para ver o que ia ser feito. O primeiro baque foi quando Mauricy soube que teria que alugar cerca de 16 apartamentos para moradia dos jogadores, o que daria um custo alto. Cazagrande o encorajou, lembrando da verba de cerca de 200 mil reais que viria da TV, juntando com os 240 mil do convênio com a Prefeitura de Brusque.

A eleição aconteceu no meio de novembro e a posse, um mês depois. Chegava o momento de contratações e fechamentos de patrocínio. Tudo correu de forma meio lenta, e o time fechou apenas dois apoios na camisa: da própria Prefeitura, da Recicle (conseguido com ajuda do Paço Municipal) e da Lemus Calçados. Viveu-se na expectativa do apoio de um Banco, história essa que correu por muito tempo. O dinheiro não veio e nenhum outro grande patrocinador apareceu. Depois, foi-se descobrir que o tal Banco não patrocinou o Brusque por conta de um débito do clube junto ao INSS. Débitos que, inclusive, fizeram o Brusque perder o jogador Valdo no ano passado para o Criciúma. O clube não recolheu o FGTS e o atleta conseguiu sua liberação por via judicial. Sua multa rescisória era de 400 mil reais.

No próximo episódio, a montagem do time que rebaixou o time. E ainda falaremos do deficiente marketing do clube. E vai ficar essa história como a crônica de um merecido rebaixamento.

2 comentários:

  1. Absolutamente nenhuma novidade ou fato que não seja do conhecimento de todos. Espero que no próxinmo post seja colocado alguma coisa a mais do que o óbvio.

    O Mauricy foi diretor de marketing em administrações passadas, nunca existiu marketing nenhum no Brusque.

    Nesse ano foi praticado um anti-marketing, que só poderia passar pela cabeça de um desmiolado: cobrar R$ 50 POR UMA ARQUIBANCADA E R$ 25 POR UMA GERAL. ESSES PREÇOS DE INGRESSO SÃO OS MESMOS COBRADOS PARA JOGOS DO VASCO, FLAMENGO, GREMIO, INTER EM PARTIDAS DA SÉRIE A.

    Como pode passar pela cabeça de alguém cobrar esses valores para jogos em Brusque com um time que pode ser equiparado a times que disputam o futebol amador da cidade?

    Como pode passar pela cabeça de alguém que cobrando esses valores ABSURDOS de ingresso haveria uma adesão em massa ao frustrado plano de sócio torcedor? Somente um ingênuo poderia pensar dessa forma.Umaa coisa não tem nada a ver com a outra. Adere ao progrma de sócio torcedor QUEM CONFIA NO TIME E NA DIRETORIA. O preço do ingresso não tem nada a ver com ADESÃO AO PROGRAMA.

    Qual o plano de marketig que foi feito por essa diretoria senão esse plano de ANTI-MARKETING? Poderia haver uma atitude de marketing pior do que ESPANTAR A TORCIDA DO ESTÁDIO COM ESSES PREÇOS ABSURDOS DE INGRESSO?

    Vejam quanto o IBIRAMA cobra por ingresso: GERAL R$ 10 E ARQUIBANCADA R$ 20. Esse é o preço que pode ser pago e que vale um jogo do Brusque FC com esse time que foi montado. E olha que o Ibirama é infinitamente superior ao Brusque.

    Vamos esperar que o Mauricy tenha aprendido com todos os erros que ocorreram, e que coloque na Diretoria pessoas capazes e que entendm pelo menos um pouco de futebol e marketing.

    ResponderExcluir
  2. ANTES DE COMEÇAR O CAMPEONATO EM DEZEMBRO,
    EU DISSE VAI SER UM ANO TRISTE PARA O NOSSO BRUSCAO.
    TAI A PROVA UM PRESIDENTE QUE NAO SABE NADA,
    O CASAGRANDE QUER FAZER TIME DE QUALQUER JEITO PRA NAO PERDER A VENDA DE REFRI E PINHAO NO ESTADIO E UM BANDO DE PERNA DE PAU JOGANDO BOLA.
    EIS A RECEITA DA DESGRAÇA.

    ResponderExcluir