domingo, 22 de abril de 2012

JEC perde a oportunidade e Branco agradece

Zilmo Nunes / Joinville EC
O técnico do Figueirense tem que dar graças aos céus pelo resultado de hoje.

Time armado sem nenhuma referência na área e com um jogador a menos por muito tempo, pênalti não marcado e um adversário que tinha tudo para vencer o jogo e até fazer saldo. Mas o Joinville não aproveitou. Não soube ser envolvente, não aproveitou a superioridade numérica e agora terá que vencer no Scarpelli para ir à final. O empate na Arena pode ter sido decisivo.

O primeiro tempo foi desastroso para o Figueira. Fruto, em parte, de um monstrengo apresentado em campo, sem um homem de referência na frente, Fernandes correndo feito barata tonta atrás da bola, e os passes para Roni que tentava fazer alguma coisa no ataque, sem sucesso. Ronan Marques da Rosa colaborou, ao errar, pela terceira vez no Estadual, uma falta no limite da área. Ramon foi acertado para pênalti, e o árbitro deu apenas falta. No geral, o Figueira pediu pra tomar pressão, e a expulsão infantil de Túlio complicou ainda mais. O 1 a 0, fruto de uma falha de Wilson, era lucro. Pelo jeito que a coisa corria, perder pelo placar mínimo estava ótimo.

Mas Argel não conseguiu fazer o JEC crescer. Teve o intervalo para conversar e arrumar o time, que não mudou no segundo tempo. Abafou porque o Figueira abortou o jogo de igual pra igual para atuar no contra-ataque, que funcionou com o gol de Guilherme, em falha de Badé e Ivan, que saiu mal. Empate, para o alvinegro, era goleada.

Branco mandou o time pra trás e o time teve uma grande entrega, para segurar o empate. Era o jogo crítico, diante de um adversário fortíssimo dentro da Arena. O Joinville tinha tudo para fazer saldo e conseguir um bom placar dentro de casa. Não teve sucesso e vai ter que buscar o caminho mais difícil contra um Figueira que dificilmente vai errar tanto como errou hoje. Nunca mais Branco vai reeditar esse esquema.

2 comentários:

  1. e o penalty no coutinho agora vai dizer que não foi

    ResponderExcluir
  2. Olha, acho que dentro da proposta o Figueirense se saiu muito bem.

    Quando estava com 11 em campo, tomou o gol e sofreu uma pressão inicial, mas chegou perto da meta pelo menos 3 vezes, com Roni, Guilherme Santos e Doriva...

    No segundo tempo, fez o gol e soube anular o JEC.

    Penso que o esquema foi equivocado, mas mostrou-se eficiente, haja vista o empate em situação adversa.

    E o penalti ao final no Coutinho?

    Faltou essa referência.

    ResponderExcluir