segunda-feira, 14 de maio de 2012

Argel e o desafio do Figueira

Voltando um pouco no tempo. Antes da decisão de domingo, o presidente Nestor Lodetti deu uma entrevista ao Marcos Castiel na TVCOM, de certa forma, menosprezando o Campeonato Estadual. Falou que o planejamento principal é a Série A e a Sul-americana, e até sugeriu participar do próximo Catarinense com um time sub-23.

Por mais essa história de sub-23 seja uma besteira sem tamanho, vamos pra pergunta: cadê o planejamento?

Branco caiu na cabeça quente do pós-decisão, pior momento para você planejar uma mudança. E caiu como uma bomba quando veio a notícia de que Argel Fucks seria o novo treinador.

É um nome que foge completamente do perfil do Figueira, clube conhecido por ter bons moços no comando técnico, que agem sob uma organização exemplar. Argel tem personalidade forte. Quando estava no Criciúma, deu bronca no time com a porta do vestiário aberta para a imprensa escutar. Conseguiu o acesso à Série B sob os gritos de "Fora Argel" e arrumou problemas com os jornalistas, já que não gosta de engolir criticas. Fala o que dá na telha, principalmente quando não chegam os reforços que pede, como aconteceu há alguns dias no Joinville. Cada coletiva dele é um show.

O discurso de Chico Lins ontem a noite era de "atitude rápida a ser tomada". Argel é um treinador do estilo que eu chamo de "vamo lá, porra!". Pegou o Joinville que não rendia sob o comando de Gonzaga Milioli, arrumou o time, mas criou problemas no elenco com sua língua afiada, principalmente com o lateral Gilton.

Diante do que Lodetti disse antes do jogo, o Figueirense não está em crise. Fez uma boa campanha no Estadual, conquistou os dois turnos sem levar o título por erro dos seus dirigentes e acabou perdendo a decisão de forma incontestável, é verdade, mas teve problemas de lesões que atrapalharam o seu caminho. Mas se o planejamento a longo prazo foi feito para a Série A, trocar toda a comissão técnica (e aí está incluído Marcelo Cabo, peça importante do departamento de futebol, para muitos o real técnico do time) a uma semana da estreia no Brasileirão, e ainda contratando um técnico de perfil completamente diferente dos anteriores, soa como aposta.

Mas ao mesmo tempo, estou curioso pra saber o comportamento de Argel na estrutura do Figueirense. Pode contar que as suas coletivas serão imperdíveis. Quer ver se perder o jogo.

Um comentário:

  1. Obrigado figueirense, não é sempre que algum time da capital resolve nos ajudar.
    Pelo menos o Argel saiu daqui numa boa e não cuspindo fogo como ele fez nos outros times.

    Leandro Campos fez historia no ABC De Natal foi o Arturzinho deles, achei uma ótima contratação e ainda por cima Leandro é joinvillense mora no bairro guanabara jequeano de coração.

    ResponderExcluir