terça-feira, 22 de maio de 2012

Caçador desiste de sediar os Jogos Abertos

Lá em 2010, quando assisti a votação que definiu a sede dos JASC em 2012, questionei o que Caçador tinha a mais de estrutura que Joinville para receber os Jogos. Havia um lobby grande da Fesporte para que a cidade do meio-oeste fosse agraciada. Levou a parada, com a promessa de receber dinheiro, que não chegou. Aconteceu o que era esperado, e Caçador desistiu de sediar os JASC deste ano por falta de verbas. Criciúma deve ser confirmada nas próximas horas como sede da 52a. edição, repetindo o ano passado.

Informações do site Caçador Online:

Está definido. Caçador não vai mais realizar os Jogos Abertos de Santa Catarina (JASC) neste ano. A informação, que havia sido publicada em primeira mão no Portal Caçador Online, foi confirmada pelo prefeito Imar Rocha (PMDB) na tarde desta terça-feira, 22, em entrevista coletiva.


O principal argumento é do repasse de verbas abaixo do que havia sido combinado com o Governo do Estado no ano passado. “Conversei com o então secretário de estado de Turismo, Cultura e Esporte, Cesar Souza Junior, que nos garantiu, em encontro em Florianópolis, a liberação de R$ 2,1 milhões em fevereiro deste ano”, disse, lembrando que junto com ele estava o secretário Valdir Cobalchini.


Entretanto, segundo Imar, neste ano, houve a troca do secretário e o atual postulante do cargo, José Natal Pereira, afirmou que o Estado estava com dificuldades financeiras e não seria mais possível fazer o repasse completo das verbas acordadas. “Nesta semana, o presidente da Fesporte, Pecos Borsatti, nos informou que seriam liberados R$ 1,2 milhões, R$ 900 mil a menos que Criciúma recebeu no ano passado e ainda, em 4 parcelas. Com isso, fica inviável realizar os JASC em Caçador”, assinalou Imar, lembrando que para que as obras possam ser realizadas, é preciso licitação e a garantia de todos os recursos. “Não podemos mexer nos cofres da Prefeitura para realizar um evento que é do Estado de Santa Catarina. Precisamos pensar antes de mais nada, nas obras e serviços primordiais à nossa cidade”, justificou o prefeito.


Sobre a influência de Cobalchini para apoiar na vinda dos recursos, Imar destacou que isso está sendo feito, mas em outras áreas. “Ele está nos auxiliando em pavimentações e na substituição de pontes, fazendo o que pode neste sentido, mas os JASC não são da área dele”, explicou. 


O prefeito salientou, entretanto, que acaso o Governo do Estado libere as verbas de R$ 2,1 milhões até o dia 7 de julho e de forma integral, os JASC poderão ser realizados em Caçador. “Estou seguindo a mesma postura do governador Raimundo Colombo, que preferiu não liberar os recursos que nos foram prometidos para investir em outras áreas no Estado”, afirmou Imar. 


 Sobre a participação da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional de Caçador, Imar destacou que não ficou sabendo se houve ou não. “O que penso é que se isso aconteceu, não vi nada de concreto”, disse. Já a respeito da oficialização da desistência de sediar os JASC, Imar salientou que já ligou para o secretário José Natal, que se encarregou de dar a notícia ao governador. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário