sábado, 2 de junho de 2012

JEC vence a "Cléberdependência" e Tigre toma três

Cristiano Andujar / ND Online
Um sábado em que o JEC conquistou uma importante vitória na Ressacada, quebrando um tabu de longos 11 anos sem vitória na Ressacada.

O Joinville venceu merecidamente o Avaí. Ainda se acertando em campo, em cima dos erros avaianos e empurrado pelo erro bisonho da dona Nadine, o time de Leandro Campos teve mais vontade e foi melhor na partida, mesmo usando de um expediente que eu reprovo e foi usado sem sucesso contra o ABC, com Lima sozinho no ataque, sem um companheiro que o faça funcionar. O Avaí, que até marcava bem, não tinha saída de bola, com seus laterais errando em excesso e Cléber Santana, sobrecarregado, não passava pela marcação. Do outro lado, Ricardinho foi o melhor em campo. Mas o ataque tricolor pode render muito mais.

Enquanto as coisas não mudarem nessa armação do Avaí, você vai ler muito neste blog o termo "Cléberdependência". Robinho saiu e não apareceu, ainda, nenhum jogador que sirva como segunda opção na armação azul. Até deu pena de ver Cléber levantando a cabeça sem ter muito o que fazer, ainda mais com as opções de ataque limitadas. Nunes sumiu no jogo. O time depende demais de seu camisa 10.

O Avaí começou melhor o jogo, mas o JEC equilibrou e jogou mais bola até o final. Nadine errou feio ao não marcar impedimento no gol de Felipe Alves (e não sei porque a CBF escalou trio catarinense num jogo de brasileiro, podia sair sem essa), e na sequência, Tiago Real devolveu com uma bola na trave. A principal virtude tricolor no jogo foi não perder a cabeça com o erro da arbitragem. Continuou colocando seu jogo em prática e empatou o jogo com Glaydson, em chute que desviou em Carlos Alberto.

O segundo tempo estava equilibrado e Lima, aproveitando uma bola de escanteio que passou por toda a zaga avaiana, mostrou seu oportunismo e colocou na rede, virando o jogo merecidamente. Hémerson Maria não tinha muito o que fazer. Colocou Aelson, Bonilha e Carreirinha, que pouco resolveram. Falta mais qualidade ao time para a Série B. Mas e o estadual, você pode perguntar. Lá era uma outra circunstância, em um mata-mata, com um time focado. De lá pra cá, aconteceu a polêmica saída de Arini, os problemas da chegada de Marcelinho e tudo o que a gente já sabe. O time precisa de dois laterais com máxima urgência.

O Joinville ainda pode render mais, está se arrumando. A defesa está bem melhor em relação ao Estadual, o time se posta em campo de forma mais tranquila, além de já ter se recuperado da derrota da estreia. Vamos ver com carinho onde esse JEC pode chegar.

Já em Belo Horizonte, o Criciúma errou tudo o que podia errar e tomou três do América-MG, que é um dos favoritos ao acesso. Dois gols vindos de falhas de bola aérea e chances desperdiçadas lá na frente selaram o resultado. Como existe uma gordura, tudo pode ser ignorado com falhas consertadas. Mais trabalho para Paulo Comelli.

Nenhum comentário:

Postar um comentário