quarta-feira, 18 de julho de 2012

A rodada: JEC patrola, Tigre luta e Avaí não muda

Três jogos na rodada que mantiveram o Criciúma na liderança com os mesmos sete pontos de gordura, fizeram o Joinville ter uma vitória tranquila e o torcedor avaiano se preocupar cada vez mais. Vamos por partes:

Juliano Schmidt / Portal Joinville
O Joinville fez um treino de luxo em terreno perigoso. Campo encharcado, cenário típico de partida que pode levar perigo... mas não teve nada disso. Em menos de dez minutos, o placar já marcava 2 a 0. O Ipatinga não esboçou reação, o JEC não baixou o ritmo, e no intervalo a goleada já era de cinco. Mais um gol no segundo tempo e a festa estava feita. Dessa vez, com três gols de Lima, um de Alex, que vai para os Emirados Árabes e outro de Adaílton, que deve ser o novo titular do time. Novamente, Leandro Campos tem a chance de engatar uma boa sequência. Quero ver no próximo jogo, contra o CRB, se a postura em campo será a mesma. Se fechar não está com nada. É ir pra frente e buscar os gols.

Frankie Marcone / Globoesporte.com
Em Natal, o Criciúma teve que lutar contra o ABC e o árbitro Claudio Mercante, completamente perdido no jogo, que torrou os nervos do tricolor. Tudo estava dando certo até Elias ser expulso e, a partir daí, tudo estava dando errado. O time perdeu a cabeça, tomou a virada e a derrota era iminente, até que Zé Carlos, sempre ele, apareceu na hora certa na área pra garantir um pontinho importante, que mantem o time na liderança com a mesma distância de sete pontos para o quinto colocado. Salvou-se uma noite que se dava como perdida. Começo a achar que vai ter árbitro querendo frear o Criciúma. Que eu esteja errado. Próximo jogo é contra o Paraná. Mantendo o ritmo em casa, tá tudo certo.

Frederico Tadeu / Avaí FC
Vamos à Ressacada. O mesmo Avaí que perdeu para o CRB entrou em campo contra o Atlético-PR. O mesmo time que marca mal e não tem distribuição no meio-campo. O mesmo time que Cléber Santana lamenta no final do jogo não ver uma reação, prometendo melhoras para a próxima partida. E hoje, quando o futebol não rendeu mas o jogo estava equilibrado, apareceu o árbitro pra tumultuar. O primeiro gol do Atlético saiu de uma pataquada da zaga. Nunes conseguiu empatar. Aí, o zagueiro do Atlético domina uma bola na mão, e descola o lance que acaba num cruzamento para Marcelo, que se aproveitou da "freada" de Pirão (disparado o pior em campo) para marcar. Logo depois, Manoel mete a mão na bola que ia em direção ao gol e nada de pênalti. E não me venha com bola na mão.
Mas analisando friamente o time avaiano como um todo, a situação vai ficando mais perigosa e a distância do G4 só aumenta. O Goiás é favorito no jogo do Serra Dourada, e caso confirme, vai jogar o Avaí mais um pouco pra baixo. O tempo passa. Até sexta, vai dar pra trazer algum jogador do exterior. Depois disso, só se vier das Séries A, C ou D. O mercado vai afunilando, os reforços não chegam e a perspectiva de se ver uma reação no Avaí não é nada boa. Ainda não é de se temer uma luta contra o rebaixamento, mas enquanto outros times evoluem, caso do Atlético-PR, o Avaí está estancado vendo os outros times passarem. Isso é muito ruim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário