quarta-feira, 29 de agosto de 2012

A Rodada em ABC: Arbitragem, Boa e Cuidado!

O título pode ser sem graça, mas meio que reflete as três situações dos catarinenses na rodada de terça da Série B. Teve operação da arbitragem, a boa vitória avaiana e aquela preocupação que vem depois da péssima atuação do Criciúma. Vamos por partes.

Gustavo Oliveira / CAP
Lá em Paranaguá, o senhor Francisco Nascimento foi o personagem de Atlético x Joinville. Errou de tudo, e causou reclamação dos dois times. Mas o JEC pode reclamar a vontade: pênalti duvidoso para o Atlético, expulsão mais duvidosa ainda de Bruno Tiago, num segundo amarelo de falta normal, e a prova da fraqueza do árbitro quando marcou um pênalti em Lima a mais de um metro da linha da área. A assistente, bem depois, acabou dando o aviso. Mas será que ninguém chamou a atenção depois de ver pela TV, hein? Olha, diante das circunstâncias, atuando com um a menos por grande parte do jogo e com o juiz caseiro, tem que comemorar o empate. Um jogo que causou irritação mas que, pelo menos rendeu um pontinho. O Joinville vira a rodada no G4 e tem uma sequência interessante, jogando contra ABC e Avaí em casa, e Guarani fora. Tropeços no meio do caminho fazem parte.

Frederico Tadeu / AFC
E o Avaí teve novamente que virar uma partida pra levar três pontos. O Leão fez um primeiro tempo patético, abusando dos erros de marcação e levou 1 a 0 do chato time do Boa. Foram vários problemas, desde o posicionamento da zaga (e com a falta de Leandro Silva, Hémerson terá problemas pra ajustar o setor), e muitos erros individuais, principalmente com Julinho, Thiesen e Felipe Alves. No segundo tempo, o time melhorou muito com a entrada de Camilo e Ricardo Jesus e os gols vieram. Foi uma virada, que fez o torcedor (que foi em pequeno número, pouco mais de 3.500 torcedores) gritar de felicidade e comemorar a proximidade do G4, que veio juntando com resultados favoráveis da rodada. Pela frente o Avaí tem um jogo de seis pontos contra o São Caetano, sem Cléber Santana, suspenso pelo terceiro amarelo. Será curioso ver como Hémerson armará o time sem o seu camisa 10. E também será curioso ver como o time se comportará sem ele.

Rogério Dimas / Rádio Difusora
Por fim, o Criciúma. Olha, acabou o jogo e três torcedores me perguntaram no twitter se é um sinal de preocupação essa derrota para o fraco time do Guaratinguetá. Acho que a palavra certa é cuidado, que não faz mal pra ninguém. Se formos basear na briga pelo acesso, basta vencer o Bragantino em casa na sexta que o voo de cruzeiro continua. Mas o time precisa ter uma regularidade de atuação pra não ter sustos e garantir a subida com antecedência. Pessoal, hoje o Zé Carlos não jogou nada, a zaga bateu cabeça e o Guará fez dois gols em cima da falha de marcação de Possebon, aquele que veio com nome do Santos e não vem com boas atuações. Teve arbitragem prejudicando? Teve, mas pela diferença técnica dos dois times, era pra ter passado sem sustos. Acho que Paulo Comelli errou ao sacar Diego Felipe, e o time não funcionou no prejudicado gramado de São José dos Campos. É o tipo do jogo que o time que está na parte de cima não respeita o adversário em demasia e parte pra cima. O Tigre ficou numa lenga-lenga, não pressionou como deveria e acabou perdendo a partida. Há um returno inteiro pela frente, mas desatenções como essa precisam ser observadas. Ninguém entra em campo ganhando. Tem que ter vontade e inteligência pra conquistar vitórias. E, mesmo com a excelente campanha, concentração é tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário