sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Faltou perna, qualidade.... e mais uma derrota

Luiz Henrique / Figueirense FC
Primeiro, vou deletar do meu disco rígido aquela vitória sobre o Sport. Os três pontos vieram, mas não houve continuidade nenhuma contra o Santos. A mesma falta de qualidade de outros jogos prevaleceu, e a lanterna voltou às mãos alvinegras.

Mas hoje, em especial, apareceu um outro problema no Figueirense que treinador nenhum resolve num estalar de dedos: preparo físico. O time arriou de forma inconcebível a um time profissional no segundo tempo. Prova disso é que Julio Cesar, Aloisio, Leo e Anderson Conceição saíram de campo com lesões ou caimbras. Isso é sinal de problemas sérios no condicionamento. E, infelizmente, isso não é coisa que se resolve em uma semana. O histórico do futebol diz que times mal preparados não conseguem ser corrigidos com um campeonato em andamento. Isso vem lá de trás. Não tem preparador ou técnico que resolva. E isso é uma péssima notícia para o Figueira. Ou mais uma em meio a tantas más notícias.

Vamos falar do jogo. De certa forma é fácil de analisar. Figueira começou melhor na partida. com mais motivação e vontade que o Santos, que faz uma campanha bem ruim para seus padrões no brasileiro. Juan foi expulso e deu vantagem ao Figueira, mas a expulsão de Túlio, que errou feio no bote ao acertar Neymar sem bola (dessa vez não teve fantasia nenhuma não), acabou sendo expulso de forma boba, assim como foi na semifinal lá em Joinville. Rafael trabalhou bastante, mas a bola não entrou no primeiro tempo. No segundo, o Santos começou a ganhar espaço, mas Fernandes, sozinho, recebeu cruzamento de Aloisio para abrir o placar. Com a motivação e luta do time (isso não dá pra dizer que faltou), dava pra ao menos acreditar em um bom resultado.

Mas o Santos tinha o Neymar, que de cansado não tinha nada, que aproveitou pra empatar o jogo e mudar o panorama do jogo, até porque foi uma paulada nas ambições alvinegras que, sem força, passou a deixar o adversário jogar. E aí o time foi presa fácil, cedendo a virada e os 3 a 1 no final do jogo, em gol de Ganso numa linha burra mal feita pela defesa alvinegra. Sem perna, o Figueira foi envolvido e a derrota veio.

Fico pensando aqui: com mais essa ferida exposta, a do preparo físico, Hélio dos Anjos tem mais um entre os muitos problemas do time. Além de não conseguir acertar taticamente, ainda depara com a dificuldade de fazer o time aguentar em pé os 90 minutos. A cartilha para o rebaixamento vai sendo seguida, e as rodadas vão passando. Próximo desafio é o Grêmio, queimado pela derrota em casa para a Lusa, lá no Olímpico. Não tem como pensar, hoje, em coisa melhor. Aquela vitória em Recife não serviu em nada. E acho que o pessoal responsável pela preparação física precisa ser ouvido. É muito jogador com caimbra pra um time profissional só.

Nenhum comentário:

Postar um comentário