terça-feira, 28 de agosto de 2012

Metade da Série B: Tigre quase lá, JEC no embalo e Avaí querendo brigar

Vai começar o returno da Série B, e o trio catarina se prepara pra mais 19 rodadas atrás do acesso. Todos tem condições, um tem muita, outro tem bastante e o terceiro ainda precisa de um pouco a mais. Mas tão na briga em um campeonato nivelado onde apenas dois times destoam do resto da turma. Mas como são quatro vagas, tem uma pá de times atrás das outras duas.

Sim, porque Vitória e Criciúma só não subirão em caso de catástrofe. Os números são absurdos: enquanto o Criciúma tem 100% de aproveitamento em casa, o Vitória tem o impressionante número de sete vitórias fora de casa. E hoje é o melhor time, depois de se reforçar com nomes como Deola e William Batoré, que encaixou como uma luva no esquema rubro-negro. O Tigre nem precisa vencer todas em casa para subir. Basta manter a sua regularidade. O mais interessante nisso tudo é que os reforços continuam a chegar, sempre obedecendo um critério até certo ponto curioso: segundo o Gerente de Futebol Rodrigo Pastana, a ideia é trazer jogadores que já atuaram junto com quem já está lá. As chegadas do zagueiro Paulo Sérgio e do lateral Erik seguem isso. Com Zé Carlos em boa fase, Lucca e Gilmar jogando bem, com a regularidade de Fransérgio, o Criciúma vai em voo de cruzeiro pra Série A.

A diferença do time atual do Criciúma pro Joinville é o tempo: enquanto o Tigre começou a arrancar lá na primeira rodada, o JEC só entrou no campeonato depois de perder um jogo ganho para o CRB em Maceió. Leandro Campos era criticado, teve quem pediu a cabeça dele, pela forma como armava o time para jogar dentro ou fora de casa. Leandro parece ter mudado de ideia, e o tricolor engatou cinco vitórias seguidas, com qualidade e um ataque forte. É o terceiro colocado, tá jogando forte em casa e estaria num voo de cruzeiro, não fosse um problema: a saída de Tiago Real para o Palmeiras. Perder um titular absoluto gera um grande ponto de interrogação. E aí, como que o time vai se virar? Jailton, que vem do Avaí, vai ser o cara? Ou alguém do banco vai manter o ritmo e a qualidade da armação? Perguntas que serão respondidas nos próximos jogos. Se o embalo for mantido, é favorito pras duas vagas restantes pra Série A.

O Avaí está no mesmo bolo do JEC. É a turma composta por São Caetano, Atlético-PR, os Américas e o Ceará. Vai ser um campeonato a parte, onde os jogos em casa e contra os da zona de degola farão a diferença. O Leão de Hémerson tem mais time que essa turma aí? Hoje não, mas tem condição de ter. O time está se ajustando na hora certa. O Avaí começou a se arrumar quando começou a marcar forte, com Cléber Santana fazendo a diferença. Falta o ataque. Passam Laércio, Felipe Alves, Capixaba e outros, e ninguém se acerta. Vejo muita esperança do torcedor em cima de Ricardo Jesus, que chega com grande responsabilidade. O Leão precisa de alguém diferenciado na frente. Que Jesus seja o salvador.


Nenhum comentário:

Postar um comentário