quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Que fase... que virada... e que paulada...

Já dizia o velho poeta que quando a fase tá ruim...

Mas hoje, depois de um primeiro tempo excelente, que combinado com a vitória sobre o Coritiba indicava um esboço de reação, tudo virou pó no vestiário. O Figueira no segundo tempo conseguiu ser pior que o Náutico no primeiro para tomar uma senhora paulada, daquelas que não só atordoam mas fazem perder os sentidos. É isso aí que Márcio Goiano vai pegar a partir de amanhã.

Tem explicação um jogo desses?

Vi um Figueira aplicado no primeiro tempo, com duas armas de qualidade: as jogadas de Elsinho pela direita e as bolas cruzadas por Fernandes. O pênalti defendido pelo Wilson no começo do jogo foi a injeção de ânimo. Junta isso aí, combina com uma falha do goleiro do Náutico e voilá, 2 a 0 lá dentro dos Aflitos. Não jogou com brilho, mas conseguiu um excelente resultado. Wilson estava segurando tudo lá atrás.

Mas o castelo desmanchou no segundo tempo, e vai saber se aconteceu alguma coisa no vestiário. Gallo colocou Rogerinho para dar um pouco mais de velocidade, conseguiu meter mais pressão e o Figueira perdeu a cabeça e o fôlego. Assistiu atônito o empate, e quando saiu o terceiro, o time estava entregue. Tanto que Ronny, que mal havia entrado, pediu pra ser expulso. É daqueles jogos pra lembrar lá na frente, que pode ser a marca da má fase do time, ou mais um capítulo da triste história. A vitória estava ali, na frente. Acabou voando.

Márcio Goiano poderia pegar um clima bem melhor quando assumir os trabalhos amanhã. Não vai ser assim, pois tem o Fluminense pela frente no sábado com uma diferença de seis pontos para o Bahia, 16o. colocado. A torcida vai dar sua parcela de confiança ao ex-capitão, mas o buraco técnico-físico-psicológico do time é enorme. A incrível virada sofrida em 17 minutos só aumentou o problema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário