terça-feira, 27 de novembro de 2012

Héber Roberto Lopes assinará contrato com a Federação Catarinense

Héber Roberto Lopes, 40 anos, árbitro que pertence ao quadro da Fifa, assina hoje a tarde contrato com a Federação Catarinense de Futebol. A informação foi dada pelo jornalista Valdir Bicudo, do site Paraná Online.

Segundo entrevista do árbitro à imprensa paranaense, faltam alguns detalhes financeiros, e a assinatura do acordo sai em algumas horas. Sua estreia está marcada para janeiro, quando começar o Campeonato Catarinense.

Minha opinião: já que a FCF não consegue formar um quadro de árbitros com uma quantidade suficiente de bons nomes, ela mesmo admite que não tem capacidade de formar uma boa turma e, logo, a solução é importar, assim como já aconteceu com Wagner Tardelli e Márcio Rezende. E ao mesmo tempo, a Federação vai arrumar briga com o Sindicato catarinense.

É um árbitro veterano, mas que tem ainda pela frente algumas temporadas com o escudo Fifa e que impõe respeito, mais do que muito árbitro daqui.

E aí, o que você acha?

Atualização das 17:00: Na entrevista ao jornalista Valdir Bicudo, Héber abriu o coração. O texto segue abaixo:

"Cansei de lutar sozinho, cansei de esperar pelo apoio para me manter no quadro da Fifa e continuar como árbitro pré-selecionado para a Copa do Mundo de 2014, apoio que me foi negado.
Fiz duzentos e cinquenta e oito partidas no Campeonato Brasileiro, uma centena de jogos na Copa do Brasil, inúmeras partidas na Copa Sul-Americana, Taça Libertadores da América, Eliminatórias da Copa do Mundo, levei a cada escala da CBF dois assistentes comigo, nunca tive o reconhecimento de ninguém da Federação Paranaense de Futebol, a não ser do quadro de arbitragem da entidade.
Vou embora com uma tristeza enorme no meu coração, amo o futebol paranaense, amo o Estado que nasci, mas preciso pensar na minha carreira, na minha família e valorizar o escudo da Fifa que carrego com muita honra ao lado esquerdo do meu coração.
Héber com a voz trêmula, pediu para desligar, antes porém lhe fiz o último questionamento. Perguntei a ele se via alguma perspectiva de mudança no modelo de gestão que comanda a arbitragem da FPF e se vislumbrava dias melhores aos nossos apitos, sobretudo no próximo Campeonato Paranaense.
Héber, sem balbuciar me disse que lamentava profundamente, mas da forma como a situação vem sendo conduzida, o futebol da terra dos pinherais, caminha para um caminho sem volta. Não há investimento, não há motivação, perdemos a vaga do Evandro Rogério Romam na Fifa, nos próximos dias deveremos perder a do Roberto Braatz. E o que é pior: não preparamos ninguém e por isto não temos substitutos a altura para substituí-los. Vou embora! Nada mais me disse e nada mais lhe perguntei."




Nenhum comentário:

Postar um comentário