sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Mano se foi. Mas agora?

Que Mano Menezes não é unanimidade, isso ninguém discute. Mas que ele cairia exatamente nesse momento, depois de balançar tanto e conseguir um pouco de tranquilidade, aí sim é uma surpresa.

A CBF resolve bancar um novo projeto neste ano e meio até a Copa de 2014 e jogar fora tudo o que foi feito desde 2012, assim, repentinamente.

Vamos aos fatos: Mano convocou uma tropa de jogadores (102, pra ser exato), foi selecionando, diminuindo a lista, perdeu a Copa América e a Olimpíada, e mesmo assim ficou de pé. Mexeu na seleção, e com a entrada de Kaká o time teve uma notória melhora, o que dava, pelo menos num primeiro momento, um período de ventos tranquilos depois de tantas tormentas.

O tal do Superclássico (que eu chamo de "subclássico") não é referência pra nada, até porque ele nao  pode convocar quem desejasse.

E aí a CBF resolve bater o pé e dizer: "queremos algo novo, e a curto prazo". A torcida quer Felipão, que saiu por cima em 2002 e pode se dar ao luxo de dizer não ao convite de entrar no avião pegando fogo. Muricy é outra alternativa, mas quem já disse não uma vez pode dizer duas.

Enfim, a decisão tomada hoje é muito delicada. Não pela simples troca de comando na seleção, mas a falta de um tempo hábil para o início de um projeto. Nisso aí, aqueles que seriam os mais indicados podem não querer pegar o cargo. E aí pode aparecer um outro nome "de segunda linha" que pode querer uns holofotes. Aí a emenda vai ficar pior que o soneto.

Tempo jogado fora.



Nenhum comentário:

Postar um comentário