terça-feira, 20 de novembro de 2012

Pra tomar controle, Figueira elimina os líderes um a um. Fernandes também se foi

As redes sociais bombaram com a notícia da saída de Fernandes. Diz o clube em nota oficial que lhe foi oferecido um cargo na comissão técnica e, como ele quis jogar mais um ano, lhe foi mostrado o caminho da rua.

Vai embora o maior artilheiro do clube, que não é dos maiores salários do elenco (tem gente pior ganhando mais), que tem o carinho da torcida e talvez merecesse um maior reconhecimento do clube, que pelo jeito nem uma plaquinha vai entregar na última partida.

Mas está bem clara a tática: eliminar os líderes. Wilson (que tem muita lenha pra queimar ainda) foi o primeiro, hoje foi Túlio e depois, Fernandes. Chico Lins ainda sobrevive, mas com certeza será o próximo alvo.

Vamos acompanhar com muito carinho como Adilson Batista vai levar todo o processo do Figueirense em 2013. Ele não é do tipo de técnico que aceita pressão externa, mas deve ter sido consultado sobre a situação dos dispensados. Ou pelo menos espero que sim.

Já um jogador como Fernandes merecia sair pela porta da frente e com melhor reconhecimento por tudo o que fez nessa mais de uma década no clube. A nota oficial do site do clube foi infeliz. O tratou como qualquer um. E no Figueirense, ele não é qualquer um.

Há um ano, eu tinha escrito no Blog sobre o reconhecimento do clube ao ídolo. Apaga tudo.


Um comentário: