terça-feira, 25 de dezembro de 2012

A divisão do dinheiro da TV Aberta no Estadual 2013

O contrato ainda não foi assinado e divulgado, mas a Associação de Clubes e a RBS TV estão chegando a um acordo quanto à transmissão em TV Aberta do próximo Campeonato Catarinense (bom lembrar que o contrato do pay-per-view continua, e vale até 2014).

Existiam dois problemas: primeiro, o valor do contrato. Os clubes queriam R$ 6 milhões e, segundo informações, a TV não queria passar dos R$ 3,2 milhões. Mas na mesa de negociações os clubes conseguiram fechar por R$ 4 milhões. É menos do que eles queriam, mas é quase o dobro do ano passado, ainda que as cotas representem bem menos que os pequenos do Gauchão recebem. (segundo o relatório anual de 2011 do Grupo RBS, foram pagos R$ 11,7 milhões por todo o campeonato do estado vizinho).

O outro problema era a divisão interna: o Criciúma, por ser da Série A, exigia receber uma maior quantia, enquanto que a Chapecoense, agora na B, que recebia o equivalente a um clube pequeno, queria ganhar o mesmo que seus adversários no Brasileirão. Muita conversa aconteceu e no fim, saiu um denominador comum. Os clubes que subiram da Divisão Especial, Juventus e Guarani, terão que se contentar com a menor parte, e a Chapecoense vai ficar no meio-termo entre grandes e pequenos.

Considerando o valor de R$ 4 milhões do contrato, a divisão da TV Aberta ficou assim:

Federação Catarinense de Futebol: 10% - R$ 400 mil
Agência da Associação de Clubes de SC: 12% - R$ 480 mil

Sobram 78%, que dão R$ 3.120.000,00 . Deste valor, a divisão fica assim entre os clubes:

Avaí, Figueirense, Criciúma e Joinville - 14% cada - R$ 436.800,00
Chapecoense: 12% - R$ 374.400,00
Metropolitano, Atlético e Camboriú: 8% cada - R$ 249.600,00
Juventus e Guarani: 4% cada - R$ 124.800,00

Não sei é o valor ideal do campeonato, mas queira ou não, os clubes conseguiram dobrar a bolada, que poderia ser maior se não houvessem descontos para a FCF e para a Agência. Na proxima negociação dá pra negociar outro aumento real. Principalmente para os pequenos, é um reforço de caixa para lidar com o inflacionado mercado poluído pelo dinheiro que jorra no interior gaúcho.

3 comentários:

  1. É MAIS UMA POUCA VERGONHA QUE ESSES NOSSOS "cartolas" ACEITAM DESSA =REDE DE BAIXOS SALÁRIOS. ESSA IMPOSIÇÃO DESSES FORASTEIROS GAÚCHOS. É UM DEBOCHE. É UM POUCO CASO. É UMA ESMOLA. COMO ILAÇÃO NÃO É PECADO, (SERÁ RODRIGO), QUE PUDEMOS SUPOR O VALOR DO "POR FORA", PARA A ACEITAÇÃO E ENDOSSO DESSES VALORES POR PARTE DE QUEM MANDA E DESMANDA?

    RICA CÂMARA.

    ResponderExcluir
  2. Pena que uma minoria saiba destas informações e ainda ficam dando mole pra essa gauchada que invade nosso estado e assistimos, literalmente, eles fazerem esse tipo de afronta sem se quer haver uma resistência.

    ResponderExcluir
  3. Federação Catarinense de Futebol: 10% - R$ 400 mil
    Agência da Associação de Clubes de SC: 12% - R$ 480 mil
    Esse sim se deram bem. Sugaram todo dinheiro. O que a FCF faz pelos clubes? Trazer o Elber Roberto Lopes rejeitado no Parana e que mais prejudicou o Avai. Estão querendo tirar o 17 titulo do Avai? Que agencia de Clubes é essa? É aquela do empresario que deu um golpe e virou presidente?

    ResponderExcluir