terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Balanção 2012: Joinville

A temporada 2012 do Joinville começou sob a festa do título brasileiro da Série C e do planejamento de um ano que seria completamente novo para o clube. Afinal, depois de ficar sem Série e conseguir dois acessos, a Série B estava de volta, mas desta vez com um bom dinheiro da TV e pontos corridos.

Acho que a principal tônica do JEC neste ano veio da declaração de Nereu Martinelli depois do título conquistado sobre o CRB há um ano: entrar no ano seguinte para se manter na Série B e preparar o time no Estadual.

Se formos olhar de forma rápida o que foi prometido, missão cumpridíssima.

O Estadual foi discreto. Quarto colocado na classificação geral, o JEC arrumou o time com o campeonato andando. Depois de ficar em sexto no primeiro turno, acabou brigando pelo título do returno, perdendo por um ponto para o Figueirense, e sendo eliminado pelo mesmo nas semifinais, com um empate em casa e uma derrota fora. Deu pra notar como o time estava se ajustando de janeiro a abril, mas ainda faltou um quê a mais.

No Brasileirão, e voltando ao assunto lá de cima, o time cumpriu à risca a missão com Leandro Campos, que assumiu após a ida de Argel pro Figueirense. Acontece que, além de não correr risco de rebaixamento, o time começou a namorar o G4. Com o campeonato terminado, deu pra ter a certeza que o time não tinha a condição de brigar pelo acesso. Mas como naquele momento havia uma esperança, os resultados não vieram e Leandro acabou demitido. Coisas do futebol.

No final, uma tranquila sexta colocação em um ano de aprendizado. Passada a primeira Série B, com os pés no chão, já dá pra pensar em algo maior em 2013. Ainda que o patamar de excelência a ser atingido seja bem complicado (e caro) de chegar, a diretoria tricolor precisa olhar para 2012, pensar nos erros, acertos e tentar aprimorar, principalmente com peças de reposição no setor ofensivo, que pecou muito em momentos decisivos. A defesa continuará contando com a segurança de Ivan, a qualidade de Eduardo e a grata surpresa chamada Diego Jussani. Falta um camisa 10, um segundo atacante e, quem sabe, uma sombra para Lima, que deixou de ser unanimidade lá em Joinville faz tempo.

Mesmo com os erros que apareceram, não dá pra reclamar do Joinville em 2012. Subiu, chegou e fez bonito. Não foi pra Série A, mas esse ano não era pro bico dele.


Nenhum comentário:

Postar um comentário