sábado, 28 de janeiro de 2012

Palpitando - 3a. rodada

Vamos aos palpites sem fundamento científico algum para a terceira rodada do Estadual.


Metropolitano x Marcílio Dias - Dois times que, sinceramente, não vi nada de mais. Mas jogando em casa diante do bagunçado marinheiro, vitória verde. Metrô 1 a 0.

Chapecoense x Camboriú - Jogando em casa, o líder vence. Mas não vai ser a goleada que muito torcedor acha. Vou de Chape, 2 a 1.

Criciúma x Brusque - Pressionado pelas duas derrotas, o Tigre vai ter que pressionar o desfalcado Brusque desde o início. Acho que eles saem do zero. Criciúma 2 a 1.

Avaí x Ibirama - O Atlético terá seu primeiro jogo fora de casa. Com jogadores tarimbados, acho que vai criar problemas para Mauro Ovelha, que conhece grande parte do elenco adversário. Vou de empate em 1 a 1.

Joinville x Figueirense - Um Joinville desorganizado, que não encontrou o caminho no seu setor de armação contra um Figueira ajeitado. Vou arriscar aqui um empate em 2 a 2.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Marcilio e JEC: muuuuito o que melhorar

Foto: Leo Munhoz / Ag. RBS
Fui a Itajaí assistir a Marcílio Dias 1x1 JEC.

Um jogo que permite muitas análises. A primeira de tudo: os dois times tem muitos problemas a consertar e pouco tempo para isso. Considerando que um quer brigar pelo título e outro pela Série D, o futebol mostrado na noite de quinta acende um grande alerta de que a coisa não anda bem.

O jogo em si não foi bom. Ambos os times desorganizados na armação. O Marcílio teve uma "estratégia de ataque", se assim pode-se dizer, durante todo o jogo. Eram as jogadas que Tiaguinho, lateral que estava jogando na meia, criava. De resto, nada. As alas não trabalhavam, o time subia em bloco de forma confusa. E quando o camisa 10 tinha boa chance, descolava bons passes. E num deles saiu o gol, num drible da vaca em cima do zagueiro e o passe para o gol de Flávio Dias.

Vendo da arquibancada, dava pra ter a exata noção do buraco tático que existe no JEC sem Ricardinho em campo. O time perde toda a referência na armação, e Ramon, que fez um belo gol, estava sendo vitima da forte marcação marcilista. Gonzaga Milioli o retirou, e a situação piorou um pouco. Tiago Real chamou pra si a responsa, e até que o Joinville poderia ter vencido, uma vez que o time de Itajaí estava cansado, e o goleiro Anderson (o mesmo que tomou 7 gols do JEC na final da Série C, defendendo o CRB), não passava segurança alguma. No fim, o empate saiu barato para o marinheiro.

Eu e o Adão Goulart estávamos tentando descobrir qual o esquema tático que Jamelli estava tentando implantar no Marcílio. E olha que o time já está treinando há tempo e, logo, uma proposta de jogo já deveria estar clara em campo. Aqui, há uma situação difícil de descascar: como a montagem do time e a gerência de futebol estão na mão do técnico, não há, nesse momento, uma solução para troca de comando. Então vai ter que ser desse jeito. Má atuação contra o Figueira e outra atuação fraca contra um JEC desorganizado. A previsão não é nada boa.

Já o Joinville sofreu com a falta de Ricardinho e Lima e não consegue retomar um bom futebol. Há sinais de que, em breve, haverá novidade a beira do gramado. Gonzaga Milioli, o tampão, não está acertando na montagem do time, e antes que a coisa piore, é hora de adiantar a preparação para a Série B com a arrumação do grupo no próprio Estadual. Se tivesse o futebol do ano passado, os três pontos seriam certos. Mas o jogo não está encaixando, e isso é motivo de preocupação para o torcedor tricolor. O time caiu demais de rendimento.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

A velha frase volta a tona, e Chapecoense vence em Brusque

Uma das frases mais manjadas do futebol mundial: "Quem não faz, leva".

E a frase vem a tona e cai como uma luva na vitória da Chapecoense, líder isolada do estadual, sobre o Brusque.

O Brusque teve todas as chances possíveis. Bola na trave, pênalti a seu favor, onde Cris foi tirar a bola de Nivaldo, que já estava morto no canto direito, mandando na trave esquerda, gol perdido num chute bisonho de Jonatan, enfim.... tem uma lista aqui.

A Chapecoense tinha uma só jogada eficiente, com as subidas do bom lateral Gilberto Matuto pela direita. Essas causavam perigo. O outro lado, com William, nem davam susto. O Brusque marcou bem, anulou Neném e João Paulo e controlava o jogo. Aí veio a infelicidade, com as lesões de Leandrão e Felipe Oliveira, desmontando o time. Isso porque o garoto Jonatan estava assustado, perdendo bolas fáceis, e com isso, acabou com o domínio do time, deixando a Chapecoense gostar da partida.

No segundo tempo, Gilberto Pereira avançou a marcação, criou chances de ataque, mas sem perigo extremo. Mas teve sorte ao colocar Tiago Cavalcanti, que achou um chute de fora da área que foi bem no cantinho, matando João Ricardo. Era o gol da vitória

O Brusque não teve forças para recuperar. Lutou, mas não levou, expondo alguns problemas que poderão agravar lá pra frente. O time titular é competitivo, mas o mesmo não se pode falar de muitas posições no banco de reservas. Foi usar o banco, a qualidade cai. E aí volta a rondar aquele fantasma da preocupação. Será que o plantel atual dá conta de evitar um rebaixamento? O time completo joga certinho, tem ainda problemas sérios de armação no meio-campo (mas se espera que Talhetti venha a resolver) para armar jogadas para Chris, já quando entra jogadores como Marcelo Gaúcho, sai de baixo. Assusta.

Mas não há de se fazer terra arrasada, ainda. Vem aí um Criciúma pressionado, depois o Avaí em casa. Há de se trabalhar, aprimorar, jogar aquele feijão-com-arroz de sempre, que, repito: competitivo o time é.

Já a Chapecoense lidera o campeonato de forma isolada sem jogar um bom futebol, ainda. Tem uma penca de desfalques, não tendo o grupo que deve ser o titular. Mas, com duas vitórias, já engata uma liderança isolada, graças aos tropeços dos outros. Time campeão também tem que contar com isso.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Quanto custa torcer no Campeonato Catarinense

O Blog faz um levantamento dos valores dos ingressos nos dez times do Campeonato Catarinense. Dá pra ter uma noção de quem cobra mais caro ou mais barato para o torcedor.

Atlético de Ibirama: Geral e arquibancada antiga (oposta as cabines) R$ 15, Arquibancada nova R$ 20. Ambas as arquibancadas são cobertas.

Avaí: Setor A: R$ 80,00, Setores B, G e H: R$ 30,00,  Setores C, D e E: R$ 50,00, Setor F (visitante): R$ 30,00

Brusque: Geral e arquibancada descoberta (atrás do gol) R$ 25, arquibancada coberta R$ 40 e cadeira R$ 60

Camboriú: arquibancada descoberta (atrás do gol) R$ 20, Coberta R$ 40

Chapecoense: Geral (ao redor do estádio) R$ 30, sociais R$ 40 e cadeiras R$ 60.

Criciúma: Arquibancada (todos os locais são cobertos) R$ 40 e Cadeira R$ 100

Figueirense: Setor A (coberto) R$ 100, Setores B, C, D e E (descobertos) R$ 50

Joinville: Arquibancada (descoberta) R$ 30, cadeira nível 1(coberta) R$ 40 e cadeira nível 2, (coberta) R$ 50. Para compra antecipada, desconto de 5 reais por ingresso.

Marcílio Dias: Arquibancada descoberta (atrás do gol e no lado oposto as cabines) R$ 30, Arquibancada coberta R$ 50 e Cadeiras, R$ 100

Metropolitano: Geral R$ 15, Arquibancada coberta R$ 25 e Cadeiras, R$ 50.

 


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Ah se aqui fosse assim...

Retirado do Blog do jornalista Cleuber Carlos, de Goiás. Dá só uma olhadinha na organização do campeonato de lá.... Que diferença...



Os clubes participam do campeonato goiano de 2012 a exemplo de anos anteriores tem todas as suas despesas pagas pela Federação Goiana de Futebol com exceção dos salários dos jogadores.  O Superintendente e diretor de Marketing da FGF Ronei de Freitas, afirma que os 10 times ganham da FGF bolas, uniformes de jogos e de treinos, hospedagem nos hotéis, transporte, taxas de arbitragens e ainda são isentos de pagar taxas de inscrição de jogadores. Segundo o presidente da FGF André Pita afirma que além disso, os clubes ainda têm o dinheiro da TV Globo que transmitem os jogos no canal aberto para o estado de Goiás e pelo Sport TV no canal pago. Os clubes ficam com a renda total dos jogos porque a FGF abre mão dos 10% que teria direito da renda. O Governo de Goiás com a promoção de troca da nota por ingresso repassa aos clubes R$ 4 milhões e 100 mil reais que são rateados pela FGF de acordo com o ranking do ano anterior. Esse ano p campeonato goiano será denominado “Campeonato Goiano Chevrolet de futebol 2012” e o clube campeão ganhará uma Camionete S10 Colorado que ainda será lançada pela Chevrolet.

SC tem 16 sedes de treinamento escolhidas para a Rio-2016

O Comitê Organizador da Olimpíada de 2016 divulgou nesta terça-feira a lista das 172 sedes que serão incluídas no guia oficial de locais de treinamento para os Jogos do Rio de Janeiro. A entidade - que definiu os nomes a partir de uma pré-lista de 355 locais, formulada em maio de 2011 - vai publicar o guia e enviá-lo aos comitês de outros países durante os Jogos Olímpicos de Londres, em julho de 2012, como oferta dos espaços para os treinos nas diversas modalidades e aclimatação dos atletas internacionais. 

Na lista, Santa Catarina aparece como o quarto estado com o maior número de opções selecionadas, sendo, além de Brusque, Florianópolis, Blumenau, Balneário Camboriú e Palhoça as demais cidades com estruturas registradas.

As sedes escolhidas em SC foram:



- Centro Esportivo Professor Oswaldo Husadel - Balneário Camboriú (SC)
- Complexo Multieventos Vereador Sérgio Luiz Carneiro Ribeiro Lorenzato - Balneário Camboriú (SC)
- Ginásio Barra Multieventos Hamilton Linhares Cruz - Balneário Camboriú (SC)
- Ginásio de Esportes Governador Irineu Bornhausen - Balneário Camboriú (SC)
- Ginásio de Esportes Sebastião Cruz - Blumenau (SC)
- Grêmio Esportivo Olímpico - Blumenau (SC)
- Sesi - Centro Esportivo Bernardo Werner - Blumenau (SC)
- Arena Brusque - Brusque (SC)
- Avaí Futebol Clube - Florianópolis (SC)
- Centro de Ciências da Saúde e do Esporte - Florianópolis (SC)
- Clube Náutico Francisco Martinelli - Florianópolis (SC)
- Costão do Santinho Turismo e Lazer Ltda. - Florianópolis (SC)
- Figueirense Futebol Clube - Florianópolis (SC)
- Sociedade Hípica Catarinense - Florianópolis (SC)
- Universidade Federal de Santa Catarina - Florianópolis (SC)
- Complexo Aquático Unisul - Palhoça (SC)

Palpitando - 2a. rodada

Nem vi qual foi meu aproveitamento na primeira rodada, mas acho que não foi muito bom. Mas vamos lá aos palpites deste meio de semana. Participe também pelos comentários aqui do Blog:

Atlético x Figueirense - Todos sabem das dificuldades de jogar em Ibirama, e o Atlético tem um bom time em boa fase. Vou de empate em 2 a 2.

Camboriú x Metropolitano - Um time venceu em Joinville, outro deveu muito futebol na estreia. Na estreia do Cambú em casa na primeira divisão, a moral deve estar lá em cima. Vou de Camboriú 1 a 0.

Brusque x Chapecoense - O Brusque vem marcando direitinho, mas ainda precisa acertar seu meio-campo. Mas o fato do jogo ser no Augusto Bauer traz bons ventos ao time de Marcelo Caranhato. Vou de Brusque 2 a 1.

Avaí x Criciúma - Dois times que precisam vencer para não se distanciarem da ponta do turno. Aqui é complicado, são equipes que não convenceram na estreia. Vou de empate em 1 a 1.

Marcílio Dias x Joinville - O JEC sentiu a derrota para o Camboriú e os jogadores sabem que erraram demais. Jogarão em Itajaí contra um Marcílio com risco de entrar em crise em caso de derrota. Vou de empate em 1 a 1.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Brusque, um convidado indigesto

O Brusque estragou a festa de 10 anos do Metropolitano no Sesi. Antes do jogo, tudo foi muito bonito. Pena que os dois times não resolveram fazer uma partida à altura do evento. O jogo não foi bom, mas no resumo da ópera o Brusque foi mais competente.

César Paulista armou o Metrô num 3-5-2 de assustar. Os zagueiros eram apertados pelos atacantes do Brusque e entravam em parafuso, correndo sérios riscos. Já Marcelo Caranhato teve a proposta de marcar bem o adversário no primeiro tempo e tentar aproveitar alguma coisa no contra-ataque.

Ao ver que o ataque verde não forçava tanto assim, o Brusque tratou de apertar o time da casa no segundo tempo, e conseguindo o gol numa jogada feliz do garoto Thiago Maestri, que é da casa, formado na escolinha da Sociedade Santos Dumont. Ele arrancou da intermediária, levou a melhor sobre o lento zagueiro adversário, e foi inteligente ao tocar para o gol na saída de Flávio.

Um resultado que foi ótimo para o Brusque, mas precisa deixar claro que ainda há muito o que melhorar. Talvez com as entradas de Talhetti e Chris, o time ganhe um poderio maior no ataque. O Metropolitano assusta mais pelo fato do clube ter um futebol tão pobre diante de orçamento muito maior que o adversário. Cesar Paulista já está pressionado, tendo pela frente um jogo contra o Camboriú, fora de casa.

Aliás, teremos no meio de semana dois jogos de times que venceram na abertura (Atlético x Figueira e Brusque x Chapecoense), o Camboriú pegando o Metropolitano depois de supreender o JEC na Arena, e Avaí x Criciúma lutando para não ver a liderança do returno ficar longe. E por último, um Marcílio x Joinville de pressão de ambos os lados.