sábado, 26 de maio de 2012

A boa arrancada do Criciúma

Segundo os dados do Gustavo Voltz o Criciúma, com a bela vitória sobre o Bragantino por 4 a 3,  tem o melhor início de Campeonato Brasileiro desde 1986, quando venceu os dois primeiros jogos. Não é pouca coisa.

E dá uma esperança de que o trabalho de Paulo Comelli pode estar no rumo certo.

Claro que estamos na segunda rodada, e os próximos três jogos são contra times que brigarão pelo acesso (Vitória, América-MG e Goiás), mas sem dúvida, o time mostrou avanços. Já é melhor que o estadual.

E Zé Carlos jogou muito. Participou dos lances de gol, não foi fominha, e mostra que está em boa fase. Ajuda e muito. A goleada foi aparecendo ao natural, e um desleixo no final, bem próprio de quem perdeu a atenção depois de abrir três gols de vantagem, acabou deixando o Braga encostar. Quem não viu o jogo pode achar que foi parada apertada. Mas houve sobra, e se pressionasse, o Tigre poderia fazer mais.

Por enquanto, tá valendo pela grande renovação que Comelli promoveu no grupo. Estamos apenas na segunda rodada, é cedo demais para se falar em acesso, mas dá pra bancar que o trabalho lá em Criciúma está bem encaminhado.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Empate comemorado? Por que não vencer?

O Joinville empatou com o ABC em uma partida que deu o sentimento de "dava pra ganhar" em todo mundo. Mesmo com o gol mal anulado, o time tinha a condição real de vencer ao natural. Não conseguiu, não atacou como devia, deixou o adversário gostar do jogo e correu risco de tomar uma inesperada derrota. Pior é ver o time tomando cartões amarelos por cera e jogador comemorando o empate. Era só acreditar e se organizar um pouco que a vitória vinha.

Mas aí me pergunto: vi mal o jogo ou Leandro Campos não estava muito a fim de vencer a partida?

O time entrou em campo quebrando a organização que Argel tinha conseguido lá no Estadual: Fabiano Silva no banco e Lima no ataque tendo Tiago Real, um jogador que não é da posição, ao seu lado. Alex e Bruno Rangel ficaram no banco. Com o jogo rolando, era evidente notar que a armação não estava funcionando. Tiago sumiu em campo e levou Lima, que não recebia bolas, junto com ele. O ABC dava muito espaço. Sua marcação na intermediária não existia, e claramente faltava um segundo atacante para aparecer como outra alternativa. Alex só foi entrar aos 35 minutos do segundo tempo. Se é pra mudar o time assim a 10 minutos do final, melhor nem mudar.

Ah, teve o gol de Pedro Paulo, mal anulado. Verdade, um erro bisonho do assistente. Mas vamos pensar bem: diante de um adversário que em campo era notadamente mais fraco, há de ficar se escorando no fato da anulação e não olhar a má atuação do setor ofensivo do time como um todo?

O ABC não é o Atlético-PR. Assim como na Série B não teremos 10 Atléticos e muito menos 10 ABCs. O Joinville foi goleado por um time muito mais qualificado, mas perdeu dois pontos para um que vai brigar pela parte de baixo. Vem aí o Guarani, depois tem o Avaí na Ressacada, dois times mais qualificados e que não mexeram nas suas composições táticas depois do Estadual. Leandro Campos mudou o que estava se arrumando. Lima não pode ficar sem um atacante de ofício ao seu lado. Ele sempre funcionou assim. É ver se a situação muda para o próximo jogo.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Blumenau terá Olimpíadas em cinema 3D

A Rede Record e a Rede Cinépolis fecharam um acordo para a transmissão dos Jogos Olímpicos de Londres em 3D em salas digitais de cinemas em diversas cidades no Brasil.

Os programas com conteúdo olímpico serão apresentados diretamente de um estúdio da central de Jornalismo Record e utilizarão o sinal 3D disponibilizado ao vivo pela OBS.

 De 27 de julho até 12 de agosto o conteúdo olímpico em 3D será exibido em 20 salas da Rede Cinépolis, em sessões regulares entre 15h e 17h, com exceção das cerimônias de abertura e encerramento que terão uma cobertura diferenciada e ocorrerão entre 17 e 20h, no horário de Brasília.

Em Santa Catarina, Blumenau é a cidade que oferecerá a transmissão dos Jogos Olímpicos de Londres em 3D, no Norte Shopping. Esta iniciativa é um marco na transmissão de eventos esportivos e deve consolidar uma tendência que se observa atualmente em utilização de 3D para broadcasting ao vivo.


terça-feira, 22 de maio de 2012

Vitória magra, com cara de Série B

Marco Santiago / ND
O torcedor avaiano meio que tomou um banho de realidade hoje. A Série B, com poucos jogos de apelo, numa terça a noite, é jogo pra 4, 5 mil pessoas. Foi assim contra o São Caetano.

Jogo contra um adversário que perdeu em casa na estreia e não vem mostrando ser um time que vá brigar pela parte de cima da tabela. Vencer era obrigação, mesmo jogando mal. E acabou dando certo: num jogo fraco, o pênalti cobrado por Cléber Santana garantiu três pontos que foram obtidos em uma situação que não será raridade: espere alguns jogos sofríveis.

O Avaí sem Nunes, tinha Capixaba na frente. Robinho abusou de errar passes e o time não funcionou no primeiro tempo. Até Cléber parece ter sido afetado pelo clima sonolento na Ressacada. Foi necessária uma chacoalhada no vestiário para o time vir mais ligado no segundo tempo, onde criou um pouco mais, botou bola na trave e conseguiu o gol.

É o tipo do jogo meia-boca que não há muito o que comentar. Mas há espaço pra ressaltar, mais uma vez, a necessidade urgente do Avaí contratar homens de frente. Quando vier pela frente um adversário mais qualificado, a dificuldade vai ser bem mais notada. Contra esse São Caetano lento aí, até que foi tranquilo.

Caçador desiste de sediar os Jogos Abertos

Lá em 2010, quando assisti a votação que definiu a sede dos JASC em 2012, questionei o que Caçador tinha a mais de estrutura que Joinville para receber os Jogos. Havia um lobby grande da Fesporte para que a cidade do meio-oeste fosse agraciada. Levou a parada, com a promessa de receber dinheiro, que não chegou. Aconteceu o que era esperado, e Caçador desistiu de sediar os JASC deste ano por falta de verbas. Criciúma deve ser confirmada nas próximas horas como sede da 52a. edição, repetindo o ano passado.

Informações do site Caçador Online:

Está definido. Caçador não vai mais realizar os Jogos Abertos de Santa Catarina (JASC) neste ano. A informação, que havia sido publicada em primeira mão no Portal Caçador Online, foi confirmada pelo prefeito Imar Rocha (PMDB) na tarde desta terça-feira, 22, em entrevista coletiva.


O principal argumento é do repasse de verbas abaixo do que havia sido combinado com o Governo do Estado no ano passado. “Conversei com o então secretário de estado de Turismo, Cultura e Esporte, Cesar Souza Junior, que nos garantiu, em encontro em Florianópolis, a liberação de R$ 2,1 milhões em fevereiro deste ano”, disse, lembrando que junto com ele estava o secretário Valdir Cobalchini.


Entretanto, segundo Imar, neste ano, houve a troca do secretário e o atual postulante do cargo, José Natal Pereira, afirmou que o Estado estava com dificuldades financeiras e não seria mais possível fazer o repasse completo das verbas acordadas. “Nesta semana, o presidente da Fesporte, Pecos Borsatti, nos informou que seriam liberados R$ 1,2 milhões, R$ 900 mil a menos que Criciúma recebeu no ano passado e ainda, em 4 parcelas. Com isso, fica inviável realizar os JASC em Caçador”, assinalou Imar, lembrando que para que as obras possam ser realizadas, é preciso licitação e a garantia de todos os recursos. “Não podemos mexer nos cofres da Prefeitura para realizar um evento que é do Estado de Santa Catarina. Precisamos pensar antes de mais nada, nas obras e serviços primordiais à nossa cidade”, justificou o prefeito.


Sobre a influência de Cobalchini para apoiar na vinda dos recursos, Imar destacou que isso está sendo feito, mas em outras áreas. “Ele está nos auxiliando em pavimentações e na substituição de pontes, fazendo o que pode neste sentido, mas os JASC não são da área dele”, explicou. 


O prefeito salientou, entretanto, que acaso o Governo do Estado libere as verbas de R$ 2,1 milhões até o dia 7 de julho e de forma integral, os JASC poderão ser realizados em Caçador. “Estou seguindo a mesma postura do governador Raimundo Colombo, que preferiu não liberar os recursos que nos foram prometidos para investir em outras áreas no Estado”, afirmou Imar. 


 Sobre a participação da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional de Caçador, Imar destacou que não ficou sabendo se houve ou não. “O que penso é que se isso aconteceu, não vi nada de concreto”, disse. Já a respeito da oficialização da desistência de sediar os JASC, Imar salientou que já ligou para o secretário José Natal, que se encarregou de dar a notícia ao governador. 



Figueirense é o 14o. clube que mais fatura no Brasil, e o maior crescimento

Retirado do site administradores.com.br :

A empresa de consultoria e auditoria BDO Brazil acaba de divulgar um estudo exclusivo sobre as finanças dos clubes de futebol brasileiros em 2011. A pesquisa, que inclui algumas informações inéditas, como a abertura das receitas por clube e análises regionais, aponta que o Corinthians tem a maior receita total do país (R$ 290 mi), à frente de São Paulo (R$ 226 mi), Internacional (R$ 198 mi), Santos (R$ 189 mi) e Flamengo (R$ 185 mi), que completam as cinco primeiras posições.
Quando não são incluídas as receitas obtidas com transferências de atletas, o Flamengo fica na terceira posição e, em seguida, aparecem Internacional e Santos. Corinthians e São Paulo se mantêm, respectivamente, em primeiro e segundo lugares.
Já o Figueirense registrou uma alta impressionante entre 2010 e 2011, sendo o clube que mais cresceu no período (passou de R$ 16,898 mi para R$ 40,712 mi, uma alta de 141%). Logo em seguida, aparece o Coritiba, que registrou R$ 30,696 mi em 2010 e em 2011 conseguiu R$ 66,577 mi (alta de 117%). Os dois times foram os únicos que cresceram mais de 100% entre os dois anos.



Aqui, vejo dados interessantes: o Figueira fatura mais que clubes de praças bem maiores, como Vitória e Goiás. Outro fato a destacar é o crescimento da receita. Só o Coritiba chega perto. Como os números consolidados são de 2011, não está incluído o grande aumento de arrecadação com TV para este ano.

Clique aqui para ler a pesquisa na íntegra





"Futebol de Sutiã" comenta a rodada

A partir desta semana, o Blog irá colocar um pouco de opinião feminina as terças-feiras. As meninas do site "Futebol de Sutiã" comentam a rodada do final de semana com muita propriedade. Abaixo o vídeo, com o trio Paula Battistella, Maria Luiza Gil e Alessandra Flores:




segunda-feira, 21 de maio de 2012

Uram responde à declaração de Angeloni

O empresário Eduardo Uram respondeu, via nota oficial, à declaração dada pelo presidente do Criciúma, Antenor Angeloni, e publicada aqui no Blog em post anterior a este. O conteúdo é o que segue:

Em relação às recentes declarações do presidente do Criciúma Esporte Clube, Antenor Angeloni, o sócio gerente da empresa Brazil Soccer, Eduardo Uram, através de sua assessoria de imprensa, faz esclarecer o que segue: 

Com o intuito de negociar o jogador Ronny, que acabara de fazer um excepcional Campeonato Catarinense, o empresário entrou em contato com o presidente Antenor Angeloni em maio de 2011. A empresa Brazil Soccer em nenhum momento propôs algum tipo de parceria com o Criciúma Esporte Clube e nem mesmo ofereceu outros atletas da empresa para compor o elenco da equipe, pelo contrário, houve sim o interesse do clube catarinense em estreitar o relacionamento com a empresa, que mesmo construindo um bom relacionamento com seus dirigentes, não entendeu ser uma atitude ética por já possuir uma parceria sólida com o Figueirense Futebol Clube. 

Ainda em 2011, o empresário Eduardo Uram cumpriu seu único compromisso assumido com o presidente Antenor Angeloni que foi a negociação do atleta Ronny, que representou ao Criciúma Esporte Clube a maior venda de um jogador na história da agremiação, tendo a certeza que não terá outra negociação tão substancial no clube. É importante ressaltar que o valor dessa transação foi integralmente recebido pelo Criciúma Esporte Clube dentro dos prazos estabelecidos em contrato. 

É compreensível entender a chateação do Sr. Angeloni ao ver alguns dos melhores jogadores da época recente do Criciuma Esporte Clube jogando em outra equipe de dentro do mesmo Estado, salientando-se, porém, que o empresário sempre deixou claro que seu único comprometimento era com o Figueirense Futebol Clube, reiterando ainda que seu compromisso com o Criciúma Esporte Clube foi apenas a negociação envolvendo o meia Ronny, na qual foi totalmente exitosa. 

Por fim, a empresa Brazil Soccer, através de seu sócio gerente Eduardo Uram, esclarece que não teve nenhuma relação com o Criciúma Esporte Clube diferente de um empresário qualquer, e ao ser forçado a retirar seus jogadores por decisão dos que aconselham o Sr. Angeloni, o fez imediatamente, transferindo-os na sua totalidade para clubes uma divisão acima da que o Criciúma Esporte Clube se encontra, ou seja, a Série A do Campeonato Brasileiro. Eduardo Uram gostaria de reiterar ainda que considera o presidente Antenor Angeloni, apesar de suas divergências no futebol, um grande amigo ao qual aprendeu a respeitar, desejando êxito na sua missão obstinada dentro do futebol.

domingo, 20 de maio de 2012

Angeloni sobre Uram: "Ele me ludibriou"

Antes da estreia do Criciúma na Série B, o presidente Antenor Angeloni soltou o verbo, e voltou a artilharia para o empresário Eduardo Uram, que mandou para lá, entre outros jogadores, o zagueiro Anderson Conceição e o lateral João Paulo. Segundo Angeloni, ele foi "ludibriado" pelo agente. A matéria é do site Engeplus:

O presidente do Criciúma Esporte Clube, Antenor Angeloni, disse que o empresário Eduardo Uram, que trouxe vários jogadores ao Tigre no início deste ano, não atendeu às expectativas. “Foi o maior erro que cometemos. O Uram foi à minha casa e pediu pra confiarmos nele. Confiamos e ele me ludibriou”, ressaltou o presidente em entrevista na tarde deste sábado, no Estádio Heriberto Hülse. Para ele, o Criciúma está em uma situação delicada. 

“Temos que mudar as rodas da carruagem com ela em movimento. É difícil, mas a vontade de acertar e o trabalho são grandes”, disse o presidente. “Nosso Campeonato Catarinense nos atrasou muito no processo”, completou. 

 A comissão técnica do Criciúma também não foi poupada por Angeloni. “Pedimos para a comissão ficar atenta aos reforços trazidos pelo Eduardo Uram e se eles ficaram até o final do campeonato foi erro nosso também”, destacou Antenor. “Já mandamos 18 jogadores embora. Meu Deus. Isso é muito. Não podemos mais errar”, concluiu.

Figueira consegue bater o retrancão

Assessoria / Figueirense FC
Detesto treinador que monta um senhor retrancão e não tem medo de admitir que quer levar um empatezinho.

O Figueira, com um atacante só, conseguiu o gol da vitória no último lance, na base da pressão, sobre o retrancão. E olha que o time tomou susto, em um gol que só não tomou por causa da incompetência de Araújo. Problemas de montagem de time a parte, o que interessa muito é que Argel iniciou seu trabalho com vitória. Foi um jogo tecnicamente fraco, mas com emoções.

A análise do jogo é rápida: o ataque do Figueirense, que tinha o estreante Caio ainda se estranhando com Roni, não segurava a posse de bola, que batia e voltava para a defensiva do Náutico, que abusou do chutão para tentar alguma coisa. Numa dessas bolas, Araújo aproveitou uma lambança da marcação alvinegra para entrar sozinho no gol, e perder de forma incrível. Diante de duas linhas de quatro marcadores e com um ataque desentrosado, Fernandes teve que fazer o gol em uma jogada puramente individual. Na jogada seguinte, Sandro fez um pênalti em Araújo - ao perder a marcação pela terceira vez na partida - para vir o empate do Timbú. E no final, brilhou a estrela de Caio, que na hora certa e no lugar certo, marcou a virada inesperada. O empate era uma derrota para Argel e uma vitória para Gallo, que não quis em momento algum pressionar o adversário.

Problemas o Figueira tem aos montes. Faltam atacantes, a linha de zaga deu bobeadas enormes e ainda faltam reforços.  É fato que ainda falta gente pra estrear, mas a partida jogada para pouco mais de 5 mil pessoas no Scarpelli serviu pra deixar bem claro onde estão os problemas. Ali que Argel vai ter que trabalhar. O resto aparece com a sequência dos jogos.

Vitória que vem muito bem. Na circunstância do jogo, era difícil acreditar que os três pontos viriam.