sábado, 30 de junho de 2012

Resumo do sábado: o Tigre segue em frente, já Avaí e JEC...

Os três catarinas na Série B entraram em campo neste sábado com o Criciúma seguindo na frente, e atuações preocupantes de Avaí e Joinville.

Zé Carlos fez o seu e o Criciúma, mesmo não jogando tão bem, venceu o CRB, que jogou fechadinho, por 2 a 0. E de quebra, viu a gordura aumentar mais dois pontos. Com 21, já abre nove de vantagem para o Boa Esporte, quinto colocado. Ou seja, o time se mantém no G4 por, no mínimo, mais três rodadas. Mas aí tem que imaginar três derrotas consecutivas... Mas o time vai se mantendo bem. Não vai vencer todas, o que é normal, mas se garantindo em casa, somando pontos fora, o acesso vai se encaminhar.

O Avaí jogou um futebol muito pobre contra o Vitória, que engatou bem os contra-ataques para vencer a partida. Até que o time fez um primeiro tempo razoável, mas faltou aproveitar as chances. Que o Vitória, jogando de uniforme alvinegro, aproveitou. O elenco desfalcado mostrou seus problemas, o jogo não correu como devia no segundo tempo e, pra fechar com chave de ouro, Marcinho Guerreiro foi expulso de campo. Toca pro jogo contra o Asa semana que vem.

E o Joinville jogou um futebol pobre contra o Boa. Arrancou um empatezinho fora, não é de se desprezar, mas chama a atenção a bagunça que o time mostra em campo. Lima atuando na marcação em jogadas de falta? Peraí, isso não tá certo. Assim como desde o início da Série B a gente fala que o camisa 9 não consegue jogar isolado na frente. Ah, tem o Alex. Mas os dois não estão se entendendo. Bruno Rangel era o que melhor se entendia com ele, mas acabou demitido. E aí o Joinville tem uma bomba na mão. Está no meio da tabela, mas poderia estar um pouquinho melhor. Leandro Campos vê seu trabalho ser muito criticado, o que não é um bom indício.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

O documento que Marin garante o Treze na Série C

Abaixo, a intimação recebida pelo presidente da CBF, José Maria Marin, que garante o Treze-PB na Série C do Brasileiro.

Além de assinar, Marin escreve que "antes mesmo do ato de recebimento da intimação, a CBF cumpriu a decisão fazendo incluir o Treze FC na Série C do Campeonato Brasileiro 2012, conforme tabela já publicada no site da CBF".

Minha opinião final sobre o caso: culpa da CBF e do STJD, que ficaram mais desmoralizados ainda. Estão pagando por uma papagaiada do ano passado. O Treze encontrou uma brecha, não deu bola pras pressões e informações erradas e confiou no seu taco. Mas se as entidades não tivessem feito um acordo extra-judicial com o Rio Branco e o governo do Acre ano passado, tudo poderia estar resolvido.


quinta-feira, 28 de junho de 2012

Série C: Justiça aumenta multa e bota até polícia no meio

O Treze da Paraíba conseguiu agora a tarde na Justiça da Paraíba um instrumento que aumenta a multa diária em caso de descumprimento de decisão por parte da CBF. A multa passa a ser de 100 mil reais diários, com ordem judicial para, se necessário,usar da polícia para impedir a realização dos jogos.

Os clubes que permitirem que os jogos da Série C aconteçam também estão sujeitos a multa. Abaixo a decisão. O que foi deliberado pela juíza está na última página. Clique para ampliar







.
A novela ainda não acabou.

CBF paga mais de 2 milhões para rolar a Série C

É, parece que a bola vai rolar na Série C nesse final de semana. Parece. Sabe lá o que pode acontecer até o final de semana.

Pequeno Tutorial sobre o que aconteceu: a justiça paraibana determinou a inclusão do Treze na Série C sob pena de multa diária de 50 mil reais, com um limite máximo de R$ 2,488 milhões. A CBF depositou a grana da multa integral e disse pra justiça da PB que tinha uma decisão liminar lá do Acre que determinava o contrário. Foram espertos.

Mas custou caro, fazendo a CBF gastar um monte. O Treze vai receber o dinheiro? Depende. No primeiro momento, o depósito foi feito via judicial. Está na justiça. Se o clube paraibano ganhar o mérito da ação, o que vai demorar um pouco, poderá levar a bolada.

E a CBF correu para marcar a rodada da Série C pro final de semana. A Chapecoense, por exemplo, já entrou no ônibus rumo a Porto Alegre para voar para Araras, onde já joga no sábado. Não tinha como dar mais uma semana de prazo para mais um corre-corre nos tribunais.

E penso que se o Treze lograr êxito em alguma coisa na justiça, o máximo que vai acontecer é acontecer a troca dos jogos do Rio Branco lá no grupo do Norte. Não deve mexer nos grupos aqui do Sul.

Um mês depois e com torcedores impacientes, hora de ver a bola rolar. E vamos em frente.

Conheça a segundona: Guarani de Palhoça

SOCIEDADE ESPORTIVA, RECREATIVA E CULTURAL GUARANI
Fundação: 15 de fevereiro de 1928
Cores: Azul e Branco
Estádio: Renato Silveira (3.000 lugares)
Presidente: Amaro Júnior
Técnico: Hudson Coutinho
Ranking "BdR" 2011: 15o. lugar
Catarinense 2011: 5o. lugar na Divisão Especial


O terceiro time profissional da Grande Florianópolis (e que neste ano terá um outro adversário regional, o calouro Biguaçu) tenta se virar para manter o futebol profissional em uma região com uma clara divisão entre Avaí e Figueirense, em uma cidade que cresce em índices consideráveis. E eis o Guarani, que já pregou muita peça em time grande dentro do seu estádio, o Renato Silveira. Já há alguns anos ouço promessas de ampliação lá, até vi um desenho de como seria. A tão sonhada reforma ainda não aconteceu, e o presidente e ex-treinador Amaro Júnior corre atrás de atletas e parcerias para montar o time.

O técnico do Bugre para 2012 é Hudson Coutinho, 39 anos, ex-preparador físico de times como Figueirense, Chapecoense, Náutico e Marcílio Dias. Formado em Educação Física na Udesc, Hudson era o técnico da equipe júnior do Guarani. Recebeu o convite de Amaro e aceitou treinar uma equipe profissional pela primeira vez. O time já realizou jogos amistosos e aposta num projeto com jogadores locais, somados a alguns reforços do Avaí para brigar pelo acesso.


E são vários jogadores conhecidos do torcedor avaiano no time. Uma parceria foi realizada e atletas não utlizados pelo grupo profissional acabaram repassados ao Bugre. Estão nessa turma o zagueiro Cleyton, rebaixado com o Brusque no Estadual deste ano, o lateral Gustavo, irmão de Marquinhos Santos, que estava na Chapecoense, além do volante Jhonny e o atacante Ildemar. Ainda do Brusque vieram o volante Evandro e o meia Cléberson, que serão capitaneados no campo pelo zagueiro Fábio Fidélis, de 26 anos, cria das divisões de base da Ressacada e filho de Veneza, um dos ídolos do Leão. Teve chances como titular lá pelos idos de 2007, mas acabou não decolando. Será o homem de referência da defesa palhocense. O restante é formado por jogadores da Grande Florianópolis, muitos sendo destaques do forte futebol amador da região.

E é com essa base modesta que o Guarani tentará retornar à primeira divisão, de onde saiu em 2008. Não tem um plantel tão forte ou de investimento semelhante aos favoritos, mas ganha qualidade com os jogadores cedidos pelo Avaí. Não vai fazer feio, mas não vejo como um postulante direto a vaga na primeira divisão.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Denúncia de racismo no Estadual Feminino

Informa o site do TJD que a Kindermann de Caçador irá a julgamento no próximo dia 3, no TJD em Balneário Camboriú, pela grave acusação de racismo, coisa que queremos longe dos nossos estádios.

O relatório dos acontecimentos não está presente na súmula do jogo, mas segundo o Tribunal, na partida que aconteceu em 27 de maio, torcedores da Kindermann proferiram xingamentos racistas para o massagista e de atletas do Avaí. Os agressores foram identificados pelas vítimas e conduzidos à Delegacia de Polícia.

 O clube será julgado pelo artigo 243-G, caput e §§ 1º e 2º, do CBJD.( Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência), podendo até perder os pontos do jogo, bem como pagar uma multa de até 100 mil reais.

Tipo da coisa que precisa ser noticiada, repudiada, para que não se repita.

Tutorial da Crise na Série C, Parte 2: porque não é assim simples

O Blog publicou há algum tempo este post, explicando em pormenores, e numa linguagem mais clara, o que está pegando nas Séries C e D, que impedia até então o início dos dois campeonatos.

A Série D começou, metade do problema acabou se resolvendo, mas o caso da Série C é mais complicado, e tem muito ruido nessa comunicação. A CBF trabalha na base da pressão para começar o campeonato, mas a situação não é assim simples. Vamos tentar explicar.

Primeiro, uma dica: não vá cegamente atrás do que os setoristas da CBF falam. Tente pesquisar os sites do nordeste atrás da versão do Treze, que está dando uma goleada nos Tribunais sobre a confederação e, a partir daí, tente tirar uma opinião própria e ver quem tem razão.

A minha opinião: a CBF fez lambança. Contrariou o STJD, fez acordo pra retirada de ação judicial do Rio Branco (por que não ameaçou desfiliar ano passado?) e, tendo que bancar o acordo que teve até a participação do governo do Acre, sustenta o que fez de forma irregular no ano passado.

O Treze leu o regulamento e conseguiu encaixar uma ação que tem lá sua procedência. Eles não agiram fora da lei. Acontece que no Grupo A da Série C do ano passado, o Araguaína-TO ficou na última colocação, sendo rebaixado no campo. O Rio Branco, que estava classificado, foi eliminado do campeonato pelo STJD, por usar a justiça comum para vender ingressos em seu estádio sem esgotar a instância desportiva. Aí sim, um erro do clube do Acre.

Aí o Treze, quinto colocado da Série D do ano passado (foi eliminado pelo Santa Cruz) pensou: um time foi rebaixado no campo e outro pelo STJD e existe uma brecha no regulamento que fala no acesso, então por que não solicitar a vaga na Série C? Foi o que fizeram. Perderam no STJD, na esfera desportiva, sendo aconselhados pelo próprio tribunal a procurar a justiça comum. Acredite!

O STJD aqui também foi frouxo, porque deliberou o rebaixamento do Rio Branco, mas está sendo condescendente com a CBF em aceitar o acordo judicial.

E nisso aí, o Treze está dando uma goleada nos tribunais. A justiça comum está determinando a inclusão do Galo da Borborema na Série C, e a CBF não está obedecendo. Cabe à confederação tentar derrubar a ação no TJ da Paraíba ou tentar levar a questão até o STJ, que já havia devolvido a questão ao estado de origem. Enquanto isso, tudo parado.

Tá vendo por que não é assim simples?

Um professor de direito de Campina Grande, torcedor do Treze, enviou uma comunicação  à Fifa sobre o que está acontecendo. Principalmente sobre o acordo do ano passado e a complascência do STJD.

A CBF não pode desfiliar o Treze. Tem ordem judicial proibindo isso. Conmebol e Fifa desfiliar? Uma entidade do Paraguai e outra da Suíça não tem poder sobre o estado de direito do Brasil. Podem, no máximo, proibir de disputar suas competições, como Libertadores ou Mundial.

Por isso que não sou nada otimista com o início da Série C. A CBF pode iniciar no final de semana, mas um pedido da justiça pode melar tudo de novo. É mais fácil ter acordo.

Conheça a segundona: XV de Outubro

SOCIEDADE DESPORTIVA XV DE OUTUBRO 
Fundação: 15 de outubro de 1952
Cores: Azul e Vermelho
Estádio: Gigante do Vale - 2500 lugares
Presidente: Jorge Jacobowski
Técnico: Josélio Kresch
Ranking "BdR" 2011: 17o. Lugar
Catarinense 2011: 8o. lugar na Divisão Especial



Clube que completa 60 anos de existência em 2012, o XV de Outubro de Indaial participa da segundona pela terceira vez. Campeão da Divisão de Acesso em 2009, teve uma participação muito boa no ano seguinte, chegando ao quadrangular final, perdendo a vaga na primeira divisão para o Marcílio Dias e o Concórdia. No ano passado o time não teve a mesma qualidade, terminando apenas na oitava colocação. O clube, que apresentou para o mundo o futebol de Leandro Damião, e que já teve Jonatas, do Juventude, Maurinho, do Metropolitano e Arlan e Julinho, do Avai, no seu plantel, vai tentando tocar a sua vida mesmo sem todo o apoio do empresariado indaialense, vai trabalhando em melhorias no acanhado Estádio Erwin Blaese, o Gigante do Vale. Novas bilheterias e sistema de iluminação estão sendo providenciados, a fim de dar uma melhor condição ao time e ao torcedor rubro-anil.

E vai continuando o trabalho do técnico e coordenador de futebol Josélio Kresch, o homem que manda e desmanda no XV. Ex-técnico das categorias de base do Atlético de Ibirama, Josélio comanda o projeto desde que o clube ingressou no futebol profissional. Exímio formador de atletas, aposta em jogadores de outras temporadas, misturando com jovens talentos e nomes experientes para tentar surpreender e colocar o município de Indaial pela primeira vez na elite do futebol de Santa Catarina.

O elenco do XV de Outubro tem jogadores remanescentes do ano passado, caso do lateral Bonfim e o volante Sérgio Grach. Também chegaram o zagueiro Michel, o volante Leandro França, o meia Danilo e o atacante Jean. A estrela do time é o atacante Carlinhos, de 28 anos, ex-Cidade Azul, Brusque e União de Timbó, com passagem pelo Avaí em 2008, autor de cinco gols pelo Bahia de Feira no último campeonato baiano. "Estou feliz por voltar, pois foi aqui que iniciei no futebol e sempre fui reconhecido. Vou retribuir com muito trabalho e dedicação, disse Carlinhos, que vai ser a principal esperança de gol do time de Josélio Kresch.

Com uma estrutura e investimento bem mais modestos em relação aos favoritos, o XV de Indaial tenta ser um elemento surpresa na Divisão Especial. E até penso que ainda não é o momento do time se arriscar numa primeira divisão. Precisa conseguir mais investimento, investir em melhorias do seu estádio (as cabines de imprensa ficam anexas aos alojamentos dos atletas) para tentar se assanhar na elite. Mas Josélio Kresch vai fazendo um trabalho bem organizado, formando atletas e, quem sabe, tentando descobrir mais um Leandro Damião. Pode não ser o campeão, mas o XV vai dar bastante trabalho aos adversários, principalmente jogando dentro da sua casa.


terça-feira, 26 de junho de 2012

Conheça a Segundona: Hercílio Luz

HERCÍLIO LUZ FUTEBOL CLUBE
Fundação: 22 de dezembro de 1918
Cores: Vermelho e Branco
Estádio: Aníbal Costa (10.000 lugares)
Presidente: Michel Mussi
Técnico: Marcelo Estigarríbia
Ranking "BdR" 2011: 11o. lugar
Catarinense 2011:  4o. lugar na Divisão Especial


O Hercílio é um dos mais antigos clubes de futebol de Santa Catarina, que já conquistou por duas vezes o título estadual, em 1957 e 58. O Leão do Sul, assim como seu co-irmão Atlético, vive da síndrome do quase na Segundona. Bateu na trave em 2009 e 2010, e no ano passado, treinado por Joceli dos Santos, escapou de conquistar o acesso numa tumultuada final de turno contra o Atlético de Ibirama. No returno, o Hercílio enfrentou o Camboriú na semi-final, novamente sendo eliminado. A vaga na primeira divisão nunca esteve tão perto. Sem desistir, o clube de Tubarão buscou uma parceria com uma empresa chamada "Janela do Futebol", que também administra o futebol do Passo Fundo-RS, que disputa a segunda divisão do Campeonato Gaúcho. Além de ser responsavel pela parte do futebol do clube, a parceria também providenciou um ônibus para o clube.

Para o projeto 2012, o Hercílio Luz terá no comando do futebol o supervisor Joubert Pereira e o técnico Marcelo Estigarríbia. Joubert foi um dos responsáveis pela maior alegria que eu tive como torcedor dentro de um estádio de futebol. Como técnico, ele foi campeão catarinense com o Brusque, em 1992. Estigarribia, de 37 anos, trabalhou por 15 anos na base do Internacional e quatro no Grêmio, além de clubes do interior do Rio Grande. Sua última passagem foi no Canoas, no Campeonato Gaúcho, sendo demitido após três derrotas seguidas. Marcelo mostra muito otimismo para a segundona: "No Hercílio eu fui contratado para ser campeão, ou no máximo ficar entre o vice e o campeão, porque eu fui contratado para o acesso. Então a gente fez uma pesquisa, pesquisei como estava formando o Concórdia, o Tubarão, o Juventus, entre outros e sei que esses três são clubes que estão se organizando e vi o Hercílio com grande chance de estar classificado para a Primeira Divisão no ano que vem".

Muita gente do time do ano passado está retornando ao Hercílio para a Divisão Especial de 2012. São os casos do zagueiro Michell Nunes, ex-Marcílio Dias, o volante Luiz Henrique, ex-Brusque, e os atacantes Felipe Oliveira, que também estava no Brusque, e Giba, ex-Metropolitano. Além dos remanescentes, também chegaram o bom goleiro Márcio Kessler, ex-Marcílio Dias, o zagueiro Cris, ex-Juventus, e o atacante Juari, ex-Brusque e Metropolitano. Mais cinco jogadores que pertencem à Janela do Futebol se incorporarão ao Leão do Sul assim que terminar a participação do Passo Fundo no Campeonato Gaúcho.

O Hercílio Luz apostou na base do ano passado, trazendo reforços pontuais para tentar o acesso. Muitos dos jogadores do elenco que acabei não relacionando aqui eu não conheço. Clubes como o Atlético e o Concórdia tem jogadores mais conhecidos em Santa Catarina que sabemos que podem fazer a diferença. O Leão do Sul quer surpreender. E não tem como duvidar de um time que todos os anos está brigando pela parte de cima. A verdade é que a cidade de Tubarão gosta de futebol e merece um time na elite.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Video: "Futebol de Sutiã" comenta a rodada!

Final de semana de empates de Avaí e Figueirense, e da liderança dos clubes mineiros na Série A. Hora dos comentários das meninas do "Futebol de Sutiã" nessa segunda, sobre os principais fatos da rodada:

domingo, 24 de junho de 2012

O mau ataque que faz a "empatite" continuar

Luiz Henrique / Figueirense FC
O Figueirense criou algumas chances, não soube aproveitar, e lá atrás o Bahia conseguiu empatar, numa assistência de Pablo para o atacante adversário. Aliás, todo mundo está falando no Pablo. Ele falhou no lance do gol sofrido, mas virou o vilão de uma partida em que o time não conseguiu, de novo, funcionar como um time.

Esperava mais do time de Argel depois da boa atuação do jogo contra o Cruzeiro, onde merecia sorte melhor. Mas parece que aquele jogo lá foi uma exceção. O time voltou a jogar de forma tímida, sem vibração e atenção na marcação. As chances apareceram no primeiro tempo, é verdade. O que falta é qualidade nas finalizações. Não sei é treino de fundamento ou tranquilidade mesmo, mas o setor ofensivo peca muito nas oportunidades criadas. Um lance em especial, no primeiro tempo, com três chutes a gol no mesmo lance, poderia virar gol caso houvesse cabeça fria para colocar a bola no gol, ao invés de encher o pé em cima do zagueiro. E quando se perde tanta chance de gol, força o treinador adversário a mexer no time, acreditar em resultado melhor.... e foi o que Falcão fez. Mexeu o time, funcionou, arrumou a marcação e criou chances. Sem muita qualidade, é verdade, mas aí apareceu a cabeçada errada do Pablo que caiu nos pés de Vander.

Quarto empate na Série A, o segundo em casa, contra times que, teoricamente, são do mesmo patamar do Figueira. É outro fator que preocupa.

Voltando ao caso do Pablo, por mais que ele esteja em má fase e está sendo crucificado pelo empate, o cenário mostra que se Argel simplesmente sacá-lo do time já vai tirar um monte de pressão, sem diretamente resolver o problema do time. É bom pensar nisso.