sábado, 7 de julho de 2012

Não fosse o tal Fair Play, seria SC 100%. Mas tudo segue bem

Dentro da minha proposta de viajar pelo Estado para ver os times catarinenses in loco no Brasileirão, cá o blogueiro está em Joinville, onde vi na Arena o JEC golear o Barueri por 4 a 0. Mas também o Criciúma empatou no Ceará sem fair play do adversário e o Avaí ganhou do Asa. Começo pelo jogo que assisti.

Juliano Schmidt / Portal Joinville
Aqui em Joinville, o JEC patrolou o lanterna do campeonato. Sem querer desmerecer o time, que fez um bom jogo. Houve melhora? Não sei, porque o resultado em si não pode ser tão levado em consideração com um time em compasso de arrumação. Mas pra uma coisa a goleada serviu: dar tranquilidade aos jogadores e ao pressionado Leandro Campos durante a próxima semana, até o jogo contra o São Caetano. Foram dois gols de Alex e dois de Leandro Carvalho, o melhor em campo. Vendo do estádio, dá pra ter a clara ideia que o time está se arrumando de trás pra frente: a defesa marca bem, com Maurício atuando bem na cobertura e o estreante Diego Jussani muito bem posicionado. Eduardo continua fazendo das suas na direita enquanto Tarcísio, improvisado, aproveitou a chance e segura a barra na esquerda. Falta ainda arrumar o meio pra frente. Leandro mexe, mexe, mexe e não acha a formação ideal. Contra o Barueri, o sistema de armação tricolor encontrou uma marcação confusa, o que facilitou o trabalho. O JEC não jogou contra um pretendente ao acesso, e isso precisa ser mencionado. Mas, de toda forma, o time ganhou uma boa moral depois desse resultado. Só faltou o gol do Lima, que teve chances mas não aproveitou.

O Criciúma vencia por 2 a 0 o Ceará e tomou o empate em gol polêmico. Já vi torcedor cearense esfregando no Youtube um caso de 2007. Ok, faltou lá, mas achar que o lance de hoje tem a ver com aquilo é ser doente. Olha, acho que nunca comentei aqui, mas o cara mais inteligente com fair play que conheço chama-se Argel Fucks. Times dele, nessa situação, cedem o lateral para o adversário no campo de defesa do adversário, lá perto da bandeira de escanteio. Pronto, o risco é minimizado. Mas aconteceu todo o rolo e a vitória virou empate fora de casa. Duas constatações: primeiro, que o time funciona bem sem Zé Carlos, eliminando um medo meu e da torcida, o que é ótimo. E segundo, que o empate dentro do PV não pode ser desprezado. A gordura de nove pontos caiu para sete, mesma de duas rodadas atrás. Nada que uma vitória contra o Boa não resolva.

E o Avaí venceu o Asa, com uma bomba do Leandro Silva e um belo passe do Evando para o Cléber Santana. O time não perde terreno na busca pelo G4 e, da mesma forma que o JEC, dá tranquilidade para Hemerson Maria preparar o time pro jogo contra o CRB.


quinta-feira, 5 de julho de 2012

¡Loco se acerca de Figueirense!

O Parto complicado teve fim, e Loco Abreu está chegando ao Figueirense. Vai ser apresentado antes da partida contra o Vasco e estreia na semana seguinte, dia 14, na partida contra o Atlético-MG em casa.

Um marco, sem dúvida, no futebol de Santa Catarina, que vai pilotar os noticiários e já derrubou site aqui no Estado.

A torcida alvinegra está em êxtase, e não podia ser diferença. É uma operação financeira ousada para o caixa do clube, mas segundo o Eduardo Uram, está tudo ajustado pra isso.

Teoricamente, e aí não sei o que passa na cabeça do Argel, seria para fazer uma dupla com Julio César no ataque. Faltaria, aí, mais um meia de qualidade para fazer a bola chegar na frente.

E é bom lembrar uma coisa, que já escrevi semana passada: Loco vai ser um boom de marketing, vai vender camisa e dar muita exposição. Mas é bom lembrar que a função primária dele no Figueira vai ser jogar bola, e acabar com a seca de gols do time. Que o Figueira seja feliz com sua nova e ousada aquisição. O time está precisando dele. Muito.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Ramon abre mão do seu salário no JEC

Aos 40 anos, recém completados no último sábado, o meia Ramon, que tem o seu salário do JEC pago por empresários da cidade, tomou uma decisão inusitada. As informações são do portal Nasceu Campeão, tocado por torcedores tricolores:

O meia Ramon não precisa provar o seu caráter, já demonstrou em outras oportunidade ser um homem diferenciado para os dias atuais.
 
Mas ele novamente surpreendeu a Torcida do Joinville. Ontem o Diretor de Futebol Nereu Martinelli afirmou no programa TVEsporte (TV Brasil Esperança) que Ramon foi até o seu escritório para comunicar que estava abdicando do seu alto salário e partir de hoje o meia tem o menor salário do Joinville. (NR: vai receber um salário mínimo)
“O dinheiro de terceiros que ajudava a pagar o salário do meia Ramon, será investido em uma nova contratação”, afirmou Nereu Martinelli.
Ramon será sempre lembrado, pelo acesso, pela conquista do título da Série C e por atitudes como essa.

Uma decisão interessante de um jogador que muito conquistou e que está encaminhando um confortável final de carreira.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Vídeo: "Futebol de Sutiã" comenta a rodada

Segunda-feira, e as meninas do "Futebol de Sutiã" comentam os jogos do final de semana. Destaque para as Séries A e B e o mercado do futebol. Acompanhe os comentários da Malu, da Paula e da Alessandra:

domingo, 1 de julho de 2012

Alerta: O Z4 bate à porta do Figueirense

JF Diorio / Estadao.com.br
A situação do Figueira preocupava pela falta de gols e excesso de empates. Agora piorou, depois de uma derrota para o time reserva do Palmeiras, jogando mal, se posicionando mal e, de novo, chutando mal, exceto o golaço de Julio César.

E a zona de rebaixamento bate à porta. Hoje o Figueirense está em 16o. lugar, sendo que abaixo estão nada menos que Palmeiras, Corinthians (com um jogo a menos) e Santos. E pela frente tem o Vasco na semana que vem, e depois o Atlético-MG de Ronaldinho Gaúcho. Só.

Vi uma entrevista de Argel durante a semana em que ele usou o termo "melhora gradativa". Gostaria muito de ver isso em campo, mas nada de diferente aconteceu. Com a falta de Ygor, Doriva ocupou o seu lugar e até se comportou bem até o gol de empate do Palmeiras, quando deixou Roman cabecear no primeiro pau e ainda desviar a bola. Mas antes disso, Julio César, que cansou de pedir bola durante o jogo diante de um meio que não trabalhava, fez uma pintura de gol.

No segundo tempo, Roni e Pittoni entraram e o time ganhou mais qualidade no trabalho de bola. Só que o sistema de marcação alvinegro é tão bagunçado (e ganha um quê a mais com a ausência de Ygor), que o Palmeiras virou o jogo, e me desculpe o termo, com gols dignos de pelada. O modo com que Barcos foi deixado sozinho, na linha da pequena área, em bola de escanteio teve contornos amadorísticos. E no final o Maykon Leite apareceu sozinho pra fechar o caixão.

Atacante bom não perde gol, coisa que o sr. Aloisio tá devendo faz tempo. Dá pena de ver aquele cara de frente de chute forte e velocidade ter se transformado num jogador fominha, lento e que perde gols a esmo. Felipão colocou Valdivia e Mazinho, o Palmeiras gostou do jogo, cresceu, foi mais eficiente, e acabou vencendo.

Argel terá uma semana que começará a sentir pela primeira vez a pressão real dos resultados. Antes as críticas vinham, mas havia a confiança que no jogo seguinte a coisa resolveria. Agora não, o time não tem a "melhora gradativa" prometida, dois adversários da parte de cima vem aí e a ameaça é grande. Como os reforços não vem, a corda pode roer do lado mais fraco.

Peças boas estão saindo e não há reposição a altura.

E aí, não tem Loco Abreu que resolva.

O mercado ferve: Figueira próximo de Loco Abreu. Eduardo pode vir

Vocês podem dizer que é coisa de nerd, mas jornalista esportivo não pode ficar muito tempo desgrudado do que tá acontecendo. Ontem, estava em aula em Florianópolis, fui fazer cobertura de convenções partidárias e quando resolvo abrir o twitter, tá lá a bomba.

Loco Abreu fechando com o Figueirense.

E olha que as informações que foram aparecendo desde ontem a noite são de intenções claras e reais das duas partes para que o ídolo uruguaio venha para Florianópolis. E talvez estreie na semana que vem no Scarpelli logo contra o Vasco, que já foi vítima algumas vezes do atacante. Eduardo Uram está fazendo os contatos, e o que as notícias da manhã dão que só falta a assinatura do contrato, segundo confirmou o Fabiano Linhares.

Então pode bancar que ele vem. Marqueteiramente falando, seria algo semelhante ao que aconteceu quando Edmundo veio para o Scarpelli. Naquela ocasião, ele estava meio desacreditado, reencontrou no Figueira seu melhor futebol e de lá saiu muito agradecido. Loco chegaria numa situação semelhante, insatisfeito com o tratamento dado por Osvaldo de Oliveira lá no Botafogo, onde é ídolo da torcida. Se bem capitalizado, e o marketing do clube é bom, renderá bons dividendos. Isso que nem toquei no valor do salário do atleta, que não deve ser baixo. (Atualização: O Sport alega que Loco pediu 350 mil reais de salário mais 1 milhão de luvas para ir pro Recife. O Cruzeiro diz que ele pediu 360 mil, que seria o dobro do que ele ganha no Botafogo, algo em torno de 180 mil reais. Mesmo se viesse pelo mesmo valor do Rio, seria o jogador mais bem pago da história de SC).

Posso parecer chato, mas é bom lembrar, com análise fria, que Loco viria para jogar bola e tentar resolver o crítico problema do ataque alvinegro. O time teria que mudar um pouco da sua característica para jogar em função do uruguaio, e aí tem que ver o resultado que isso vai dar. Problema para Argel resolver. Até porque é sabido que ele não gosta de sentar no banco de reservas.

De certa forma, a notícia bombástica encobre perante a grande torcida a perda causada pela saída de Ygor para o Internacional. Falta ali ainda uma peça de qualidade para ser reposta. O clube tem Coutinho, que hoje vai jogar na lateral contra o Palmeiras e Jackson, que vai conquistando seu espaço, mas ainda não vejo como a solução para substituir alguém com a importância que Ygor tem no time. Argel quer Fabiano Silva, do Joinville, que teve desentendimento com a diretoria por lá e pode ser o nome.

E hoje, voltaram os rumores de negociação com Eduardo, lateral-direito do JEC. Dos vários nomes já ventilados para o lugar do criticado Pablo, é a opção mais próxima, embora meus amigos de Joinville dizem que, como o jogador, assim como Lima, são muito ligados ao presidente Nereu Martinelli, não seja tão fácil de acontecer, pois a torcida lá está de olho e o caso que aconteceu com Carlinhos Santos no passado criou um clima de animosidade. Maranhão, do Santos, continua negociando. Tanto que o Peixe não o colocará em campo hoje para que não faça seu sétimo jogo e fique impedido de jogar em outro clube da Série A.