quarta-feira, 1 de agosto de 2012

A quarta do empate alvinegro e Jobson no Avaí

Primeiro, quero esclarecer aqui que não escrevi sobre os jogos de terça na Série B pois estava empenhado naquele caso terrível da agressão do vigia do terminal urbano de Brusque que, ainda bem, teve o bandido preso. Segue o bonde.

Olha, comparar jogo de competição mata-mata com o longo brasileirão de 38 rodadas é meio complicado. Mais a mais, pensando em classificação, um empate sem gols do Figueirense em Goiânia é ótimo. Basta uma vitória simples em casa na volta que a inédita vaga na fase internacional está garantida. Era isso, e ponto. Não vou arriscar de analisar qualquer melhora ou piora do time por dois pontos: primeiro, que o adversário está na mesma parte de baixo da tabela. Segundo, que a qualidade do jogo foi bem meia-boca.
Há de se frisar que a arbitragem prejudicou sim, mas o time não teve boa atuação no primeiro tempo. Hélio dos Anjos poderia tentar mudar o time, mas não mudou, e a situação não se alterou muito. A partir da entrada de Roni e Aloisio o panorama mudou, a velocidade aumentou e o time teve uma melhora significativa. E nos pés deles saiu a jogada que resultou no gol de Loco Abreu. Aí o time dominou o jogo até o final, teve um gol anulado, e a partida acabou. Mais uma no jejum de vitórias. Conclusão rápida: sem novidades no plantel, Hélio mexe aqui, mexe ali, o time dá uma melhoradinha, mas no outro jogo volta como era antes. Nesse ritmo que o Figueira não desenvolve significativamente seu futebol para buscar subir na tabela. Mas vai dar pra passar de fase na Sul-americana.

E logo depois, vem a notícia de que Jobson está vindo para o Avaí. Ele é do Botafogo, foi emprestado pro Barueri, que quis devolvê-lo. O clube carioca negou, e conseguiu repassar o abacaxi para Florianópolis. Vi no estádio seu último jogo, em Joinville, e fiquei um pouco assustado. Não é nem de perto aquele Jobson. A única explicação plausível que acho para essa vinda do atacante é a falta completa de opções no mercado que se encaixem no orçamento. Como o Botafogo tá querendo dar um jeito de se livrar do atacante, deve ter feito negócio bom. Fui questionado no twitter que ele é um jogador diferenciado. Era. Aquele Jobson lá de trás não existe. Se futebol é momento, o dele não é bom. Mas como futebol não tem lógica, vai que a aposta alta do Avaí dá certo. Só que o meia para jogar ao lado de Cléber Santana não chega, e aí vai faltar bola na frente.



Enquanto isso em Criciúma...

Novos Cachecóis na praça...




segunda-feira, 30 de julho de 2012

Vídeo: "Futebol de Sutiã" comenta a rodada dos catarinenses

Segunda é dia das meninas do "Futebol de Sutiã" darem o ar da sua graça aqui no Blog. Hoje, a Paula, a Malu e a Alessandra dão uma geral na rodada dos catarinenses no final de semana. Também tem um pouco de Olimpíadas. Acompanhe:

domingo, 29 de julho de 2012

Rumo abaixo. Tem virada?

Depois de mais uma daquelas atuações horrorosas, de uma derrota para um Botafogo de ataque triste, com Aloisio voltando a perder chances incríveis de gol, a torcida já começa a se acostumar com a ideia de mais um rebaixamento que, se vier, é absoultamente merecido.

Agora não é hora de caçar bruxas como já vi muita gente fazendo. Seria época de se propor soluções. Mas, sinceramente, não vejo essas soluções diante do quadro atual, em que reforços não vem (e pelo jeito não vão vir), os problemas em todos os setores continuam e Hélio dos Anjos, convocado para ser o bombeiro da situação, perde o sono atrás da receita que traga uma reação. Se ele não conseguir, pede o boné e parte pra outra.

Não bastasse o momento delicado do alvinegro na Série A, as próximas rodadas da tabela são mais cruciais ainda. Vêm aí confrontos diretos contra times que estão na parte de baixo da tabela e em má fase: Portuguesa (fora), Flamengo (casa) e Sport (fora). Nove pontos importantes que precisam ser conquistados para a situação não ficar pior do que já está. É hora do algo a mais para tentar resolver uma estrutura que está abalada desde que uma carreta azul a atingiu na decisão do Estadual.

Hélio dos Anjos agora sabe o tamanho do problema. Que tenha boa sorte.

Já tenho ouvido torcedor "conformado" com a situação. É um efeito perigoso. O problema é que o clube não faz nada para virar essa corrente. A cartilha do rebaixamento começa a ser lida.