sábado, 8 de setembro de 2012

Incompetência do ataque avaiano dá a vitória ao Joinville

Fabricio Porto / Noticias do Dia
A bola pune, e puniu o Avaí de uma forma cruel.

O mais fanático torcedor pode dizer que o Joinville fez por merecer a vitória, ou que jogou bem. Mas quem olhar com um mínimo de racionalidade vai ver que o Avaí foi duramente castigado pela profunda incompetência do seu ataque. Teve gol perdido de tudo que é jeito: um chute do Diogo Acosta na arquibancada, um contra-ataque ótimo que Julinho desmontou com infantilidade, um lance que Wagner Diniz tremeu de medo ao não chutar a bola, na pequena área, na frente de Ivan, só pra citar alguns lances. O que se viu foi um espetáculo de erros.

Não vi o vídeo do pênalti que Bruno cometeu no final do jogo. Achei, daqui do estádio, que foi, por inconsequência de Bruno, um jogador rodado o suficiente pra não cometer um erro daquele. Mas quer saber? Mesmo se houver falta no lance, o Avaí fez por merecer tomar esse castigo que o futebol prega para quem fez perdeu tantos gols em noventa minutos.

E é uma vitória que dá um ar novo ao JEC, que vinha de três partidas sem vencer e precisava dar uma satisfação ao torcedor. Só isso. O time continua mostrando que não encontrou uma forma de cobrir a ausência de Tiago Real e, de quebra, hoje não tinha Lima. Jean Carlos, o seu substituto, se mostrou perdido em campo. Corria feito louco pela área tentando achar um espaço, mas ficava escondido na marcação. William era o jogador que dava mais perigo, e mesmo assim relativo. A verdade é uma só: o Joinville depende de Lima, agora mais do que nunca, quando o sistema de armação não funciona, até que o treinador ache uma solução.

E o Avaí perde mais um pouco de terreno na briga pelo G4, perdendo, mais uma vez, pontos que eram absolutamente possíveis. Essa é a diferença para os times que brigam pela parte de cima da tabela: os ataques lá funcionam, e no Avaí, não. É a realidade que se desenha, com a possibilidade de uma reação cada vez menor.

A vida as vezes prega peças que chamam a atenção para as dificuldades. Hoje o Avaí tomou uma paulada que não vai esquecer tão cedo. É a última chance do time de Hémerson Maria tentar acordar para a vida. Se não, é mais um ano na Série B.

Criciúma perde em lance histórico

O erro de Michel Alves vai, com certeza, repercutir mundialmente, pela infelicidade e ineditismo do feito. Mas foi uma tarde pro torcedor tricolor riscar da memória. Goleado em casa, com um gol daqueles e, de quebra, com Lucca expulso e Zé Carlos machucado. É o momento mais delicado do clube, que sem o ataque titular, pegará o Goiás fora. Há de se agir com prudência neste momento.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Rádio Avaí transmitirá jogos pela Rádio Record

Clubes que possuem rádios pela internet para transmitir os jogos não são novidade. Tem o problema da transmissão, onde só podem ser sintonizados no estádio por quem tem celular com internet e, mesmo assim, com um delay de uns 30 segundos.

O Avaí conseguiu uma parceria que, pra mim, é inovadora e bem legal. Em um cenário de dois times, onde as emissoras abertas jornalisticamente dividem a cobertura, surge a proposta de uma cobertura personalizada do clube, em uma emissora AM, que pode ser sintonizada por todos.

Começa na próxima terça o projeto da Rádio Avaí/Record, onde os jogos do Leão serão transmitidos, além da internet, também pela Rádio Record AM 1470, para a Grande Florianópolis. Uma opção segmentada para o torcedor avaiano.

Vai ser interessante.

Wilson segura a vitória do Figueira, que larga a lanterna

Luiz Henrique / Figueirense FC
Contra um desfalcadaço Corinthians, a vitória era obrigação, jogando bem ou mal. Não foi um primor de partida, mas deu pra marcar um gol, Wilson foi perfeito la atrás e o Figueira largou a lanterna. Mais um passo rumo a uma recuperação ainda complicadíssima, mas que começa com a conquista de pontos em sequência.

Wilson já foi acionado nos primeiros minutos, em um chute colocado no alto que o fez se esticar pra mandar pra fora. E assim ele foi acionado, principalmente no segundo tempo, anulando os ataques do Corinthians que, dentro das possibilidades de um time concentrado no Mundial, tinha alguma motivação.

Não importa se era o primeiro, terceiro ou oitavo time do adversário. O Figueirense entrou em campo focado como na partida contra o Fluminense, e isso é muito bom. Tecnicamente, ainda há muito o que melhorar, aconteceram falhas de marcação no início da partida que Goiano tratou de consertar, e Ronny fez outra má partida, que foi compensada com a entrada de um voluntarioso Julio César. Resumindo tudo, na situação em que o clube está, valorizando cada pontinho, a vitória é excelente, jogando bem ou mal.

Os resultados colaboraram, e a distância para escapar da zona de rebaixamento encurtou para quatro pontos. Num período em que cada jogo é uma decisão a ser planejada, vou parafrasear o falecido técnico Zé Antônio Martins, que dizia que cada partida era uma grande operação. Então, é hora da "Operação Ponte Preta".

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

"Democracia Alvinegra" fará manifestação hoje no Scarpelli


Quem estiver no Scarpelli nesta quarta-feira ou acompanhar a partida entre Figueirense e Corinthians pela Série A do Campeonato Brasileiro pela televisão terá a oportunidade de ver a manifestação de um grupo de torcedores que querem um Figueirense mais alvinegro; um Figueirense que não se limite a alguns poucos decidindo o futuro da instituição; que conte com o torcedor, o maior patrimônio do clube, para ajudar a definir os seus rumos.

O grupo denominado “Democracia Alvinegra” exibirá três grandes faixas com a seguinte mensagem: #DemocraciaAlvinegra. Esta é a primeira de muitas ações do movimento formado por torcedores que acreditam que seu direito como sócio deve ir além de uma carteirinha e cadeira no Scarpelli.

Ao longo dos próximos dias mais ações serão tomadas pelo movimento “Democracia Alvinegra” visando conscientizar o torcedor, principalmente o associado, de sua importância. Estes merecem ter os direitos comuns em outros clubes do Brasil como acesso à informação, ao estatuto, nome dos Conselheiros, contratos de parceria com terceiros e demais informações que deixem claro a forma que o clube é gerido. Além do direito de votar e ser votado.

Definidas como as principais bandeiras, serão espalhadas nas arquibancadas e redes sociais em especial pelo Facebook através do endereço: http://www.facebook.com/DemocraciaAlvinegra


terça-feira, 4 de setembro de 2012

Avaí e JEC pecam, Tigre traz um bom pontinho da Bahia

Nessa rodada catarinense da B com três jogos simultâneos, não dá pra ver nenhum com profundidade. Mas dá pra tirar conclusões.

Manoel Bento / Avaí FC
O Avaí tinha a obrigação de vencer, era o único que jogou em casa. Saiu atrás (de novo) no placar e conseguiu virar no primeiro tempo. Até aí, tudo estava sob controle, até tomar o empate e perder chance em cima de chance de gol. O final da partida foi, praticamente, um jogo de meia linha. Dois pontos desperdiçados na Ressacada e algumas feridas expostas lá no jogo do São Caetano foram relembradas. Lembra da grande esperança que se depositava sobre o Ricardo Jesus? Caiu na vala comum, não deu a qualidade extra que o time precisa. Com isso, o Avaí mostra que passa bem longe de ser um candidato ao rebaixamento mas, infelizmente, ainda não tem o "plus" de quem quer brigar pau a pau pelo acesso. Cléber Santana é excepcional, mas não pode jogar sozinho.

Futura Press
O Joinville perdeu pra ele mesmo em Campinas. Diz aquele velho ditado que "o medo de perder tira a vontade de ganhar". Ricardinho fez o gol no início da partida, e o JEC partiu pra tática de controlar o jogo, o que é deveras temeroso. O Guarani foi martelando, martelando e o time de Leandro Campos ia se virando. Mas quando Lima teve, lá na frente, as chancse de fazer o segundo para matar a partida, acabou falhando. E na outra máxima do "quem não faz toma" saiu a virada do Guarani que custou um lugar no G4. Seria esse "apagão" do Lima um efeito da proposta do exterior? Tomara que não. Certo é que ele está sendo questionadíssimo pela torcida, tomou o terceiro amarelo e não enfrenta o Avaí, no sábado. Aliás, os resultados tornaram o clássico da Arena uma decisão. Para o Joinville não desgarrar da parte de cima e para o Avaí tentar mais uma vez arrancar. Promete ser um bom jogo.

Futura Press
Já o Criciúma jogou muito contra o Vitória. Aliás, foi um jogão. Com oportunidades, chutes, jogadas rápidas de dois times que entraram pra vencer. No confronto dos dois times que comandam, com boa distância, a Série B, o empate foi justo. Jogo de nível Série A. Lucca fez uma baita partida, Comelli teve uma boa proposta e o Tigre segue seu caminho para o acesso. Mais um ponto fora de casa a ser contabilizado, e que somando aos 100% em casa vão se transformar em subida. E tem mais jogo complicado por aí, com o América-MG visitando o Heriberto Hulse no sábado. Com a gordura sendo mantida rodada a rodada, a situação parece estar sob controle.

domingo, 2 de setembro de 2012

E o pau comeu em Concórdia

Dentro de Concórdia, o Atlético Tubarão conquistou a vaga para a decisão do primeiro turno do Estadual da Segunda Divisão, contra o Guarani de Palhoça. Semana que vem, saberemos o primeiro time que subirá para a primeira divisão de 2013.

Pena que as cenas abaixo aconteceram. Segundo relatos, um jogador do Tubarão teria jogado uma bolsa de gelo sobre a torcida do Concórdia, e a confusão começou no final da partida. O técnico Nestor Simionato teve que ser atendido com cortes no rosto, e o roupeiro do clube acabou tendo a sua perna quebrada.

Veja o vídeo e as fotos abaixo, feitas pelos irmãos Diego e Dalton Franke, lá de Concórdia: