sábado, 24 de novembro de 2012

Empate no jogo da ressaca

Daniel Queiroz / ND
No elevador da Ressacada, uma funcionária do Avaí me disse: "o ano foi terrível, mas nada como ganhar o jogo pra terminar o ano mais ou menos bem".

Nem se o Criciúma vencesse, mudaria alguma coisa na Série B. O Avaí tinha pela frente, se é que dá pra dizer que isso é um objetivo, lutar pela dignidade e por um fim de festa um pouco melhor, Tinha a despedida de Evando, que saiu substituído e foi muito homenageado pela torcida.

O Tigre, único interessado no jogo, estava sob os efeitos da ressaca do acesso. Travado, sonolento, nem perto do time que conquistou o vice-campeonato da Série B. O Avaí, jogando seu feijão com arroz com  jogadores que na sua maioria ganhará a conta na segunda-feira, mostrou porque faltou qualidade para conseguir algo melhor na Série B. Sem Cléber Santana, Renato Santos e outros jogadores que pudessem fazer a diferença, não tinha como ter sorte diferente.

Julinho marcou para o Avaí e Douglas empatou em mais um gol nos acréscimos para engrossar a estatística. No rescaldo de um jogo bem meia-boca, apareceu um Célio Amorim perdido e tecnicamente fraco, mostrando porque perdeu a chance de ir para a Fifa. Nem Delfim conseguiu segurar.

A torcida criciumense vai embora feliz com a missão cumprida. Já o pequeno público avaiano vai para casa com o sentimento de "vamos esquecer esse Brasileirão".  Daqui a dois meses, quando iniciar o Estadual, um novo time entrará em campo pra defender o título.

Enquanto isso, o Tigre começa a planejar a Série A de 2013. Rodrigo Pastana fica, Paulo Comelli está quase confirmado. Hora de montar um elenco forte para não fazer o bate e volta.


sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Mano se foi. Mas agora?

Que Mano Menezes não é unanimidade, isso ninguém discute. Mas que ele cairia exatamente nesse momento, depois de balançar tanto e conseguir um pouco de tranquilidade, aí sim é uma surpresa.

A CBF resolve bancar um novo projeto neste ano e meio até a Copa de 2014 e jogar fora tudo o que foi feito desde 2012, assim, repentinamente.

Vamos aos fatos: Mano convocou uma tropa de jogadores (102, pra ser exato), foi selecionando, diminuindo a lista, perdeu a Copa América e a Olimpíada, e mesmo assim ficou de pé. Mexeu na seleção, e com a entrada de Kaká o time teve uma notória melhora, o que dava, pelo menos num primeiro momento, um período de ventos tranquilos depois de tantas tormentas.

O tal do Superclássico (que eu chamo de "subclássico") não é referência pra nada, até porque ele nao  pode convocar quem desejasse.

E aí a CBF resolve bater o pé e dizer: "queremos algo novo, e a curto prazo". A torcida quer Felipão, que saiu por cima em 2002 e pode se dar ao luxo de dizer não ao convite de entrar no avião pegando fogo. Muricy é outra alternativa, mas quem já disse não uma vez pode dizer duas.

Enfim, a decisão tomada hoje é muito delicada. Não pela simples troca de comando na seleção, mas a falta de um tempo hábil para o início de um projeto. Nisso aí, aqueles que seriam os mais indicados podem não querer pegar o cargo. E aí pode aparecer um outro nome "de segunda linha" que pode querer uns holofotes. Aí a emenda vai ficar pior que o soneto.

Tempo jogado fora.



terça-feira, 20 de novembro de 2012

Pra tomar controle, Figueira elimina os líderes um a um. Fernandes também se foi

As redes sociais bombaram com a notícia da saída de Fernandes. Diz o clube em nota oficial que lhe foi oferecido um cargo na comissão técnica e, como ele quis jogar mais um ano, lhe foi mostrado o caminho da rua.

Vai embora o maior artilheiro do clube, que não é dos maiores salários do elenco (tem gente pior ganhando mais), que tem o carinho da torcida e talvez merecesse um maior reconhecimento do clube, que pelo jeito nem uma plaquinha vai entregar na última partida.

Mas está bem clara a tática: eliminar os líderes. Wilson (que tem muita lenha pra queimar ainda) foi o primeiro, hoje foi Túlio e depois, Fernandes. Chico Lins ainda sobrevive, mas com certeza será o próximo alvo.

Vamos acompanhar com muito carinho como Adilson Batista vai levar todo o processo do Figueirense em 2013. Ele não é do tipo de técnico que aceita pressão externa, mas deve ter sido consultado sobre a situação dos dispensados. Ou pelo menos espero que sim.

Já um jogador como Fernandes merecia sair pela porta da frente e com melhor reconhecimento por tudo o que fez nessa mais de uma década no clube. A nota oficial do site do clube foi infeliz. O tratou como qualquer um. E no Figueirense, ele não é qualquer um.

Há um ano, eu tinha escrito no Blog sobre o reconhecimento do clube ao ídolo. Apaga tudo.


Governador apresenta projeto da Fórmula 1 em SC a Bernie Ecclestone

Foto: Divulgação Secom/SC

O Governador Raimundo Colombo esteve reunido hoje a tarde com Bernie Ecclestone, o chefão da Fórmula 1, apresentando o projeto de um moderno circuito a ser construído no Parque Beto Carrero, em Penha. Parece que aquela ideia de fazer um Grande Prêmio em SC, seja no lugar de Interlagos ou uma segunda prova no país, não é tão maluca assim.

Bernie inclusive viu um desenho do circuito e deu dicas sobre a localização de arquibancadas.


domingo, 18 de novembro de 2012

Delfim quer a ajuda do Avaí contra o Criciúma

— Nós vamos torcer para que o Goiás perca e por que não o Avaí não ajudar e perder o jogo também? Que o Avaí ajude um companheiro seu, um catarinense. Poderia ajudar o Criciúma a ser campeão.

Foram as palavras do presidente da FCF ontem, na Rádio Eldorado, depois de Criciúma x Atlético-PR. Isso não é coisa pra um presidente de Federação falar, né...