terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Que venha 2014

O Blog fecha as atividades nesse ano com 264 posts, fora as milhares de tuitadas desse escriba que trabalha pra informar, comentar e, de vez em quando, dar aquela cornetada.

2014 vem aí, com muito trabalho. Já começa dia 26 com o Campeonato Catarinense e vai até o final do ano, com o encerramento do Brasileirão e os Jogos Abertos. Muitos quilômetros pela frente, até mais que neste ano.

Ano que comecei um desafio novo em Joinville, e lá permanecerei mais uma temporada.

A curta mensagem desse dia 31 é de agradecimento. A todos que por aqui passaram, que acompanham nosso trabalho aqui, na TV, no Rádio ou no twitter, muito obrigado.

Em 2014 estamos juntos.


segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Criciúma fecha o ano com contratações de peso

Paulo Baier / R7.com
O Criciúma mostrou que vai apostar em tacadas altas para entrar bem na temporada de 2014. Num só dia, dois reforços oficialmente anunciados e um que negocia e pode aparecer lá na rua Treze de Maio no dia 7.

Hoje, foram confirmadas as contratações de Rodrigo Silva, 30 anos, revelado na base do Figueirense e que marcou 14 gols em 26 jogos na Série B pelo ABC de Natal, do meia Thiago Humberto, de 28, e o anúncio mais aguardado, do ídolo Paulo Baier (foto), 39 anos, veterano campeão brasileiro pelo próprio Tigre há uma década e que fez um bom Brasileirão no Atlético-PR.

Aí você soma aí o interesse no nome de Cléber Santana do Avaí, que tem contrato até 31 de janeiro com o Leão e interesse declarado do Tigre. Sem dúvida, um listão de reforços muito interessante para o início de 2014.

Aí vem a pergunta: funcionaria um meio-campo com Baier e Santana, juntos? Com essa dupla, o Atlético-PR foi rebaixado em 2011, e Ricardo Drubscky sabe muito bem como tudo isso aconteceu. Uns dizem ser lento demais, outros que ocupam faixas parecidas no campo.

Minha opinião: os dois tem qualidade. E antes de tomar decisões precipitadas, melhor esperar como o treinador vai trabalhar com essa dúvida, se Cléber realmente vier... Se conseguir fazer essa composição, sai de baixo. E ainda tem Rodrigo Silva, de destacada Série B no ABC, que vem para o lugar de Lins, que soltou nota a imprensa hoje implorando pra ser liberado para o futebol japonês.

Pode ser um pouco cedo, mas aparece aí um favorito para o Estadual.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Mais um tradicional estádio de SC vira pó

Máquinas em ação na limpeza / Foto: site Ederluiz.com
São vários os conhecidos estádios de Santa Catarina que viraram apenas história. Destruídos pela especulação imobiliária ou incompetência dos clubes, são locais que tem um pouco da história do futebol de Santa Catarina e que também serviam como grandes praças esportivas para a comunidade. São exemplos o Adolfo Konder, em Florianópolis, e o Aderbal Ramos da Silva, em Blumenau. O Ernestão, em Joinville, caminha para o mesmo fim.

E ontem, mais um desses tradicionais locais foi embora.

A Prefeitura de Joaçaba aproveitou a época de Natal para por abaixo o Estádio Oscar Rodrigues da Nova e o Ginásio Ivo Silveira, que já abrigaram competições dos Jogos Abertos (que a cidade sediará novamente em 2015). No local, que é centralizado, próximo a um ribeirão, o poder público quer começar a construir no próximo ano um parque municipal, para o qual ainda não tem os recursos necessários, algo em torno de R$ 7 milhões.

O Joaçaba Atlético Clube, time de futebol da cidade, não joga a Divisão de Acesso desde 2011, mas mantém um trabalho de base na cidade com 120 crianças. Sem o Estádio Municipal, resta recorrer à vizinha Herval D´Oeste ou a algum outro local que não tem a mesma estrutura.

Mais um que vai pra história.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

O Ranking "BdR" do Futebol Catarinense em 2013

Pelo quinto ano, o Blog do Rodrigo apresenta o seu ranking de clubes.
O Ranking "Blog do Rodrigo do Futebol Catarinense 2013" traz, com base nos resultados de cada clube na temporada, a classificação dos melhores do Estado.
Tem uma diferença básica para o ranking da CBF, que conta apenas competições nacionais, enquanto este também conta o Estadual.
Este exercício serve para ver o andamento dos clubes dentro do cenário doméstico, somando suas atuações a nível nacional com o torneio do primeiro semestre.
Quem não passou pelo Blog antes, o ranqueamento do ano passado está aqui, e os critérios de cálculo estão neste post.  Cálculos feitos, vamos à classificação. Algumas explicações vão junto, com a somatória dos pontos de 2011 (metade de 2011), de 2012 (peso 0,7) e 2013 (peso 1), além da colocação no ano anterior.


RANKING "BLOG DO RODRIGO" DO FUTEBOL CATARINENSE 2013



1) Criciúma (6,21 + 15,90 + 21,34 = 43,45 pontos) 2012: 3o.
O campeão catarinense de 2013 é o novo líder do ranking, com uma pontuação quase igual ao do Figueirense no ano passado, quando foi líder. Os motivos são a excelente campanha da Série B do ano passado, somado ao título estadual, mais pontos importantes na Copa do Brasil e no Brasileirão. Não foi o time que mais somou pontos no ano, mas os acumulados de 2012 e 2011, mesmo com a desvalorização, lhe dão a liderança pela primeira vez.



2) Chapecoense (6,64 + 12,17 + 23,80 = 42,61 pontos) 2012: 5o.
O clube que surpreendeu o Brasil em 2013 sobe três posições e assume a vice-liderança, como o time que marcou mais pontos em 2013. Com 23,80, conseguiu descontar a diferença para o Figueirense. Vice-campeão estadual com a melhor campanha no índice técnico, somando com uma impressionante pontuação na B colocam o Verdão numa condição real de assumir a liderança em 2014, caso faça um bom papel no Estadual, Brasileiro e Sul-americana.



3) Figueirense (9,19 + 12,22 + 20,60 = 42,01 pontos) 2012: 1o.
O Figueirense perde a liderança do ranking pela superação dos adversários, que fizeram um estadual bem melhor, somados com melhor pontuação no Brasileirão. Como a Chapecoense marcou 9 pontos a mais no Estadual e 12 pontos a mais na Série B, tirou a diferença para o alvinegro, que cai para terceiro.

 

4) Avaí  ( 5,95 + 14,54 + 19,35 = 39,84 pontos) 2012: 2o.
O Avaí pega o mesmo bonde do seu arquirrival e cai para quarto, ultrapassado que foi por Criciúma e Chapecoense. E só não ficou em quinto por causa do péssimo Estadual do Joinville, que marcou oito pontos a menos do que o rival da capital. O time precisa fazer uma boa campanha no Catarinense e uma campanha de acesso na Série B para conseguir subir na classificação. A distância para o terceiro é considerável.



5) Joinville  (6,59 + 13,57 + 19,30 = 39,47 pontos) 2012: 4o.
O JEC cai uma posição no ranking por causa dos parcos 24 pontos marcados no Campeonato Catarinense. Foi o suficiente para ser ultrapassado pelo Avaí, que teve campanha parecida na Série B e na Copa do Brasil, mas marcou oito pontos a mais no Catarinense. Assim como o Leão, precisa de uma campanha de acesso para subir no ranking. Ou roubar o quarto lugar, caso faça mais pontos que o rival.


6) Metropolitano (3,87 + 10,26 + 14,00 = 28,13 pontos) 2012: 6o.
Com uma boa campanha na Série D, um estadual tranquilo e muita regularidade, o Metropolitano se consolida como a sexta força do futebol catarinense. Tem diferença folgada para o sétimo colocado e tem tudo para permanecer aqui no próximo ano. Para subir, teria que estar na Série B, que tem peso bem maior.



7) Atlético de Ibirama (3,98 + 10,32 + 12,63 = 26,93 pontos ) 2012: 7o.
O Atlético abre o segundo grupo do nosso ranking, daqueles que não disputam o Brasileirão. Sempre com campanhas regulares e se mantendo na primeira divisão, o time de Ibirama não será incomodado na sua sétima posição por um bom tempo



8) Guarani (3,05 + 7,76 + 10,80 = 21,60 pontos) 2012: 9o.
O Bugre de Palhoça praticamente repete a pontuação do ano passado, com uma participação na primeira divisão, o que fez ultrapassar o Tubarão e chegar na posição número 8 deste ranking. Ano que vem disputará a segundona onde pode fazer uma campanha de acesso e se manter aqui.


9) Atlético Tubarão (3,97 + 6,69 + 9,40 = 20,05 pontos) 2012: 8o.
O ex-Cidade Azul sempre bate na trave na segundona: consegue se classificar para a reta final, mas falha na hora H. Com boas campanhas todos os anos, o Tubarão sempre ronda o top 10 deste ranking.


10) Marcílio Dias (3,47 + 4,26 + 11,94 = 19,67 pontos) 2012: 14o.
O campeão da Divisão Especial sobe quatro posições no ranking, com o título conquistado em novembro e mais uns pontinhos da Série D, onde foi eliminado na primeira fase. Volta à primeira divisão em 2014 no top 10, mas tendo que fazer boa campanha. Se não fizer, pode despencar, assim como Brusque e Camboriú foram lá pra baixo.


11) Juventus (3,05 + 6,94 + 9,58 = 19,57 pontos) 2012: 12o.
Só por causa do primeiro turno do Estadual que o Juventus ganha uma posição do ranking. Antes da crise que culminou com a renúncia do presidente, o time fez uma campanha sólida sob o comando de Pingo. Gordura suficiente para o time não cair para a segundona, e fechar o ano na posição 11 desta lista.


12) Caçador (2,59 + 7,23 + 8,55 = 18,37 pontos) 2012: 13o.
O time lá da região do Contestado ganha uma posição no ranking, com campanhas regulares na segunda divisão. Fica em décimo segundo e ganha o direito de ter seu escudo publicado aqui na lista.



A seguir, o restante da classificação: 
 
13)    Brusque (4,48 + 2,95 + 10,80 = 18,22 pontos) 2012: 11o.
14)    Concórdia ( 2,10 + 5,60 + 9,50 = 17,20 pontos) 2012: 17o.
15)    Camboriú (3,94 + 6,24 + 6,67 = 16,85 pontos) 2012: 10o.
16)    Inter de Lages (2,41 + 4,48 + 9,09 = 15,98 pontos) 2012: 20o.
17)    Jaraguá (1,17 + 5,83 + 8,67 = 15,66 pontos) 2012: 22o.
18)    Hercílio Luz (3,72 + 4,90 + 7,00 = 15,62 pontos) 2012: 15o.
19)    Biguaçu/Canoinhas ( 3,08 + 5,37 + 6,47 = 14,92 pontos) 2013: 18o.
20)    Imbituba (2,14 + 6,09 + 5,09 = 13,32 pontos) 2012: 16o.
21)    Porto (3,03 + 3,27 + 7,00 = 13,30 pontos) 2012: 21o.
22)    XV de Outubro (1,98 + 4,67 + 2,67 = 9,32 pontos) 2012: 19o.
23)    Blumenau (0,00 + 0,00 + 9,00 = 9,00 pontos) 2012: NR
24)    Oeste (2,63 + 3,36 + 2,75 = 8,74 pontos) 2012: 23o.
25)    Pinheiros (1,53 + 0,00 + 6,25 = 7,78 pontos) 2012: 26o.
26)    Navegantes (0,00 + 1,96 + 3,75 = 5,71 pontos) 2012: 25o.
27)    Curitibanos (0,00 + 0,00 + 3,50 = 3,50 pontos) 2012: NR
28)    Caxias (0,93 + 2,33 + 0,00 = 3,27 pontos) 2012: 24o.
29)    Maga (0,00 + 0,84 + 1,75 = 2,59 pontos) 2012: 29o.
30)    Barra (0,00 + 0,00 + 2,25 = 2,25 pontos) 2012: NR
31)    Joaçaba (0,70 + 0,00 + 0,00 = 0,70 pontos)  2012: 27o.

Observações: para fins de ranqueamento, foram considerados como mesmas equipes: Biguaçu e Canoinhas e Imbituba e CFZ Imbituba. Ambos trocaram de nomes, mas usaram a mesma vaga nos campeonatos estaduais.

Lembre-se: para ver as regras do cálculo de pontuação, clique aqui.

Vem aí o Ranking "BdR" 2013

A temporada do futebol catarinense está oficialmente encerrada. E pelo quinto ano, o Blog está já fazendo os cálculos para a divulgação do Ranking "BdR" do Futebol Catarinense 2013, onde são analisados apenas os resultados em campo das equipes, dando peso maior àquelas competições mais importantes. A nova classificação será divulgada nos próximos dias. Aqui neste link está o Ranking do Ano passado.


Os critérios para definição do ranking, assim como no ano passado, são os seguintes:

Serão considerados os resultados dos clubes nas últimas TRÊS temporadas (2011, 2012 e 2013). Os pontos conquistados por cada equipe serão considerados, e não os títulos.

O cálculo para se chegar aos pontos ganhos em cada jogo é feito da seguinte forma:

Para jogos de campeonatos estaduais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 1 x (valor do campeonato)

Campeonato Catarinense Divisão Principal (Série A)- 10
Campeonato Catarinense Divisão Especial (Série B)- 6
Campeonato Catarinense Divisão de Acesso (Série C)- 4
Copa Santa Catarina - 8

Para jogos de campeonatos nacionais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 2 x (valor do campeonato)

Campeonato Brasileiro Série A - 10
Campeonato Brasileiro Série B - 7
Campeonato Brasileiro Série C - 6
Campeonato Brasileiro Série D - 4
Copa do Brasil - 8
Recopa Sul-Brasileira - 5

Para jogos de campeonatos internacionais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 3 x (valor do campeonato)
Mundial de Clubes - 10
Taça Libertadores - 8
Copa Sul-Americana - 7
Recopa Sul-Americana - 5

(importante notar: Catarinense tem peso 1, Brasileiro 2 e Internacionais 3)

Para a pontuação geral, soma-se os pontos de todos os jogos nos últimos 36 meses (2011 + 2012 + 2013) e se divide pelo número de jogos disputados a cada ano, aplicando-se a desvalorização do ano anterior. Os pontos serão a soma das médias dos três anos.

O Ranking também usará o critério FIFA de desvalorização. Ou seja: os pontos conquistados na penúltima temporada serão multiplicados por 0,7. Traduzindo: os resultados de 2012 levam peso 1, os de 2011, vale 70%, e os de 2010 valem metade de 2011.

Obs.: 1) No caso de empate entre dois ou mais clubes, a ordem apresentada no Ranking é meramente alfabética, não sendo levados em conta os campeonatos disputados pelas agremiações.
2) Para efeito de "punição estatística" e equiparação aos clubes que disputaram mais de um torneio no ano, clubes da primeira divisão que só jogaram o Estadual, sem disputar outra competição, seja nacional ou a Copa Santa Catarina, terá computado zero ponto em uma partida na segunda competição.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Caso Lusa deve parar na Justiça Comum, e aí?

Todo mundo que trabalha com direito desportivo tem um misto de pavor e revolta quando se fala em resolver assuntos na Justiça Comum.

A maior mentira do mundo é quando vem as Federações e Confederações dizer que vão punir o clube ou a Fifa desfiliar o país caso aconteçam ações desse tipo.

A Fifa desfiliar o Brasil em ano de Copa? Ou a CBF desclassificar um clube por causa disso? Então porque o Treze da Paraíba está na Série C até hoje, e o campeonato deste ano teve 21 clubes? Resposta: Justiça Comum. A confederação tentou salvar o campeonato com um acordo extra-judicial mal feito e tomou uma tijolada.

No sábado, a coluna "Painel FC" da Folha de S. Paulo levantou um assunto interessante: A Fifa aceita decisões do Tribunal Arbitral do Esporte que, por sua vez, aceita que a Justiça Comum resolva questões em alguns casos. Matéria do jornalista Eduardo Ohata, na mesma "Folha", edição de hoje, diz que a própria Lei da Fifa veta qualquer punição à Lusa.

Resumindo o objetivo desse post: considerando que dificilmente o pleno do STJD vá tomar decisão diferente da primeira comissão, punindo a Portuguesa com o rebaixamento, é praticamente claro e evidente que o caso vá parar nos fóruns, usando o argumento da desobediência de uma Lei Federal, que é o estatuto do torcedor.

O Blog do jornalista Juca Kfouri publicou, hoje, um artigo do advogado Carlos Lessa de quase vinte páginas, trazendo de forma pormenorizada todas as irregularidades do julgamento no Tribunal esportivo. E já que o problema aqui parece ser uma lei federal e não meramente um regulamento de campeonato, tudo indica que a Justiça Comum vá resolver a bucha. E isso poderá ter graves consequências se isso não se resolver até abril. Aí pode ter outro regulamento, campeonato parado, e outras coisas que a gente pode conferir nos últimos anos na Série C.

Acesse aqui para ler o texto completo do Dr. Lessa.


domingo, 22 de dezembro de 2013

Heroínas do handebol


Quem nunca jogou handebol na escola aí atire a primeira pedra.

Em um país excessivamente futebolista, o esporte que quase todo mundo praticou nas aulas de educação física nunca teve muita expressão. A Liga Nacional não tem toda aquela visibilidade, apesar de Santa Catarina ter dois dos maiores times femininos do país, em Concórdia e Blumenau. Nesse cenário que a seleção brasileira surpreendeu o país nesta semana, quando se descobriu que, lá na Sérvia, tinha um time verde e amarelo jogando uma final de campeonato mundial.

E não foi tarefa fácil. O maior público da história de um jogo da modalidade, na casa do adversário. Uma vitória em que o time brasileiro comandou o placar a maior parte do tempo, e traz para o país um título inédito que chama a atenção não só para o handebol, bem como para todas aquelas modalidades que se sentem "alijadas".

Com Duda, jogadora blumenauense eleita a melhor do campeonato, as meninas do handebol do Brasil deram o seu recado e fizeram história.

Tudo o que eu escrever aqui vai ser pouco. Parabéns às jogadoras campeãs mundiais daquela modalidade que eu era goleiro e tomava muita bolada nos tempos de escola.


quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Avaí é o melhor catarinense no ranking da Timemania em 2013


A Caixa Econômica Federal divulgou nesta semana o ranking de 2013 das apostas da Timemania. Dos times catarinenses, o Avaí lidera, com mais de um milhão e 400 mil apostas, ficando na 22a. colocação geral. 

Comparando com o ano passado, o Leão e o Joinville cairam uma posição na classificação, enquanto o Figueirense caiu três e o Criciúma permaneceu na mesma 57a. colocação, lá embaixo.

A classificação de 2013 ficou assim:


ColocaçãoTimeUFNº de apostasPercentual
FLAMENGORJ6.638.2295,40%
CORINTHIANSSP5.801.4174,72%
SAO PAULOSP4.607.5783,75%
SANTOSSP4.185.8993,41%
GREMIORS3.943.6223,21%
PALMEIRASSP3.893.3413,17%
VASCO DA GAMARJ3.455.1112,81%
INTERNACIONALRS3.432.5572,79%
BOTAFOGORJ3.332.6682,71%
10ºATLETICOMG3.060.6142,49%
11ºFLUMINENSERJ2.996.5852,44%
12ºCRUZEIROMG2.901.5592,36%
13ºBAHIABA2.475.8722,01%
14ºFORTALEZACE2.250.2851,83%
15ºGOIASGO2.012.3141,64%
16ºVITORIABA1.785.8181,45%
17ºABCRN1.703.3281,39%
18ºCEARACE1.616.2021,31%
19ºATLETICOPR1.604.3821,31%
20ºCORITIBAPR1.582.2331,29%
21ºSANTA CRUZPE1.546.5791,26%
22ºAVAISC1.475.5201,20%





30ºJOINVILLESC1.215.2840,99%





50ºFIGUEIRENSESC999.6040,81%





57ºCRICIUMASC915.1520,74%






quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Com mercado restrito, Emerson Nunes ganha chance no Avaí

Emerson Nunes e Hemerson Maria
(Daniel Queiroz/ND)
Depois de um dia de muito diz-que-diz, chute pra todo o lado e nenhum nome confirmado, a informação da noite de que Emerson Nunes foi efetivado como técnico do Avaí vem ao encontro do que mais ou menos se desenhava: mercado inflacionado, dificuldade de se encontrar um nome ideal com um salário acessível e um balão tomado de quem havia sido escolhido.

É a chamada solução caseira, assim como Hemerson Maria um dia já foi, de um bom zagueiro que foi para fora do campo por uma dessas coisas da vida: um problema cardíaco descoberto em 2011.

Ele voltou ao Avaí na época de Mauro Ovelha, e depois se juntou à Hemerson Maria, levando o título estadual. Conhece os caminhos lá dentro, já mostrou a vontade de um dia assumir o comando. Terá essa chance, em um momento muito ingrato.

Emerson poderá ser vítima do cruel regulamento do Estadual, em que nove rodadas decidem um futuro. Ou não. Vai do talento dele, com um pouco de sorte. É evidente que ele só estará ali na beira do gramado por falta de opções disponíveis, mas a oportunidade apareceu, como um goleiro que espera um bom tempo para o titular dar uma brecha.

Boa sorte a Emerson Nunes. Sua chance chegou.


domingo, 15 de dezembro de 2013

Os 10 micos do futebol catarinense em 2013

No fim do Estadual, eu fiz uma lista dos dez maiores micos do Campeonato Catarinense em 2013. Mas como depois do Chevetão aconteceu muito mais coisa bizarra, é hora de passar o ano em revista e ver quais foram os momentos tragicômicos do ano. Tem cada uma...

Vamos à lista!

Acompanhe o "Top 10 negativo" do Futebol Catarinense em 2013:

10 - Não tem laudo, agora tem laudo: Semana que antecedia a estreia do Estadual. Nenhum clube entregou os laudos de liberação dos estádios a tempo, e todos acabaram recorrendo ao TJD. A Federação chegou a marcar os jogos das duas primeiras rodadas com portões fechados, mas um canetaço do tribunal liberou tudo (e os clubes foram severamente multados depois disso). Era até engraçado ver o corre-corre de informações nas redes sociais ao sair o anúncio que esse ou aquele estádio estava liberado. No final das contas, o acordo da FCF com o Ministério Público não foi obedecido. Valeu tudo.

9 - Maga, a vergonha catarinense: foram 76 gols tomados em 16 jogos do Campeonato Catarinense da terceira divisão, uma média de quase cinco tomados por jogo. Esse é o Maga, o pior time do planeta, que colocou mais uma temporada inesquecível em sua história no ano de 2013. E nesse ano, com um extra: no dia 12 de setembro, colocou mais uma marca como o time que sofreu a maior goleada da história do campeonato estadual, tomando 14 a 0 do Pinheiros de Garopaba, em Tubarão. O mais engraçado é que teve jornalista tentando fazer matéria sobre o caso, mas acabou recebendo do clube uma singela resposta: "não queremos que façam reportagem com a gente". Pessoal exigente...

8 - Vou de Táxi: Jogo Chapecoense x Joinville, em Xanxerê, pela abertura do returno do Estadual. O ônibus do time de Chapecó simplesmente não apareceu para levar os jogadores para o Estádio Josué Annoni. Como a cidade não tinha outro ônibus disponível, o jeito foi levar os jogadores de táxi e carros particulares. Os atletas foram chegando em prestação. Deve ser por isso que o time fez um primeiro tempo tão ruim. No segundo, parece que eles acordaram e viraram a partida sobre o JEC.

7 - "Não venha no estádio". Sentindo-se prejudicado pela arbitragem, o Camboriú inovou: publicou uma carta no seu site pedindo deliberadamente que o seu torcedor não fosse ao estádio, para não fazer papel de palhaço. Pelo jeito, teve gente que desobedeceu. E o time acabou rebaixado.

6 - Touchdown na Copinha: Juventus e Brusque se enfrentariam pela Copa SC no Estádio João Marcatto em Jaraguá do Sul. Qual a surpresa de todos quando, ao chegar no local, descobriu-se que um campo de futebol americano estava marcado no lugar do futebol. A solução foi hilária e varzeana: enquanto um derrubava areia aos punhados em cima da linha, outro vinha atrás pra espalhar. Não enganou ninguém, mas o árbitro Bráulio Machado resolveu dar condição de jogo. Pra piorar, o time da casa nem apareceu pra ouvir o hino nacional.

5 - Guarani x Avaí, cadê o jogo?: Todo mundo pronto pra começar o jogo no Estádio Renato Silveira numa tarde de domingo. Eis que, naquela manhã, o Ministério Público resolve entrar com pedido para que o jogo não aconteça. A cobertura da partida passou do Estádio para a frente do Fórum de Palhoça. Com TV ao vivo e os times no gramado, a Polícia avisou que o jogo não iria acontecer. Os repórteres de campo se transferiram para o Fórum de Palhoça, onde a comédia pastelão acontecia. Ouvir o jogo foi muito cômico. Ele acabou sendo realizado em outro dia, a noite.

4 - O dramalhão do Juventus: time que só não caiu para a segundona por conta da boa campanha no primeiro turno, o clube de Jaraguá do Sul foi alvo das atenções depois do presidente (agora ex, entregou o clube para um vereador depois) anunciar duas vezes que o time estaria desistindo. Tudo começou num sábado de manhã, quando um dirigente anunciou a retirada pelas redes sociais. O ex-presidente Jerri Luft chegou a ir a Joinville para pedir, ao vivo no Clube da Bola, apoio aos empresários. Ele aguentou mais alguns dias, mas acabou renunciando em uma conturbada coletiva, onde chegou a dizer que fazia "futebol em Jaraguá do Sul para um bando de m.....". Um novo presidente assumiu, veio a parceria com um clube da terceira divisão e o ano que vem está garantido. Mas que essa novelinha foi chata, ah foi...

3- Segundona na piscina: Caçador e Brusque jogaram pela segundona em um cenário inóspito: depois de uma chuva de granizo que deu estrago no Estádio Municipal de Caçador, o gramado ficou tomado pela água. Quase 70% do gramado foi tomado pela água, sendo que locais tinham uma lâmina de mais de 10cm. Nada que fizesse o árbitro Jefferson Schmidt mudar de ideia. Futebol mesmo teve pouco, mas o jogo aconteceu, e o Brusque ganhou.

2- Vamos empurrar o busão, moçada!: rebaixado para a segunda divisão após a derrota para a Chapecoense em Xanxerê, o time do Camboriú teve que lidar com a surpresa de ver o ônibus que levava a rapaziada de volta pra casa quebrar na altura de Rio do Sul. Como desgraça pouca é bobagem, o time levou no bom humor e empurrou o busão na maior brincadeira, depois de alcançar a segundona.
 Veja o vídeo clicando aqui.


1 - Uma trave que cai: o primeiro da lista não teria como ser outro. Foi manchete internacional e até parte do Top 10 do Sportscenter americano: a queda da trave do estádio de Xanxerê sobre o zagueiro Fábio Ferreira do Criciúma será uma das cenas mais patéticas da história do Campeonato Catarinense. Cena que deixou todos atônitos, provocou uma série de matérias sobre uma trave e muitas, mas muitas risadas. E teve quem achou tudo isso normal. O presidente da FCF chegou a pensar em colocar uma trave colada na outra e usar algo pra segurar a dita cuja. Coisa de comédia pastelão. Uma marca do quanto nosso futebol precisa evoluir. E pensar que, dias depois, o jogo seria a final do Campeonato Estadual. Veja o vídeo desse momento histórico clicando aqui.




sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Ministério Público quer sustentar o insustentável

Mais uma vez, o Ministério Público de Santa Catarina publicou um comunicado hoje, fazendo um "FAQ", tipo de perguntas e respostas, voltado ao público que não entende o "juridiquês", sobre o caso da Arena Joinville.

Depois de tudo o que já passou na imprensa, o comando do MP ainda sustenta uma história que não procede.

Muito simples.

O texto inicial do comunicado feito para o público (clique aqui) diz: "O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) reafirma à sociedade que não fez nenhuma recomendação, orientação ou determinação que pudesse impedir a Polícia Militar de atuar no interior do estádio Arena Joinville ou em qualquer outro estádio de Santa Catarina".

Segundo o dicionário, recomendar é "Dar a alguém alguma incumbência, alguma ordem: . Aconselhar, Pedir proteção, Indicar, Transmitir cumprimentos., Tornar-se digno de respeito".

Muito bem. No documento da Ação Civil Pública, que está na íntegra abaixo, e que foi amplamente divulgada pela imprensa hoje, dá clareza à recomendação que o MP faz à Justiça:



Se isso aí não é recomendar a proibição de policiamento, eu faltei nessa aula de português e não sei o significado da palavra. O MP me respondeu (no fim deste post) que o objetivo era evitar o tal do "desvio de finalidade". Mas se a Polícia Militar é a única que tem a capacidade de administrar uma situação dessa, como que fica? Com seguranças engravatados sem cacetete, nem escudo, tampouco bombas de efeito moral e preparação para tumultos?

Uma falha de comunicação? Talvez, já que o juiz não tinha baixado uma determinação. Mas, comprovadamente, o MP não quer o policiamento dentro do estádio. É só ler a ação abaixo.

E o Secretário de Segurança Pública, César Grubba, já declarou que os jogos no ano que vem acontecerão, todos, com policiamento em campo.

Diante de tanta coisa, acho bom o Ministério Público mudar o discurso, que o atual caiu. Realmente o promotor não ordenou, já que o juiz não deu o OK na ação, mas que recomendou, e com argumentos fortes, isso não resta dúvida.



Atualização das 15:55: Recebi resposta do MPSC. O texto é o que segue:

mpscnoticias
olá @rodrigoblog, obrigado por suas críticas. Mas, a interpretação do jornal sobre a ACP está errada. Explicaremos no próximo tweet.
13/12/13 15:49

na ACP não solicitamos a ausência da PM. Pedimos apenas que não seja desviada a sua finalidade de dar segurança ao torcedor.


quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Deu a lógica na Copa SC: JEC na Copa do Brasil, Metrô na Série D

Divulgação / JEC
Não será preciso definir na última rodada o campeão da Copa Santa Catarina. Após vencer o Guarani por 2 a 0 em Palhoça, o Joinville garantiu mais um título da competição com uma rodada de antecedência, já que o Metropolitano empatou sem gols com o Canoinhas no Planalto Norte.

Com isso, o JEC vai mais uma vez para a Copa do Brasil enquanto que o Metropolitano, que também carimbou o vice-campeonato, garante uma vaga na Série D do Brasileiro em 2014. Todo mundo feliz, em um quadrangular que Guarani e Canoinhas estavam um degrau abaixo. Sem outros concorrentes de peso, ficou fácil.

Ambos ganham opções novas de calendário: o Joinville terá boas arrecadações na Copa do Brasil, enquanto que o Metrô já pode se planejar pensando no ano inteiro, e não só no Estadual.

E acabou a moleza: ano que vem não tem Copinha. Quem não tiver calendário, fecha as portas até abril do ano que vem e só volta em 2015.


terça-feira, 10 de dezembro de 2013

A mensagem do torcedor

Em meio a um começo de semana pesado por causa das últimas ocorrências na Arena Joinville, duas iniciativas de torcedores chamam a atenção. Uma, para recuperar a imagem da cidade e outra, para provocar o adversário, de forma bastante inusitada.

Em Joinville, torcedores do JEC criaram uma campanha chamada "#issoéArena e #issoéJoinville". A campanha é simples e bem inteligente: inundar as redes sociais com imagens da Arena Joinville lotada em jogos do tricolor, mostrando que o estádio é um lugar do bem, que infelizmente foi alvo dos bandidos de Atlético-PR e Vasco no último domingo. A Arena hoje é assunto nacional pelos acontecimentos e pela vontade desenfreada do promotor de justiça que quer fechar o local. O JEC, que nada tem a ver com a história, pode ter o seu local de jogo interditado, mas o torcedor busca mostrar que o estádio está acima da ação dos brigões mal-intencionados. Parabéns pra quem teve a ideia.

Já em Floripa, a cidade acordou com um outdoor muito bem humorado no acesso à ilha. Torcedores do Figueirense provocam o rival fazendo alusão aos 4 a 0 na Ressacada que marcaram a recuperação do alvinegro na Série B, que conseguiu dias depois o acesso à Série A. Provocativo demais? Não achei. Em 2007, torcedores avaianos fizeram brincadeira similar com o título do Fluminense da Copa do Brasil dentro do Orlando Scarpelli. Desse tipo aí, pode.



segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Site é criado para identificar os brigões da Arena Joinville

Criação de um empresário do ramo de webdesign de Curitiba nesta segunda-feira, o site identificarbrigoes.com.br é uma ferramenta a mais para localizar e identificar aqueles que participaram da tragédia da Arena Joinville.

Estou aqui passando pra frente o endereço do site e peço que todos também divulguem. Vamos ajudar a encontrar esse pessoal travestido de torcedor.

O site é www.identificarbrigoes.com.br . Clique para acessar.




O que eu vi na Arena Joinville

O que era pra ser mais um dia de trabalho em Joinville virou algo que nunca vou esquecer. Como me disse o Polidoro Junior no telefone, uma coisa é ver pela TV, outra bem diferente é estar lá, vendo ao vivo.

Cabeça fria, 115 quilômetros depois, dá pra contar o que eu vi. Agora ninguém quer ser o pai da criança, e pelo jeito não vai ter exame que ache o DNA da responsabilidade. Algo absurdo, terrível, chocante, que faz a gente pensar o porquê disso tudo.

Vamos aos pontos: chegando na Arena, vi as primeiras confusões que diziam que não seria um jogo normal. Os torcedores vascaínos (muitos que tem pouquíssimas oportunidades de ver seu time ao vivo no estádio) não sabiam que o acesso para eles era do outro lado. Teve tapa, cusparada e muita ofensa. Sim, eu vi tudo isso.

Chegando no estádio, no credenciamento, a moça que me deu a identificação me disse: "o cara da Rádio Globo passou aqui e me falou: se o Vasco for rebaixado, se escondam!"

Na estrada, voltando, fiquei zapeando as rádios do Rio. Com o fato consumado, a tese de tragédia anunciada é até natural de ser declarada. Mas vamos ao que eu vi e entendi: durante a semana, era sabido que a Polícia Militar não entraria no estádio (veja aqui), por causa de uma ação do Ministério Público que achava que o serviço (que é pago) não poderia ser dado em eventos particulares. Nesse momento, a PM soltou um comunicado dizendo que atendia ação civil pública do Ministério Público que, por sua vez, disse via twitter que não pediu nada. Jogo de empurra que não vai ter fim.

O "super cordão de isolamento"
Voltamos ao jogo. Vem cá, quem é o ser humano dotado de desinteligência que achou que duas cordinhas com 4 seguranças ia impedir um tumulto de duas torcidas que se estranharam lá fora? A foto que eu tirei antes do jogo diz tudo: alguns homens de laranja, desarmados, inertes, eram os responsáveis pela separação. Primeiro ponto, se a PM foi descartada e essa ordem foi aceita, o planejamento da segurança foi absurdamente mal feito.

Sim, eu vi: lá pelos 17 minutos, ambas as torcidas pularam a cordinha e foram se encontrar na curva do placar. Os homens de laranja não tinham o que fazer, e o pau comeu até a Polícia Militar entrar em ação e sentar a borracha com bombas de efeito moral. Aí, os machões fugiram, mas o estrago já estava feito. Uma briga que era tramada pela internet e que provocou revolta até daqueles torcedores atleticanos que nada tinham a ver com organizadas. Sim, eu vi isso. E se você ver as fotos que giram por aí, é facil distinguir: onde tem arquibancada azul, é área dos vascaínos.

Errou também o árbitro, que não perguntou onde cargas d'água estava o policiamento. Sim, porque de polícia a torcida tem medo. Seguranças de gravata serão atropelados. E as cenas do que aconteceu, todo mundo viu e não preciso ficar explicando. Era sabido que a Polícia não ia entrar, logo, o Atlético sabia a bucha que tinha na mão. A FELEJ, órgão da Prefeitura de Joinville que administra o estádio, tinha o contrato na mão que previa as responsabilidades do mandante. Eu vi o contrato, que dava a responsabilidade pela segurança e danos ao mandante. Num primeiro momento, me parece que eles estão isentos.

Vamos à briga de MP e PM: em quase todo o país, quem dá esse tipo de segurança é a Polícia Militar. O Ministério Público catarinense pensou diferente, e criou uma bomba relógio. Repito: o serviço da PM é pago, o pessoal não vai lá de graça. E sem querer aqui discutir se eles fazem bem ou mal seu serviço, eles tem treinamento e armas pra isso. A turminha de laranja não tem. Estádio não é balada.

E também tem outra coisa. Sim, eu vi: a Arena Joinville tem um setor isolado para torcida visitante, com duas cercas. Para vender mais ingressos, o Atlético abriu mais dois setores da Arena para os vascaínos, sem nenhum tipo de proteção extra, além das cordas e dos homens de laranja. Sem comentários.

Tragédia que infelizmente levou o nome de Joinville para o mundo da pior forma possível. E eu, por dever do trabalho, estive lá vendo tudo isso. Se eu acredito em justiça nesse caso? Sinceramente, não. Mas eu não desisto. As vezes dá vontade de largar futebol por causa dessas coisas, mas ainda acredito que, um dia, as coisas podem mudar.


sábado, 7 de dezembro de 2013

Confirmado: Pingo está recuperado e se apresenta dia 16

A diretoria do Brusque confirmou: o técnico Pingo, que passou na semana passada por uma delicada cirurgia para retirada de um tumor benigno na cabeça, vai se apresentar ao clube.

O treinador, que deixou o hospital Dona Helena em Joinville ontem pela manhã, segue se recuperando em casa, e recebeu o OK do corpo clínico para voltar ao trabalho no dia 16, quando se apresenta no Brusque para iniciar os trabalhos para o Catarinense 2014.

Ótima notícia.


quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Video: Edimar perde o gol mais incrível do ano

Conforme prometido, aqui vai publicado o video do gol mais incrivelmente perdido do ano, quiça da década, do futebol de Santa Catarina. Sozinho, sem goleiro, o meia Edimar, do Metropolitano, conseguiu o impossível contra o Joinville ontem, pela  Copa SC. Veja a foto, e o vídeo abaixo, onde o lance aparece no tempo de 1min21. As cenas são fortes:

Reprodução / RICTV Blumenau


Metrô e JEC empatam na "primeira final" da Copa SC

JEC / Divulgação
Já era esperado que Metropolitano e Joinville iriam disputar o título da Copa Santa Catarina, que dá vaga na Copa do Brasil em 2014. Mesmo na terceira rodada de um total de seis, a diferença dos dois times para Guarani e Canoinhas, que empataram em 4 a 4, já é de seis pontos. Logo, os dois confrontos diretos decidiriam o caneco.

Nesta quarta, o primeiro jogo. Zero a zero em que o Joinville dá graças aos céus pelos erros do ataque do Metropolitano. No início da partida, um gol perdido por Edimar que confesso nunca ter presenciado ao vivo em meus anos de carreira. Uma bola passada pela esquerda que chegou em cima da linha para o camisa 10 verde empurrar que ele conseguiu a façanha de mandar pra fora (assim que tiver a imagem, prometo postar aqui, o lance é tão bizarro que merece rodar o mundo). Também teve pênalti cobrado por Alessandro pra fora e mais um monte de gols perdidos. Para o JEC, que teve Hernani expulso no segundo tempo, o empate ficou de ótimo tamanho.

Sábado, na Arena, quem vencer abre três pontos de vantagem para o adversário, encaminha o título, já que os outros times não tem mais chance. O Metropolitano ainda tem um plus: precisa de três pontos para garantir a vaga na Série D, que é um dos seus objetivos. Isso deve conseguir com certa tranquilidade.

Mas o jogo ficou marcado pelos erros. E para Edimar, que perdeu um gol feito em Caxias que valeria o acesso do Metrô para a Série C e outro ontem que a minha e a sua mãe fariam de olhos fechados, a noite deve ser mais pesada.


quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Catarinense 2014: Juventus vai limitar trabalho da imprensa

Vai começar a preparação para o Campeonato Catarinense de 2014, e aqueles clubes que não possuem calendário no Nacional começam antes a sua pré-temporada.

O Juventus de Jaraguá do Sul vai abrir os trabalhos semana que vem, e já enviou à imprensa um comunicado em que coloca as regras na cobertura dos treinos. Os treinos do período da tarde serão fechados, e apenas poderão dar entrevista aqueles que forem escolhidos pela diretoria do clube, e mesmo assim só poderá trabalhar quem for previamente cadastrado. Pessoal lá não vai poder nem sugerir a quem entrevistar.

Abaixo, o comunicado. Clique para ampliar: